PUBLICIDADE

esporte

Seleção levará para La Paz um cilindro de ar para cada titular

 

Não existe uma forma de acabar com os efeitos da altitude de La Paz em pouco tempo. Mas é possível minimizá-los. E foi pensando nisso que a comissão técnica da Seleção montou a estratégia para enfrentar a Bolívia, na próxima quinta-feira, nos temidos 3.640 metros da capital boliviana. O Brasil passará apenas oito horas na cidade e levará um cilindro de ar para cada titular, onze no total.

– A altitude assusta muitas pessoas, mais por desconhecimento do que propriamente pela situa√ß√£o. Existem tr√™s efeitos que ela provoca: fisiol√≥gicos, mec√Ęnicos e cl√≠nicos. A nossa estrat√©gia √© para diminuir os cl√≠nicos: dor de cabe√ßa, mal estar… Levaremos o que √© necess√°rio para evitar isso. O que falta l√° em cima √© ar. A densidade √© menor, assim como a quantidade de oxig√™nio que entra no pulm√£o.

‚ÄúVamos levar onze cilindros, um para cada jogador que iniciar o jogo. A ideia √© que os titulares possam usar o oxig√™nio para se recuperar mais rapidamente no intervalo – explicou o fisiologista da Sele√ß√£o‚ÄĚ, disse Luiz Antonio Crescente.

Nesta quarta-feira, a Sele√ß√£o treina pela manh√£ na Granja Comary. O voo fretado para Santa Cruz de la Sierra, cidade a 400 metro do n√≠vel do mar, est√° marcado para 17h30. √Č l√° que a delega√ß√£o vai dormir. A ida para La Paz ser√° apenas na quinta-feira, dia do jogo. Segundo estudos, os efeitos s√≥ ocorrem de seis a oito horas ap√≥s a exposi√ß√£o. A ideia da comiss√£o t√©cnica √© que isso aconte√ßa apenas ap√≥s os 90 minutos.

LOG√ćSTICA CONTRA A ALTITUDE*

  • 14h10 – Chegada em La Paz
    15h20 – Chegada ao est√°dio
    17h РBolívia x Brasil
    20h30 – Jantar
    22h30 – Voo para S√£o Paulo
    *no horário de Brasília

– N√£o √© imediato. Por isso vamos chegar em cima da hora e sairemos depois do jogo. At√© mesmo para acelerar a recupera√ß√£o de olho na partida contra o Chile. Em rela√ß√£o aos efeitos fisiol√≥gicos e mec√Ęnicos, precisar√≠amos de tr√™s semanas a um m√™s. √Č imposs√≠vel. Por isso vamos minimizar os sintomas que sentimos quando estamos l√°. Sabemos que os componentes existem e vamos enfrent√°-los por mais que seja uma rea√ß√£o individual. Alguns v√£o sentir mais, outros nem tanto.

A Seleção tem chegada em La Paz prevista para 14h10 (de Brasília) de quinta-feira, dia do jogo. A bola rola às 17h. O voo para São Paulo está marcado para 22h30. Serão apenas oito horas na cidade, estratégia totalmente diferente da utilizada pela Seleção nos 2.850 metros de Quito.

Explica-se: os 800 metros de diferen√ßa para La Paz fazem muita diferen√ßa. √Č o que Crescente chama de ”altitude m√©dia” e ”altitude grande”. No Equador, em setembro do ano passado, na estreia de Tite, o Brasil chegou tr√™s dias antes. Em campo, nada de problemas e vit√≥ria sobre os donos da casa por 3 a 0.

– Quito √© hoje considerada uma altitude m√©dia. Os efeitos n√£o s√£o t√£o fisiol√≥gicos, e sim mec√Ęnicos: o peso do corpo e da bola. Chegamos tr√™s dias antes e nossa estrat√©gia era fazer eles se adaptarem e sofrerem menos com os efeitos do jogo. La Paz √© diferente, uma grande altitude. O efeito fisiol√≥gico √© maior, a perda de condi√ß√£o de recupera√ß√£o √© maior. Tr√™s dias n√£o serviriam para nada – analisou Crescente.

 

Foto: Reprodução

Fonte: GE/ESPN

PUBLICIDADE