PUBLICIDADE

1.0 - RADAR4.0 - EMPREENDEDORISMOcrédito

Taxa de juros elevada afasta empreendedores dos bancos

A insatisfa√ß√£o com o sistema de financiamento brasileiro para os pequenos neg√≥cios foi discutida no F√≥rum de Cidadania Financeira, que encerra hoje (8) em Bras√≠lia (DF).¬† Segundo o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos,¬† 86% das micro e pequenas empresas evitam buscar novos empr√©stimos. “Apesar da supera√ß√£o do pior momento da crise econ√īmica e da redu√ß√£o dos juros pelo Banco Central, os pequenos neg√≥cios s√£o cada vez mais exclu√≠dos do cr√©dito banc√°rio”, adverte.

Para presidente do Sebrae, ¬†o Sistema Financeiro Nacional n√£o atende √†s necessidades dos micro e pequenos empreendedores devido √†s altas taxas de juros e ao excesso de¬† burocracia e ¬†exig√™ncias para tomar um empr√©stimo. “S√£o espantalhos que afugentam as pequenas empresas e impedem que elas busquem os recursos necess√°rios para alavancar o neg√≥cio. Na pr√°tica, os bancos s√≥ est√£o dispon√≠veis para as m√©dias e grandes empresas, que podem oferecer maiores garantias para os financiamentos”, comentou Afif.

Segundo levantamento da pesquisa de Financiamento dos Pequenos Neg√≥cios 2018, elaborada pelo Sebrae, entre os meses de junho e agosto, 54% dos entrevistados adotam a pr√°tica de negociar o prazo de pagamento de faturas diretamente com os seus fornecedores e 26% recorrem ao cheque pr√©-datado. Essas s√£o as principais pr√°ticas adotadas para solucionar os problemas de caixa mais imediatos, dado que o sistema financeiro n√£o oferece condi√ß√Ķes adequadas.

Na ¬†avalia√ß√£o dos entrevistados em rela√ß√£o ao sistema banc√°rio, 61% dos seis mil empres√°rios ouvidos acham o sistema ruim ou muito ruim, a pior avalia√ß√£o desde 2013. Tamb√©m √© 61% a propor√ß√£o dos empreendedores que n√£o obtiveram cr√©dito junto aos bancos nos √ļltimos cinco anos, sendo que, al√©m da taxas de juros elevadas, os principais motivos apontados para se afastarem dos bancos foram a falta de garantias e de avalistas.

Durante o f√≥rum , o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, anunciou o √ćndice de Cidadania Financeira: “Esse √≠ndice ser√° √ļtil para acompanhar a evolu√ß√£o da cidadania financeira no Brasil, de forma clara e sint√©tica, nas diversas regi√Ķes do pa√≠s e ao longo do tempo. √Č uma proposta inicial que apresentamos como convite para o di√°logo e aperfei√ßoamento”. Ilan tamb√©m lan√ßou uma proposta para o conceito de Cidadania Financeira e o Relat√≥rio de Cidadania Financeira (RCF), que a partir de agora substitui o Relat√≥rio de Inclus√£o Financeira.

Foto: Divulgação

PUBLICIDADE