PUBLICIDADE

1.0 - RADARpolítica

Veradora Talíria Petrone denuncia ameças de mortes

Parlamentar mais votada de Niter√≥i, na Grande Rio, √ļnica mulher na C√Ęmara Municipal, negra e feminista, Tal√≠ria Petrone era amiga da vereadora Marielle Franco (Psol). Diferente da colega assassinada na √ļltima quarta-feira, Tal√≠ria j√° recebeu v√°rias amea√ßas de morte por telefone e pelas redes sociais.

Uma queixa foi feita pela parlamentar em novembro, na 76ª Delegacia de Polícia (Icaraí). O caso, porém, não teve desdobramentos. O Psol avalia oferecer segurança à vereadora. Ela pode concorrer como vice na chapa do partido ao governo do Estado, encabeçada por Tarcísio Motta. Talíria ocuparia vaga planejada para Marielle. A investigação sobre as ameaças podem ajudar na investigação do caso de Marielle, acreditam assessores do partido.

“Desde o in√≠cio do mandato, numa C√Ęmara majoritariamente conservadora, com muitos representantes da extrema direita, sofro amea√ßas”, contou. “Enfrento muitas rea√ß√Ķes: s√£o ataques sistem√°ticos nas redes sociais, em que sou chamada de ‘vagabunda’, em que dizem que se me encontrarem na rua v√£o ‘meter uma bala na minha cara’, para eu ‘voltar pra senzala’.”

Depois, a hostilidade ficou mais vis√≠vel. A sede do Psol em Niter√≥i foi invadida por um homem armado, que amea√ßava a vereadora. Segundo assessores, latas de tinta s√£o mantidas na sede s√≥ para apagar recorrentes picha√ß√Ķes contra ela. Em eventos p√ļblicos s√£o comuns xingamentos e amea√ßas como “s√≥ matando mesmo”.

“Mas chegou ao √°pice em 14 de novembro, quando foram feitas liga√ß√Ķes sistem√°ticas para a sede do Psol, me chamando de ‘piranha’, de ‘vagabunda’, dizendo que iam explodir a sede do partido, me matar com uma bomba”, contou Tal√≠ria.

Maré

Professora de Hist√≥ria e mestranda em Servi√ßo Social, Tal√≠ria come√ßou sua milit√Ęncia na √©poca em que dava aulas no pr√©-vestibular no Complexo da Mar√©, Zona Norte carioca. Ali, conheceu Marielle. As duas tinham pautas muito parecidas.

Na sua primeira candidatura, foi a vereadora mais votada de Niter√≥i. Tal√≠ria, a exemplo da amiga, preside a Comiss√£o dos Direitos Humanos na C√Ęmara. Nela, j√° fez in√ļmeras den√ļncias de viol√™ncia policial. “Essas bandeiras que levantamos mexem muito com as estruturas da sociedade, s√£o consideradas uma afronta por muitas pessoas.”

Fonte: Jornal do Brasil

PUBLICIDADE