PUBLICIDADE

política

Temer se encontra primeiro-ministro interino do Líbano

O ex-pres­i­dente Michel Temer, chefe da mis­são brasileira no Líbano, se reuniu hoje (14) com o primeiro-min­istro interi­no do Líbano, Has­san Diab. O encon­tro faz parte das trata­ti­vas do gov­er­no brasileiro na aju­da ao país do Ori­ente Médio. Durante o encon­tro, a del­e­gação brasileira expres­sou sol­i­dariedade do povo brasileiro ao povo libanês e se mostrou pronta para aju­dar o Líbano.

A del¬≠e¬≠ga√ß√£o brasileira chegou ontem (13) ao pa√≠s. A del¬≠e¬≠ga√ß√£o chefi¬≠a¬≠da por Temer foi rece¬≠bi¬≠da no Aero¬≠por¬≠to Inter¬≠na¬≠cional de Beirute por autori¬≠dades locais, lid¬≠er¬≠an√ßas reli¬≠giosas e por inte¬≠grantes da For√ßa-Tare¬≠fa Mar√≠¬≠ti¬≠ma Unifil, mis¬≠s√£o de paz da Orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU).

Ain¬≠da no aero¬≠por¬≠to, Temer pre¬≠sid¬≠iu a Cer¬≠im√ī¬≠nia de Entre¬≠ga Ofi¬≠cial da Aju¬≠da Human¬≠it√°ria ao L√≠bano. Em seu dis¬≠cur¬≠so, anun¬≠ciou que mil¬≠hares de toneladas de ali¬≠men¬≠tos vin¬≠das do Brasil chegar√£o ao pa√≠s por via mar√≠¬≠ti¬≠ma. ‚ÄúO povo brasileiro est√° muito empen¬≠hado em aju¬≠dar o L√≠bano. Esta¬≠mos trazen¬≠do, ago¬≠ra, seis toneladas de ali¬≠men¬≠tos e medica¬≠men¬≠tos. Mais 4 mil toneladas de arroz vir√£o por via mar√≠¬≠ti¬≠ma. Al√©m dis¬≠so, a comu¬≠nidade libane¬≠sa me comu¬≠ni¬≠cou, hoje [quin¬≠ta-feira] pela man¬≠h√£, que ain¬≠da h√° mais 20 toneladas arrecadadas‚ÄĚ, disse o ex-pres¬≠i¬≠dente brasileiro.

A aeron¬≠ave KC-390, da For√ßa A√©rea Brasileira (FAB), deixou o Brasil com 6 toneladas de mate¬≠ri¬≠ais, entre medica¬≠men¬≠tos, equipa¬≠men¬≠tos de sa√ļde e ali¬≠men¬≠tos, doa¬≠d¬≠os pelo Min¬≠ist√©rio da Sa√ļde e pela comu¬≠nidade libane¬≠sa no Brasil. Out¬≠ro avi√£o da FAB, o Embraer 190, lev¬≠ou os inte¬≠grantes da comi¬≠ti¬≠va.

Al√©m de Temer, chefe da mis¬≠s√£o e fil¬≠ho de libane¬≠ses, com¬≠p√Ķem a mis¬≠s√£o os senadores Nel¬≠son Trad Fil¬≠ho e Luiz Pas¬≠tore, al√©m do secret√°rio de Assun¬≠tos Estrat√©gi¬≠cos da Presid√™n¬≠cia da Rep√ļbli¬≠ca, Fl√°vio Viana Rocha, den¬≠tre out¬≠ros.

Crise

A explos√£o em Beirute, no dia 4 de agos¬≠to, sen¬≠ti¬≠da a 240 quil√īmet¬≠ros (km) de dis¬≠t√Ęn¬≠cia, ocor¬≠reu em um per√≠o¬≠do sen¬≠s√≠v¬≠el para o L√≠bano, que vive cres¬≠cente crise econ√īmi¬≠ca e divis√Ķes inter¬≠nas, enquan¬≠to lida com os danos provo¬≠ca¬≠dos pela pan¬≠demia da covid-19.

Os √ļlti¬≠mos tem¬≠pos t√™m sido mar¬≠ca¬≠dos por man¬≠i¬≠fes¬≠ta√ß√Ķes nas ruas do pa√≠s con¬≠tra o modo como o gov¬≠er¬≠no lida com aque¬≠la que √© con¬≠sid¬≠er¬≠a¬≠da a pior crise econ√īmi¬≠ca des¬≠de a guer¬≠ra civ¬≠il de 1975‚Äď1990.

O L√≠bano, que tem uma d√≠vi¬≠da p√ļbli¬≠ca de US$ 90 bil¬≠h√Ķes, impor¬≠ta a maio¬≠r¬≠ia da sua comi¬≠da, e o por¬≠to de Beirute, fun¬≠da¬≠men¬≠tal no armazena¬≠men¬≠to dessas impor¬≠ta√ß√Ķes, est√° ago¬≠ra destru√≠¬≠do.

As explos√Ķes na regi√£o por¬≠tu√°ria de Beirute foram cau¬≠sadas por prob¬≠le¬≠mas no armazena¬≠men¬≠to de cer¬≠ca de 2.750 toneladas de nitra¬≠to de am√īnio, sub¬≠st√Ęn¬≠cia usa¬≠da na pro¬≠du√ß√£o de explo¬≠sivos e fer¬≠til¬≠izantes.

No dia 10 de agos­to o primeiro-min­istro, Has­san Diab, renun­ciou após protestos da pop­u­lação. Ele e seu gabi­nete, no entan­to, con­tin­u­am no car­go até a for­mação de um novo gov­er­no.

Edição: Fer­nan­do Fraga/AB

PUBLICIDADE