PUBLICIDADE

Mercado

Metade das operadoras de turismo vende viagens para novembro e dezembro

Em agos­to, metade das oper­ado­ras de tur­is­mo vendeu via­gens para os meses de novem­bro e dezem­bro deste ano, segun­do bal­anço divul­ga­do pela Asso­ci­ação Brasileira das Oper­ado­ras de Tur­is­mo (Braz­toa). As oper­ado­ras são empre­sas que mon­tam pacotes e pro­gra­mas de via­gens, que são com­er­cial­iza­dos pelas agên­cias de tur­is­mo, e os mem­bros da asso­ci­ação rep­re­sen­tam 90% dos roteiros de laz­er ven­di­dos no Brasil.

A asso­ci­ação avalia que o setor pas­sa por uma retoma­da grad­ual e lenta, depois de ter sido dura­mente impacta­do des­de março pela pan­demia de covid-19, que exige o dis­tan­ci­a­men­to social como prin­ci­pal medi­da de pre­venção. Em abril, 54% das oper­ado­ras não realizaram nen­hu­ma ven­da, enquan­to em agos­to o per­centu­al foi de 21%.

O fat­u­ra­men­to das empre­sas ain­da segue bem abaixo de 2019, segun­do o bal­anço divul­ga­do. Para 40% das empre­sas, o fat­u­ra­men­to em agos­to teve uma per­da de 90% em com­para­ção com agos­to do ano pas­sa­do. Ape­sar dis­so, 87,5% das oper­ado­ras de tur­is­mo con­sid­er­am que agos­to foi mel­hor ou igual a jul­ho.

A expec­ta­ti­va do setor é que o segun­do semes­tre de 2020 ten­ha um fat­u­ra­men­to menor que a metade do reg­istra­do no mes­mo perío­do em 2019. Essa é a pre­visão de 71% das oper­ado­ras, que lidam com a redução da capaci­dade de todos os serviços rela­ciona­dos ao tur­is­mo, como voos, restau­rantes, hotéis e out­ros serviços.

Ano que vem

A pesquisa da asso­ci­ação mostra, ain­da, que 67% das oper­ado­ras vender­am pacotes para o primeiro semes­tre de 2021. Entre as empre­sas con­sul­tadas, 29% declararam ter com­er­cial­iza­do tam­bém para o próprio mês de agos­to, 44% para setem­bro e 46% para out­ubro. Os per­centu­ais super­am o segun­do semes­tre de 2021, que foi com­er­cial­iza­do por 38% das empre­sas.

Um dos destaques do bal­anço é a redução do can­ce­la­men­to de via­gens. Em jul­ho, 73% das oper­ado­ras tiver­am ven­das can­ce­ladas, enquan­to em agos­to o per­centu­al caiu para 30%.

Destinos preferidos

O des¬≠ti¬≠no ven¬≠di¬≠do com mais fre¬≠qu√™n¬≠cia foi o Nordeste, com embar¬≠ques com¬≠er¬≠cial¬≠iza¬≠dos por 83% das oper¬≠ado¬≠ras. Em segui¬≠da, vier¬≠am Sud¬≠este (80%), Europa (75%), Sul (74%), Cen¬≠tro-Oeste (70%), Norte (62%), Am√©ri¬≠ca Central/Caribe (62%), Am√©ri¬≠ca do Sul (55%), Am√©ri¬≠ca do Norte (48%), √Āsia (48%), Ocea¬≠nia (48%) e √Āfrica (24%).

Os des¬≠ti¬≠nos mais procu¬≠ra¬≠dos no Nordeste s√£o Sal¬≠vador e Por¬≠to de Gal¬≠in¬≠has, enquan¬≠to no Sud¬≠este fig¬≠u¬≠ram Angra dos Reis e inte¬≠ri¬≠or de S√£o Paulo. No exte¬≠ri¬≠or, os embar¬≠ques mais ven¬≠di¬≠dos s√£o para Por¬≠tu¬≠gal, It√°lia, Can¬≠c√ļn, Pun¬≠ta Cana, Orlan¬≠do, Mia¬≠mi,  Mal¬≠divas, Argenti¬≠na e Peru.

Edição: Kle­ber Sam­paio

PUBLICIDADE