Sustentabilidade

Multinacional faz parceria com Eletropaulo para ampliar eficiência energética

A multinacional francesa Saint Gobain, líder global em construção sustentável, fechou parceria com a Eletropaulo para trocar 17 motores de seu parque industrial em São Paulo por modelos mais modernos e eficientes. Das 59 fábricas instaladas em todo o Brasil, duas receberão os novos motores – a unidade da Isover e da Weber, fabricante dos produtos quartzolit. A medida resultará na economia de, aproximadamente, 212 MWh/ano, o equivalente ao consumo de 70 residências.

A iniciativa faz parte do Programa de Eficiência Energética da Eletropaulo, cujo objetivo  é promover o uso racional da energia em todos os setores da economia.  O coordenador  de uso finais e eficiência energética da Eletropaulo, Rubens Leme, explica que  a distribuidora faz, anualmente, chamadas públicas para apoiar projetos que contribuam para a promoção do uso consciente da energia elétrica. Segundo Leme, essas chamadas obedecem regras definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O projeto implementado pela Eletropaulo faz parte de um conjunto de compromissos firmados por todo o Grupo Saint-Gobain, durante a COP21, em 2015, na luta contra o aquecimento global. Entre as ações previstas estão, as reduções de 15% do consumo de energia, de 20% de suas emissões totais de CO2 e de 80% de rejeitos de águas industriais até 2025.

 Nosso negócio possui forte pilar em sustentabilidade. É a base pela qual somos referência no mundo. A preocupação com a eficiência energética faz parte do compromisso de entregar ao nosso consumidor final produtos provenientes de uma cadeia responsável ecologicamente em sua totalidade “, declara Thierry Fournier, Presidente da Saint-Gobain para Brasil, Argentina e Chile.

 Ele cita o Saint-Gobain Research Brasil, centro  de pesquisa e desenvolvimento da companhia, inaugurado há dois anos em Capivari (SP), como exemplo do que se pode fazer em termos de construção sustentável e eficiência energética no Brasil. “Ele foi projetado para consumir anualmente 55 KWh por metro quadrado. “Este número não chega a 35% do consumo registrado pelas melhores edificações brasileiras, que é de 160 kWh por metro quadrado, por ano”, destaca.

Foto: Divulgação

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista