PUBLICIDADE

economia

Presidente do BC diz que o pior da inflação já passou

O presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, disse que ‚Äúo pior momento da infla√ß√£o j√° passou‚ÄĚ, e que, gra√ßas ao hist√≥rico de conv√≠vio que o Brasil teve com altos √≠ndices inflacion√°rios, a autoridade monet√°ria brasileira conseguiu ‚Äúsair na frente‚ÄĚ, adotando ferramentas capazes de frear o processo inflacion√°rio.

As afirma√ß√Ķes foram feitas durante o painel Eros√£o da Ordem P√ļblica Internacional e o Futuro, no D√©cimo F√≥rum Jur√≠dico de Lisboa, na capital portuguesa. Durante o discurso, Neto lembrou que o Brasil ‚Äú√© um dos poucos pa√≠ses que no meio desse processo est√° tendo revis√Ķes para cima‚ÄĚ do Produto Interno Bruto (PIB).

‚ÄúInclusive a nossa √ļltima revis√£o no BC aumentou [a previs√£o de crescimento do PIB] de 1,5% para 1,7% [em 2022]. Provavelmente teremos PIB forte no segundo trimestre. Obviamente, em algum momento, tudo que estamos fazendo vai gerar alguma desacelera√ß√£o no segundo semestre. Mas ainda assim o crescimento √© bastante melhor do que se esperava no in√≠cio do ciclo de a√ß√£o‚ÄĚ, disse Campos Neto.

A experi√™ncia que o Brasil tem com o combate √† infla√ß√£o tem ajudado na defini√ß√£o estrat√©gica para amenizar este problema. ‚ÄúComo n√≥s no Brasil entendemos que era problema mais de demanda, na minha opini√£o, at√© um pouco antes dos demais pa√≠ses, o BC do Brasil saiu na frente porque temos mem√≥ria de infla√ß√£o muito maior, e mecanismos de indexa√ß√£o muito mais vivos‚ÄĚ, disse.

Campos Neto ressalta que todos os pa√≠ses est√£o subindo juros e que, enquanto alguns pa√≠ses est√£o no meio do caminho, o Brasil j√° est√° muito perto de ter feito o trabalho todo. ‚ÄúVamos ver ainda alguns pa√≠ses subindo bastante os juros‚ÄĚ, acrescentou.

Ainda segundo Campos Neto, o Brasil ainda apresenta um ‚Äúcomponente de acelera√ß√£o de infla√ß√£o‚ÄĚ. Ele, no entanto, disse acreditar que o pior momento da infla√ß√£o j√° passou. ‚ÄúTemos algumas medidas desenhadas pelo governo que ainda precisamos entender os efeitos delas no processo inflacion√°rio, o que ainda n√£o est√° claro, mas o Brasil fez o processo antecipado e acreditamos que nossa ferramenta √© capaz e vai frear o processo inflacion√°rio‚ÄĚ.

Preços e investimentos

Na avalia√ß√£o do presidente do BC brasileiro, os √≠ndices inflacion√°rios que est√£o sendo registrados em diversos pa√≠ses t√™m como origem uma ‚Äúdesconex√£o entre pre√ßos e investimentos‚ÄĚ que vai al√©m do petr√≥leo, abrangendo tamb√©m os alimentos.

‚ÄúOs governos est√£o enfrentando o dilema de garantir seguran√ßa energ√©tica e alimentar para a popula√ß√£o‚ÄĚ, disse. Nesse sentido, ‚Äúmuitos pa√≠ses, em fun√ß√£o da guerra, est√£o adotando medidas protecionistas que est√£o contaminando o resto da cadeia de infla√ß√£o‚ÄĚ. ‚ÄúE o anseio de gerar seguran√ßa alimentar e energ√©tica dos governos est√° sendo feito de maneira descoordenada e gerando queda de investimento‚ÄĚ, acrescentou.

Segundo Campos Neto, a falta de coordena√ß√£o est√° gerando queda em investimentos tanto em energia quanto em alimentos. ‚ÄúPrecisamos entender que quem produz alimentos e energia n√£o √© o governo, mas o setor privado e que o governo tem de endere√ßar o problema das classes sociais mais baixas, mas n√£o pode se desviar das pr√°ticas de mercado, porque, no final das contas, s√£o os mercados que produzem alimentos e energia‚ÄĚ, completou.

Edição: Aline Leal