Sustentabilidade

Funicular brasileiro é o primeiro 100% sustentável no mundo

Santa Catarina tem o primeiro bonde Funicular feito com tecnologia 100% nacional e abastecido com energia solar

O Funicular da cidade de Itá, localizada no oeste de Santa Catarina, já está em funcionamento há dois anos e se consolida com uma das principais obras sustentáveis no setor. O projeto, que foi desenvolvido e executado pela empresa de Campinas-SP Grupo Eco&Eco, é o primeiro do tipo com tecnologia e materiais 100% nacionais e o primeiro no mundo abastecido com energia solar. O Funicular é um sistema de transporte de passageiros ecológico que é composto por uma cabine que corre em trilhos tracionado por um cabo.

A obra segue o padrão de todos os projetos do Grupo Eco&Eco, portanto, é inovador e sustentável com o uso de energias renováveis e com parte da mão de obra da própria cidade. A alimentação da energia elétrica para o funcionamento da parte interna do bonde é feita de maneira autônoma através de quatro placas solares. A alimentação da casa de máquinas também é de energia solar com 30 placas que trabalham no sistema conectado à Rede On Grid. Além do mais, a estrutura da estação foi feita com material pré-moldado, o que leva agilidade para a construção e menos desperdícios. Outro detalhe é a arquitetura da Galeria de Lojas que foi feita com madeira de reflorestamento da espécie Eucalyptus Saligna e Eucalyptus Grandis encontradas em abundância na região. Com isso, a sustentabilidade do projeto rendeu o Prêmio Fritz Muller, principal reconhecimento ambiental de Santa Catarina que é concedido pelo Instituto do Meio Ambiente do estado.

O projeto foi concebido através de uma parceria público privada e é localizado em um espaço concedido pela Prefeitura Municipal de Itá, com gestão de uma empresa local: a Itá Eco-Turismo, que investe e administra o complexo com as obras sob responsabilidade do Grupo Eco&Eco.

A obra abriga, além da estação Funicular, uma galeria de entretenimento, uma nova tirolesa e um mirante, tudo isso em uma das principais vias da cidade. A tirolesa é considerada uma das mais bonitas do Brasil devido a vista privilegiada durante o percurso que tem uma distância de 1.780 metros, sendo o seu ponto mais alto com 86 metros de altura. Já o Funicular, que ganhou uma arquitetura com cara dos bondinhos de antigamente, chama a atenção por ser um projeto que visa unir duas áreas da cidade que tem suas devidas importâncias. Na parte alta, é possível encontrar comércio, opções de gastronomia e museus, além de ser a área urbana de Itá, mas ainda muito pouco visitada pelos turistas. Já a parte baixa estão concentrados os principais hotéis, além dos atrativos turísticos como o lago, as torres da Igreja submersa, parque aquático, entre outros. O “bonde” tem capacidade para 11 pessoas, com acessibilidade para cadeirantes e tem capacidade de atendimento de 120 pessoas/hora, considerando que o passeio leva em média três minutos por um percurso com 34% de declividade.

Outro destaque do funicular é que o equipamento beneficia não apenas os turistas, mas também a própria população da cidade, pessoas que a trabalho, por exemplo, precisam fazer esse deslocamento entre a parte baixa e alta da cidade.

“Desde a criação do grupo Eco & Eco fomos pioneiros no desenvolvimento de projetos inovadores e sustentáveis. O projeto do Funicular reúne esses elementos e proporcionou o desafio de fazer o inédito. O que nos permitiu a aplicação de novas tecnologias e trouxe o aprendizado e a evolução”, conta Wilson Miguel, diretor da empresa.

O Funicular Itá, além de ser o primeiro produzido no Brasil com tecnologia 100% nacional, é apenas o segundo no País. O primeiro encontra-se na cidade de Santos (SP) e foi inaugurado em 1927. A Grupo Eco&Eco já tem mais um Funicular em desenvolvimento na cidade de Serra Negra, interior de São Paulo.

Itá

Itá é uma pequena cidade do oeste de Santa Catarina com aproximadamente seis mil habitantes e já foi considerada, segundo o Prêmio Istoé de 2015, uma das 50 melhores cidades para se viver no país devido a sua tranquilidade e povo hospitaleiro. Na primeira metade da década de 1990, a cidade precisou mudar de lugar devido a uma construção de uma hidrelétrica nas proximidades, o que ocasionou a inundação da até então Itá. O que restou da antiga cidade foram apenas as torres da Igreja que despertam em meio às águas que invadiram o local e hoje se tornaram ponto turístico.

O consórcio, responsável pela hidrelétrica, construiu um novo município em uma área mais alta, e com isso a cidade ficou dividida entre parte baixa e a alta.

O Grupo Eco&Eco presta assessoria para o município de Itá há 4 anos e desenvolveu uma série de ações para alavancar o turismo de Itá envolvendo órgãos públicos, empresários e a população do município, além de criações criativas e inovadoras como o funicular.

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista