PUBLICIDADE

4.0 - EMPREENDEDORISMO

Setor de Franquias faz balanço positivo de 2018

 - REVISTA MAISJR

(Crédito: Reprodução) 

O  faturamento do setor de franquias fechou 2018  com alta nominal de 7,1% em relação ao ano anterior. A receita total do mercado de franquias saltou de R$ 163,319 bilhões para R$ 174,843 bilhões no período. Os números são do balanço consolidado divulgado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Para presidente da entidade, André Friedheim,  os números revelam a  relevância dos princípios fundamentais que norteiam o trabalho do franchising, especialmente em períodos de retração econômica. “Em uma ano marcado, inclusive, pela greve dos caminhoneiros e grande instabilidade política, as empresas franqueadora, para manter resultados positivos, fizeram valer ainda mais o trabalho em rede, que possibilita ganhos em escala, buscaram inovar, investindo em novos formatos, produtos e serviços, podendo  colher os frutos com o encerramento do ano”, avalia

De acordo com a ABF, a inflação e os juros básicos da economia (taxa Selic) baixos, a melhora dos índices de confiança do consumidor e do empresariado, a retomada da expansão e os investimentos em inovação impulsionaram esse crescimento. A recuperação, ainda que lenta, da economia, especialmente no último trimestre, com os bons resultados para o varejo e o  franchising na Black Friday e Natal, também alavancaram o desempenho do setor.

Dados da ABF apontam que houve uma alta de 8,2% na receita das redes de franquias no 4º trimestre de 2018 frente ao mesmo intervalo do ano anterior. O faturamento passou de R$ 47,014 bilhões para R$ 50,868 bilhões.

Geração de empregos

A retomada do movimento de expansão das redes e a reforma trabalhista, implementada pelo governo federal em 2018, favoreceram o aumento das contratações no franchising. O setor registrou alta de 8,8% no número de vagas abertas em relação a 2017. Esse resultado fez com que o número de trabalhadores diretos no setor chegasse a aproximadamente 1,3 milhão de pessoas. “Acredito que, se implementadas as reformas da previdência e tributária e houver a desoneração da folha de pagamentos, os diversos setores da economia brasileira, e especificamente o franchising, acelerarão ainda mais as contratações”, afirma André Friedheim.

Novas unidades e redes

A pesquisa da ABF revelou que em 2018 o total de unidades do setor cresceu 5,2%, com um saldo de 7.570 novas operações, totalizando 153.704 unidades de franquias ativas no País. Esse ritmo foi mais do que o dobro da variação registrada entre 2016 e 2017. O desenvolvimento de novos formatos e modelos de negócios, a expansão para fora das grandes capitais e a maior disponibilidade de pontos comerciais a um custo mais competitivo foram os principais fatores que alavancaram essa expansão.

Outro dado relevante apurado no levantamento da ABF foi um aumento do número médio de unidades por rede. O crescimento foi de 3,9% no ano passado ante a 2017, cuja média passou de 51,4 para 53,4 unidades por marca no período. De acordo com o presidente da ABF, “esses números indicam a consolidação e o amadurecimento do setor de franquias brasileiro, com redes mais fortes e com maior capilaridade”.

Já em número de redes, o ano passado encerrou com um incremento de 1,1%, totalizando 2.877 marcas atuantes no mercado brasileiro de franquias. Destaque para novas marcas nacionais, grandes empresas aderindo ao sistema e a redes franqueadoras lançando novas marcas. Alguns exemplos são: Água Doce Express, Camelo, House of Samsonite, Nhô Sorvetes, OpenLaser e Snoopy Café.