PUBLICIDADE

economia

Nos EUA mais de 40 milh√Ķes solicitaram seguro-desemprego 

O n√ļmero de tra¬≠bal¬≠hadores nos Esta¬≠dos Unidos que solic¬≠i¬≠taram seguro-desem¬≠prego dev¬≠i¬≠do √† crise do coro¬≠n¬≠av√≠rus ultra¬≠pas¬≠sou 40 mil¬≠h√Ķes. Ao mes¬≠mo tem¬≠po, as ven¬≠das de pro¬≠du¬≠tos man¬≠u¬≠fat¬≠u¬≠ra¬≠dos seguem em que¬≠da ap√≥s a retoma¬≠da grad¬≠ual da econo¬≠mia.

Uma per­da de emprego nes­sa escala não é reg­istra­da des­de a Grande Depressão, há quase um sécu­lo, e ocorre, segun­do novos dados, em meio a uma con­tração de 5% da maior econo­mia do mun­do no primeiro trimestre, um indí­cio de que o pior ain­da está por vir na recessão dev­i­do à COVID-19.

O rit¬≠mo das demis¬≠s√Ķes j√° atingiu seu auge e con¬≠tin¬≠ua acel¬≠er¬≠a¬≠do: o Depar¬≠ta¬≠men¬≠to de Tra¬≠bal¬≠ho infor¬≠mou que out¬≠ros 2,12 mil¬≠h√Ķes de tra¬≠bal¬≠hadores solic¬≠i¬≠taram seguro-desem¬≠prego na sem¬≠ana encer¬≠ra¬≠da em 23 de maio.

Esse n√ļmero supera o da pior sem¬≠ana da crise finan¬≠ceira glob¬≠al h√° 12 anos, mas √© infe¬≠ri¬≠or ao reg¬≠istra¬≠do na sem¬≠ana ante¬≠ri¬≠or: 2,44 mil¬≠h√Ķes de pes¬≠soas.

O Depar¬≠ta¬≠men¬≠to de Tra¬≠bal¬≠ho infor¬≠mou que mais de 21 mil¬≠h√Ķes de amer¬≠i¬≠canos rece¬≠ber¬≠am algum sub¬≠s√≠¬≠dio de desem¬≠prego durante a sem¬≠ana de 10 a 16 de maio. Isso rep¬≠re¬≠sen¬≠ta uma que¬≠da de 3,86 mil¬≠h√Ķes em rela√ß√£o √† sem¬≠ana ante¬≠ri¬≠or, a primeira redu√ß√£o da pan¬≠demia e uma indi¬≠ca√ß√£o de que algu¬≠mas pes¬≠soas podem estar voltan¬≠do √†s suas ocu¬≠pa√ß√Ķes.

O Con¬≠sel¬≠ho de Asses¬≠sores Econ√īmi¬≠cos da Casa Bran¬≠ca infor¬≠mou no Twit¬≠ter que o decl√≠nio ‚Äúsug¬≠ere um fluxo sub¬≠stan¬≠cial do desem¬≠prego para o emprego‚ÄĚ.

Se per¬≠manecer, seria pos¬≠i¬≠ti¬≠vo para o pres¬≠i¬≠dente Don¬≠ald Trump, que enfrenta uma dura batal¬≠ha para a reelei√ß√£o em novem¬≠bro. O repub¬≠li¬≠cano incen¬≠tivou os esta¬≠dos a retomarem as ativi¬≠dades, ciente de que a sa√ļde da econo¬≠mia pesar√° muito na escol¬≠ha dos eleitores.

No entan­to, o secretário do Tra­bal­ho, Eugene Scalia, admi­tiu à rede Fox Busi­ness que a taxa nacional de desem­prego pode­ria chegar a 20%.

O anal­ista da Pan­theon Macro­eco­nom­ics, Ian Shep­herd­son, espera que os pedi­dos sem­anais de desem­prego caiam para menos de 1 mil­hão no final de jun­ho e siga em que­da nas sem­anas seguintes.

A difer¬≠en√ßa entre os 21 mil¬≠h√Ķes de desem¬≠pre¬≠ga¬≠dos atual¬≠mente receben¬≠do bene¬≠f√≠¬≠cios e os 41 mil¬≠h√Ķes de pes¬≠soas que solic¬≠i¬≠taram sub¬≠s√≠¬≠dios des¬≠de mea¬≠d¬≠os de mar√ßo √© expli¬≠ca¬≠da pelo fato de que algu¬≠mas pes¬≠soas n√£o o rece¬≠ber¬≠am, enquan¬≠to out¬≠ras voltaram ao tra¬≠bal¬≠ho ou encon¬≠traram um novo emprego.

- Colap­so dos pro­du­tos man­u­fat­u­ra­dos -

O Depar­ta­men­to de Comér­cio infor­mou que a deman­da por bens man­u­fat­u­ra­dos duráveis, um com­po­nente-chave na medição do PIB na econo­mia amer­i­cana, caiu 17,2% em abril, após uma que­da de 16,6% em março.

As ven¬≠das despen¬≠car¬≠am para US$ 170 bil¬≠h√Ķes em abril, o primeiro m√™s com¬≠ple¬≠to de restri√ß√Ķes impostas √† pop¬≠u¬≠la√ß√£o, em com¬≠para¬≠√ß√£o a US$ 246 bil¬≠h√Ķes antes do v√≠rus.

Grande parte do prob­le­ma ocor­reu dev­i­do à gigante da avi­ação Boe­ing, que não reg­istrou novos pedi­dos em abril, em com­para­ção com 31 pedi­dos em março.

Como out­ras empre­sas em todo o país, a Boe­ing fechou suas fábri­c­as nos EUA dev­i­do à pan­demia, mas já reto­mou as ativi­dades. A com­pan­hia plane­ja cor­tar sua força de tra­bal­ho em 10% e reduzir a pro­dução.

As ven­das de veícu­los e peças caíram quase 52,8% em relação a março. No ger­al, a deman­da por trans­porte caiu mais de 47% após a que­da de 43% em março. Excluin­do o setor, o total de ven­das de bens duráveis caiu ape­nas 7,4%.

- Fim da expan­são -

O Depar¬≠ta¬≠men¬≠to de Com√©r¬≠cio tam¬≠b√©m infor¬≠mou que o PIB dos Esta¬≠dos Unidos encol¬≠heu 5% nos tr√™s primeiros meses do ano, um pouco pior do que a con¬≠tra√ß√£o de 4,8% ini¬≠cial¬≠mente relata¬≠da, encer¬≠ran¬≠do uma d√©ca¬≠da de expan¬≠s√£o econ√īmi¬≠ca.

A que¬≠da foi ali¬≠men¬≠ta¬≠da por um colap¬≠so nos gas¬≠tos dos con¬≠sum¬≠i¬≠dores e nas expor¬≠ta√ß√Ķes. A situ¬≠a√ß√£o foi agrava¬≠da pela par¬≠al¬≠isa√ß√£o que entrou em vig¬≠or nas √ļlti¬≠mas duas sem¬≠anas do trimestre.

O pres­i­dente do Fed­er­al Reserve (Fed, ban­co cen­tral), Jerome Pow­ell, disse que o colap­so no trimestre de abril a jun­ho pode atin­gir 30%, nova­mente alin­hado à Grande Depressão.

A con¬≠sul¬≠to¬≠ria Oxford Eco¬≠nom¬≠ics disse que as medi¬≠das do Fed para inje¬≠tar liq¬≠uidez e pacotes de est√≠¬≠mu¬≠lo ao Con¬≠gres¬≠so suavizaram parte do impacto, mas aler¬≠tou que out¬≠ras provid√™n¬≠cias ‚Äúser√£o necess√°rias‚ÄĚ para uma recu¬≠per¬≠a√ß√£o.

cs/hs/ad/piz/jc/cc / Por: AFP

PUBLICIDADE