PUBLICIDADE

Mercado

Brasileiro abre primeiro banco digital voltado a imigrantes na Irlanda

Responsável pela criação da Seda College, escola de inglês para não-nativos em Dublin, capital da Irlanda, em 2009, o brasileiro Tiago Mascarenhas aposta agora na criação de uma fintech para contribuir nas remessas de imigrantes e estudantes na Europa. De acordo com ele, o Move Bank permitirá a abertura de conta bancária fora do país. A instituição também possibilitará que o expatriado faça qualquer tipo de movimentação, como receber salário, pagar contas em débito automático, poupar e até fazer remessas de dinheiro para o exterior.

‚ÄúA ideia do Move Bank surgiu a partir da necessidade que os estudantes internacionais t√™m de se bancarizar. Por que hoje, o que acontece, o aluno consegue sair do pa√≠s, mas ele, muitas vezes, n√£o consegue ter um acesso a uma conta internacional.‚ÄĚ, comenta Mascarenhas. ‚ÄúO Move Bank parte dos princ√≠pios b√°sicos de sobreviv√™ncia, de voc√™ poder ter acesso a uma conta banc√°ria digital, principalmente hoje que todos os pagamentos s√£o de maneira online.‚ÄĚ, finaliza ele.

Com um investimento de R$ 265 mil (‚ā¨ 50 mil), a empresa busca a expans√£o em v√°rios pa√≠ses, como Espanha, Portugal, Turquia e √ćndia. Al√©m de novos produtos da Move Bank, como conta empresarial, cr√©dito estudantil e cr√©dito para compras em at√© tr√™s meses sem juros. A expectativa com esse planejamento √© faturar mensalmente R$ 5,3 milh√Ķes (‚ā¨ 1 milh√£o) j√° nos seis primeiros meses de opera√ß√£o.

De acordo com Tiago, ‚Äúa curto e m√©dio prazo, o objetivo √© bancarizar os imigrantes internacionais de diversos pa√≠ses. Ent√£o, o estudante internacional imigrante j√° vai sair do Brasil com uma conta principalmente para a Europa. N√≥s somos a primeira empresa a ter este tipo de servi√ßo com uma licen√ßa da Europa, queremos nos tornar uma solu√ß√£o para imigrantes, tanto para pessoa f√≠sica como para pessoa jur√≠dica.‚ÄĚ.

O neg√≥cio conta com os co-fundadores brasileiros Lucca Torquato e Bruno Vechio, que j√° fizeram interc√Ęmbio na Irlanda. Os dois possuem grande conhecimento do mercado brasileiro e irland√™s e firmam parcerias em v√°rios pa√≠ses. Outro ponto importante de ressaltar √© que todo o processo do banco, por mais que ele tenha tamb√©m uma empresa aberta no Brasil, fez toda a aplica√ß√£o das licen√ßas dentro do Central Bank da Uni√£o Europeia, atrav√©s do Central Banco da Litu√Ęnia.

O CEO relata que um dos principais desafios do empreendedor brasileiro no exterior, √© que este empreendedor sempre ser√° um imigrante. ‚ÄúEnt√£o precisa se adaptar √†s normas, √†s diretrizes e √†s possibilidades, mas por um outro lado, elimina a zona de conforto, al√©m de estabelecer confian√ßa e suporte. O meu objetivo √© deixar bem claro, para outras pessoas, que √© poss√≠vel, para outros brasileiros que desejam sair do Brasil, que h√° possibilidades de empreender e n√£o s√≥ em √°reas como: cozinheiro, chefe de cozinha, mas poder empreender em √°reas de fintech, na √°rea de neg√≥cios, na √°rea de educa√ß√£o tamb√©m.‚ÄĚ, finaliza Mascarenhas.

*Com informa√ß√Ķes da Forbes Brasil