PUBLICIDADE

brasil

Procedimentos feitos por planos de sa√ļde cresceram 4,1% em 2018

O n√ļmero de procedimentos realizados por meio de planos de sa√ļde totalizou 1,57 bilh√£o em 2018, ou seja, 4,1% a mais do que no ano anterior (1,51 bilh√£o). Os dados s√£o do¬†Mapa Assistencial da Ag√™ncia Nacional de Sa√ļde Suplementar(ANS), divulgado¬†hoje¬†(11).

Os exames complementares responderam pela maioria dos procedimentos realizados por meio da sa√ļde suplementar em 2018 e totalizaram 861,4 milh√Ķes, um aumento de 5,4% em rela√ß√£o a 2017. Em seguida, aparecem as consultas, respons√°veis por 274,3 milh√Ķes de procedimentos (alta de 1,5%).

Entre os demais procedimentos, destacam-se outros atendimentos ambulatoriais, como consultas a psic√≥logos e fisioterapeutas, com 164,2 milh√Ķes (alta de 4,6%); terapias, com 93,4 milh√Ķes (aumento de 21%); e interna√ß√Ķes, com 8,1 milh√Ķes de ocorr√™ncias no ano (crescimento de 1,7%).

O n√ļmero de procedimentos odontol√≥gicos (176,1 milh√Ķes) foi o √ļnico que registrou redu√ß√£o (-5,34%) em rela√ß√£o ao ano anterior.

‚ÄúCom o aumento da incid√™ncia de doen√ßas cr√īnicas n√£o transmiss√≠veis, o envelhecimento da popula√ß√£o e mudan√ßas nos h√°bitos de vida, h√° uma necessidade de ¬†melhor acompanhar a condi√ß√£o de sa√ļde dos benefici√°rios. Para que a√ß√Ķes reestruturantes sejam implementadas √© imprescind√≠vel o conhecimento epidemiol√≥gico e demogr√°fico da popula√ß√£o que utiliza plano de sa√ļde‚ÄĚ, ressalta o diretor de Normas e Habilita√ß√£o dos Produtos, Rog√©rio Scarabel.

Em rela√ß√£o ao n√ļmero de consultas e interna√ß√Ķes por benefici√°rio, houve quedas em rela√ß√£o a 2017. Foram 5,8 consultas por benefici√°rio em 2018 contra 5,9 em 2017. J√° interna√ß√Ķes foram 179 por cada mil benefici√°rios contra 180 por mil em 2017.

Os outros atendimentos ambulatoriais tiveram alta: foram 3,5 por beneficiário em 2018 ante 3,4 em 2017. As terapias por beneficiário também cresceram: 2 em 2018 contra 1,7 no ano anterior.

Entre as consultas, a cl√≠nica m√©dica liderou as consultas em 2018, com 27,1 milh√Ķes de atendimentos, seguida por ginecologia e obstetr√≠cia (19,7 milh√Ķes) e pediatria (16,7 milh√Ķes).

Entre os exames, o mais realizado foi radiografia (31,8 milh√Ķes), seguida por hemoglobina glicada (13,5 milh√Ķes), resson√Ęncia magn√©tica (7,9 milh√Ķes) e tomografia computadorizada (7,4 milh√Ķes).

O Mapa Assistencial destaca o aumento dos gastos com procedimentos para diagn√≥stico e cuidado de doen√ßas cr√īnicas. O n√ļmero de exames de hemoglobina glicada (usado para detec√ß√£o de diabetes), por exemplo, cresceu 13% por ano de 2014 a 2018.

Também de 2014 a 2018, os exames Holter 24 Horas, usado no diagnóstico e acompanhamento de doenças circulatórias, cresceu 6% anualmente.

A íntegra da publicação está disponível no site da ANS.

Crédito: Agência Brasil