PUBLICIDADE

política

Prefeito de SP se re√ļne com servidores municipais para discutir greve

 - REVISTA MAISJR

(Crédito: Agência Brasil) 

Representantes das entidades sindicais dos servidores p√ļblicos municipais de SP se re√ļnem, hoje (21) com o prefeito Bruno Covas para discutir a greve do funcionalismo, que come√ßou h√° 17 dias. A categoria reivindica a revoga√ß√£o da Reforma da Previd√™ncia municipal aprovada pelos vereadores em dezembro do ano passado, que aumentou de 11% para 14% a contribui√ß√£o dos funcion√°rios p√ļblicos da capital paulista.

De acordo com a prefeitura, a categoria de professores foi a que mais aderiu √† paralisa√ß√£o.¬† Das das 3,5 mil unidades, 178 estiveram totalmente paralisadas. No primeiro dia de greve, 744 unidades ficaram sem aulas. Em outras √°reas da administra√ß√£o, ocorreram paralisa√ß√Ķes pontuais que n√£o chegaram a 2% das unidades e servi√ßos, com os hospitais municipais e o SAMU funcionando normalmente.

De acordo com o Sindicato dos Servidores, 70% das escolas administradas pela prefeitura estão em greve total ou parcial. Em nota, a Secretaria Municipal de Educação disse que já contratou professores temporários e garante que os 200 dias letivos serão cumpridos.