PUBLICIDADE

mundo

ONGs criticam Bolsonaro por negar crise ambiental em discurso na ONU

O dis¬≠cur¬≠so do pres¬≠i¬≠dente Jair Bol¬≠sonaro na aber¬≠tu¬≠ra da 75¬™ Assem¬≠bleia-Ger¬≠al das Na√ß√Ķes Unidas, nes¬≠ta ter√ßa-feira, foi crit¬≠i¬≠ca¬≠do por orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√Ķes ambi¬≠en¬≠tais e que tratam de dire¬≠itos ind√≠¬≠ge¬≠nas, por diz¬≠er que a flo¬≠res¬≠ta n√£o queima e que os inc√™n¬≠dios na regi√£o s√£o cau¬≠sa¬≠dos por √≠ndios e ‚Äúcabo¬≠c¬≠los‚ÄĚ.

‚ÄúAo negar simul¬≠tane¬≠a¬≠mente a crise ambi¬≠en¬≠tal e a pan¬≠demia, o pres¬≠i¬≠dente d√° a tril¬≠ha sono¬≠ra para o desin¬≠ves¬≠ti¬≠men¬≠to e o can¬≠ce¬≠la¬≠men¬≠to de acor¬≠dos com¬≠er¬≠ci¬≠ais no momen¬≠to cr√≠ti¬≠co de recu¬≠per¬≠a√ß√£o econ√īmi¬≠ca p√≥s-Covid‚ÄĚ, disse em nota o orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o Obser¬≠vat√≥rio do Cli¬≠ma, que reune ONGs de defe¬≠sa do Meio Ambi¬≠ente.

Para o Green­peace, o dis­cur­so do pres­i­dente min­i­miza e nega a situ­ação ambi­en­tal que o Brasil vive e agra­va a situ­ação.

‚ÄúLamen¬≠tavel¬≠mente, j√° esta¬≠mos habit¬≠u¬≠a¬≠dos a ouvir o pres¬≠i¬≠dente fal¬≠tar com a ver¬≠dade, desqual¬≠i¬≠ficar a ci√™n¬≠cia e bus¬≠car cul¬≠pa¬≠bi¬≠lizar ter¬≠ceiros em vez de assumir a respon¬≠s¬≠abil¬≠i¬≠dade con¬≠sti¬≠tu¬≠cional que pos¬≠sui‚ÄĚ, disse a orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o em nota.

Cami¬≠la Asano, dire¬≠to¬≠ra de pro¬≠gra¬≠mas da Conec¬≠tas Dire¬≠itos Humanos, diz que ‚Äúsobrou hipocrisia‚ÄĚ no dis¬≠cur¬≠so.

‚ÄúBol¬≠sonaro fez um dis¬≠cur¬≠so desre¬≠speitoso aos l√≠deres mundi¬≠ais em que subes¬≠ti¬≠ma a intelig√™n¬≠cia e n√≠v¬≠el de con¬≠hec¬≠i¬≠men¬≠to e infor¬≠ma√ß√£o de seus pares sobre a crise no Brasil. Ele negou a gravi¬≠dade da destru¬≠i√ß√£o ambi¬≠en¬≠tal, culpou ‚Äėcabo¬≠c¬≠los e √≠ndios‚Äô e ata¬≠cou o tra¬≠bal¬≠ho de orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√Ķes ambi¬≠en¬≠tais‚ÄĚ, disse, tam¬≠b√©m em nota.

O l√≠der do PSB na C√Ęmara, dep¬≠uta¬≠do Alessan¬≠dro Molon (RJ), o pres¬≠i¬≠dente ‚Äúvoltou a men¬≠tir para o mun¬≠do ao afir¬≠mar que h√° uma cam¬≠pan¬≠ha de desin¬≠for¬≠ma√ß√£o sobre a Amaz√ī¬≠nia e Pan¬≠tanal.‚ÄĚ

‚ÄúO que h√° na ver¬≠dade √© uma a√ß√£o sis¬≠tem√°ti¬≠ca do gov¬≠er¬≠no para reduzir a fis¬≠cal¬≠iza¬≠√ß√£o, amea√ßar fis¬≠cais e estim¬≠u¬≠lar ativi¬≠dades ile¬≠gais nestes bio¬≠mas‚ÄĚ, disse.

O dis¬≠cur¬≠so do pres¬≠i¬≠dente entrou entre os assun¬≠tos mais comen¬≠ta¬≠dos do Twit¬≠ter. Entre eles, rea√ß√Ķes con¬≠tr√°rias √† declar¬≠a√ß√£o de Bol¬≠sonaro con¬≠tra o que chamou de ‚Äúcristo¬≠fo¬≠bia‚ÄĚ, uma supos¬≠ta persegui√ß√£o mundi¬≠al a religi√Ķes crist√£s, e com a palavra ‚Äúmen¬≠tiroso‚ÄĚ, de rea√ß√Ķes a diver¬≠sas infor¬≠ma√ß√Ķes inver√≠di¬≠cas citadas pelo pres¬≠i¬≠dente em seu dis¬≠cur¬≠so.

Em sua fala, Bol¬≠sonaro afir¬≠mou que existe uma cam¬≠pan¬≠ha inter¬≠na¬≠cional de desin¬≠for¬≠ma√ß√£o sobre o Brasil que aumen¬≠ta a quest√£o das queimadas na Amaz√ī¬≠nia e no Pan¬≠tanal, com inten√ß√£o de prej¬≠u¬≠dicar o agroneg√≥¬≠cio brasileiro. O pres¬≠i¬≠dente, ao negar as queimadas na Amaz√ī¬≠nia, disse que a flo¬≠res¬≠ta √© √ļmi¬≠da e n√£o per¬≠mite fogo em seu inte¬≠ri¬≠or, e que os inc√™n¬≠dios ocor¬≠rem no entorno da flo¬≠res¬≠ta, cau¬≠sa¬≠dos por √≠ndios e ‚Äúcabo¬≠c¬≠los‚ÄĚ, em √°reas j√° des¬≠matadas. [nL2N2GJ0U1]

Bol­sonaro defend­eu a ação do gov­er­no durante a pan­demia de Covid-19 e voltou a diz­er que não pode agir mais por uma decisão do Supre­mo Tri­bunal Fed­er­al.

O pres¬≠i¬≠dente afir¬≠mou, ain¬≠da, que o gov¬≠er¬≠no brasileiro teria pago cer¬≠ca de mil d√≥lares em aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial para 65 mil¬≠h√Ķes de pes¬≠soas, o que seria o equiv¬≠a¬≠lente, hoje, a 5.400 reais. As qua¬≠tro parce¬≠las de 600 reais mais qua¬≠tro de 300, a serem pagas at√© dezem¬≠bro, somam 3.600 reais. Cer¬≠ca de 20% dos ben¬≠e¬≠fi¬≠ci¬≠a¬≠dos rece¬≠ber¬≠am, na primeira fase, 1.200 por m√™s e podem rece¬≠ber 600 na √ļlti¬≠ma fase, mas as regras tam¬≠b√©m se tornaram mais r√≠gi¬≠da e devem diminuir o n√ļmero de ben¬≠e¬≠fi¬≠ci¬≠a¬≠dos.

DEFESA

J√° o vice-pres¬≠i¬≠dente Hamil¬≠ton Mour√£o saiu em defe¬≠sa do pres¬≠i¬≠dente. Segun¬≠do Mour√£o, Bol¬≠sonaro foi claro e did√°ti¬≠co e abor¬≠dou quest√Ķes como o meio ambi¬≠ente ‚Äúden¬≠tro da nos¬≠sa vis√£o.‚ÄĚ

‚ÄúQue existe uma cam¬≠pan¬≠ha de desin¬≠for¬≠ma√ß√£o, existe. Isso a√≠ eu j√° comentei aqui com voc√™s, e com¬≠pete a n√≥s nos con¬≠tra¬≠por¬≠mos. Ago¬≠ra, eu sem¬≠pre deixo claro que a con¬≠tra¬≠posi√ß√£o tem que se dar por duas ver¬≠tentes: uma ver¬≠tente de uma infor¬≠ma√ß√£o qual¬≠i¬≠fi¬≠ca¬≠da e a segun¬≠da ver¬≠tente √© de impedir que ile¬≠gal¬≠i¬≠dades ocor¬≠ram para n√£o dar margem a esse tipo de press√£o‚ÄĚ, disse o vice-pres¬≠i¬≠dente a jor¬≠nal¬≠is¬≠tas no Pal√°¬≠cio do Planal¬≠to.

Bol¬≠sonaro assis¬≠tiu √† trans¬≠mis¬≠s√£o de seu dis¬≠cur¬≠so em seu gabi¬≠nete, no Pal√°¬≠cio do Planal¬≠to, reunido com alguns min¬≠istros e par¬≠la¬≠mentares. Estavam com ele os l√≠deres do gov¬≠er¬≠no na C√Ęmara, Ricar¬≠do Bar¬≠ros (PP-PR), e no Sena¬≠do, Fer¬≠nan¬≠do Bez¬≠er¬≠ra (MDB-PE), o senador Fl√°vio Bol¬≠sonaro (sem par¬≠tido-SP), seu fil¬≠ho, e os min¬≠istros F√°bio Faria, das Comu¬≠ni¬≠ca√ß√Ķes, Ernesto Ara√ļjo, das Rela√ß√Ķes Exte¬≠ri¬≠ores, e Luiz Eduar¬≠do Ramos, da Sec¬≠re¬≠taria de Gov¬≠er¬≠no.

*Com infor¬≠ma√ß√Ķes da Reuters

PUBLICIDADE