PUBLICIDADE

política

Temer se entrega à Justiça e é preso pela segunda vez

Com o habeas corpus revogado por decisão do Tribunal Regional Federal, o ex-presidente Michel Temer se entregou à Polícia Federal de São Paulo nesta quinta-feira (9). Pela tarde, Temer deve ser encaminhado ao Rio de Janeiro, onde ficará numa cela no prédio da Supertintendência da Polícia Federal RJ, mesma que ocupou entre 21 e 25 de março.

A defesa do ex-presidente pede à juíza Caroline Figueiredo que Temer cumpra prisão preventiva no quartel general da Polícia Militar de São Paulo.

Em declaração a jornalistas na noite de quarta-feira (8), o ex-presidente afirmou que considera a decisão ‘inteiramente equivocada sob o foco jurídico’. “Sempre sustentei que nessas questões todas não há prova. Para mim, foi uma surpresa desagradável. É uma injustiça, não só injustiça, mas uma invericidade”.

Demais acusados

Além de Temer, o tribunal também revelou o habeas corpus de João Baptista Lima Filho, o Coronel Lima. Já o ex-ministro Moreira Franco e outros cinco acusados no mesmo processo tiveram suas liberdades mantidas pela Justiça.

Todos os envolvidos são acusados pela Lava Jato de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O processo surgiu na Operação Descontaminação, que investiga desvios de R$ 1,8 bilhão nas obras da usina nucelar de Angra 3, operada pela Eletronuclear.

Segundo o Ministério Público, o ex-presidente é o responsável por uma organização criminosa que desviou o valor de R$ 1,8 bilhão em propina. As investigações começaram após a delação de empresários da Engevix, também denunciados.