PUBLICIDADE

Mercado

Servidores do Banco Central fazem paralisação de 24 horas

Os servidores do Banco Central (BC) fazem hoje (11) uma greve de 24 horas. Segundo o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), mais de 70% dos funcionários devem aderir à paralisação. Os trabalhadores reivindicam melhorias na carreira, como a equiparação com outras categorias semelhantes. 

O Sinal disse que a paralisa√ß√£o pode gerar um “apag√£o” em todos os servi√ßos do banco, com impactos no atendimento ao mercado e ao p√ļblico, incluindo cancelamento de reuni√Ķes, manuten√ß√£o em sistemas e atraso na divulga√ß√£o de informa√ß√Ķes.

A manutenção do PIX pode ficar prejudicada, trazendo risco à continuidade dos serviços. A paralisação também pode trazer maior impacto na conclusão de projetos em curso, como o da moeda digital, o Drex, na supervisão de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo e na regulamentação de ativos virtuais.

‚ÄúA decis√£o de realizar a greve decorre da insatisfa√ß√£o dos servidores em rela√ß√£o ao tratamento dispensado √†s suas demandas, em meio a concess√Ķes assim√©tricas oferecidas a outras categorias t√≠picas de Estado. Ressalta-se a preocupa√ß√£o com a falta de di√°logo e o alegado a√ßodamento autorit√°rio do presidente do BC [Roberto Campos Neto] na abordagem de quest√Ķes relevantes, como a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Independ√™ncia do Banco Central‚ÄĚ, diz nota do sindicato.

Os servidores reivindicam, entre outros pontos, reajuste nas tabelas remuneratórias, retribuição por produtividade, exigência de nível superior para o cargo de técnico, mudança no cargo de analista para auditor.

A pr√≥xima etapa da paralisa√ß√£o ser√° a entrega dos cargos comissionados de chefia, caso as negocia√ß√Ķes com o governo n√£o avancem. A entrega efetiva √©¬†prevista para a primeira quinzena de fevereiro.

O Sinal destaca a import√Ęncia do Banco Central para a estabilidade econ√īmica do pa√≠s e apela¬†ao governo para¬†considerar equitativamente todas as carreiras estrat√©gicas, diz outro trecho da nota.

A¬†Ag√™ncia Brasil¬†procurou o BC para saber o posicionamento da institui√ß√£o em rela√ß√£o √† greve e √†s negocia√ß√Ķes. Como resposta, a assessoria disse que o banco n√£o vai se pronunciar a respeito.

Edição: Graça Adjuto