PUBLICIDADE

mundo

Na ONU, Damares reforça oposição a Maduro

 - REVISTA MAISJR

(Crédito: Divulgação MRE) 

Em seu primeiro compromisso internacional desde que assumiu o cargo, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, reforçou a oposição do governo brasileiro ao regime de Nicolas Maduro, e pediu união de esforços para restabelecer a pacificação política e social na Venezuela. A declaração ocorreu durante discurso no Conselho das Nações Unidas (ONU), nesta segunda-feira (25), em Genebra, Suiça.

“O governo brasileiro preocupa-se com as persistentes e sérias violações de direitos humanos cometidas naquele país e uniu esforços com o autoproclamado presidente do país, Juan Guaidó, não para intervir, mas para prover imediata ajuda humanitária ao povo venezuelano”, disse.

Damares Alves também firmou compromisso em defender o direito das mulheres, incluídas as que compõem as comunidades tradicionais brasileiras, como indígenas, quilombolas, ciganas e ribeirinhas. Disse ainda que criará políticas públicas de fortalecimento dos vínculos familiares, de proteção das crianças, de promoção dos direitos das pessoas com deficiência e de combate à discriminação, seja ela religiosa, racial ou de gênero.

A representante brasileira chegou a citar a recente tragédia causada pelo rompimento de barragem de minério em Brumadinho (MG) e afirmou que o governo brasileiro tem tomado medidas para evitar novos desastres.

Além de participar das atividades do Conselho, Damares se reúne com a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi. Também estão previstos encontros com a ministra federal dos Direitos Humanos do Paquistão, Shireen Mazari, o secretário executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Francisco Ribeiro Telles, a imprensa e organizações da sociedade civil.