PUBLICIDADE

saúde

Escovas Interdentais ajudam contra as cáries que se formam entre os dentes

O uso da escova interdental é um passo essencial para garantir eficácia na limpeza e prevenção de cáries e doenças da gengiva, pois alcança os espaços e lugares onde a escova comum e o fio dental não conseguem chegar.

Além disso, ela ajuda na remoção mecânica da chamada placa bacteriana ou biofilme oral da região, localizada entre os dentes, como destaca Dr. Hugo Lewgoy, cirurgião-dentista e doutor pela USP.

“As escovas interdentais devem ser utilizadas pelo menos uma vez por dia, preferencialmente à noite, antes de se deitar. Em conjunto com a escovação convencional, elas garantem dentes e gengivas saudáveis por toda vida”, enfatiza o especialista. Com a utilização de uma escova interdental Prime, deve-se fazer um único movimento de vai e vai, introduzindo e removendo a escova da região entre os dentes uma única vez.“Sempre é bom consultar um cirurgião-dentista para selecionar as escovas corretas e treinar o seu uso, porém, não é necessário ficar executando movimentos de vai e vem de forma repetida. Uma escova interdental de boa qualidade deve ser introduzida uma única vez ao dia, com suavidade e sem forçar explica o especialista”, ressalta.

Segundo o Dr. Hugo, os espaços localizados entre os dentes não são todos iguais. Dessa forma, é natural que a pessoa tenha de utilizar diferentes diâmetros de escovas interdentais. Normalmente, dois diâmetros, dos cinco que acompanham as escovas interdentais são necessários para uso. “Em média, um refil de escova interdental dura de 2 a 4 semanas”, complementa. Lembrando que a escova interdental é composta por um cabo e um refil de diferentes diâmetros (parte ativa da escova, o refil realiza a limpeza).

Contudo, é essencial não descuidar da higienização correta da escova, para evitar – inclusive – que haja fonte de infecção, por causa de microrganismos que se acumulam nas cerdas.“A flora microbiana natural da boca não traz qualquer perigo ou risco de doença, porém, quando estes microrganismos ficam retidos nas cerdas, de fato, podem proliferar-se, tornando-se uma fonte para autoinfecções e infecções cruzadas pelo contato com outras escovas”, destaca. Para contornar esse quadro, o cirurgião-dentista recomenda a realização da desinfecção das escovas seguindo os passos abaixo:

1) Lavar a escova interdental com água corrente para eliminar qualquer resíduo;

2) Remoção do excesso de água;

3) Aplicação de solução a base de Clorexidina 0,12% a 0,2%;

4) Utilização do protetor das cerdas (item acompanha as escovas interdentais Prime);

“Antes da próxima escovação, deve-se lavar novamente a escova para a remoção de resíduos da solução. A Clorexidina é um agente antimicrobiano eficaz para eliminação de microrganismos como fungos e bactérias, sendo muito efetivo para a desinfecção das cerdas das escovas interdentais”, declara.

Foto: Reprodução