PUBLICIDADE

economia

Ibovespa engata alta com exterior mais positivo e atenção ainda voltada a resultados

O Ibovespa engata alta nesta quarta-feira (21) com o noticiário corporativo em foco neste início de temporada de resultados após números positivos apresentados pela Weg (WEGE3), enquanto investidores repercutem os dados de produção da Petrobras (PETR3; PETR4).

Ao mesmo tempo, o mercado segue à espera por um acordo entre republicanos e democratas nos Estados Unidos para um pacote de estímulos contra os impactos econômicos do coronavírus. O assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que as negociações encontraram uma manhã “ensolarada e otimista”. “As coisas estão caminhando em uma direção favorável”, assegurou.

Ontem passou o dia do ultimato feito pela presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi. Contudo, segundo a CNBC, Pelosi e o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, fizeram progresso nas negociações, apesar de ainda ser longo o caminho a percorrer. Os dois se reúnem novamente hoje.

Às 11h55 (horário de Brasília), o Ibovespa tinha alta de 0,58%, aos 101.123 pontos.

Enquanto isso, o dólar comercial cai 0,53% a R$ 5,58 na compra e a R$ 5,581 na venda. O dólar futuro com vencimento em novembro registrava baixa de 0,21%, a R$ 5,597.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe três pontos-base a 3,27%, o DI para janeiro de 2023 avança seis pontos-base a 4,61%, o DI para janeiro de 2025 tem alta de quatro pontos-base a 6,40% e o DI para janeiro de 2027 registra variação positiva de três pontos-base a 7,29%.

Já na Europa, o aumento de casos do coronavírus segue a pauta da vez. Em mais um sinal de alerta, o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, confirmou na terça que o país estuda adotar um toque de recolher nacional.

Cronograma para corte de gastos

Em entrevista publicada nesta quarta-feira no jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) defendeu que governo e lideranças dos partidos fechem um cronograma para votar medidas de corte de gastos.

Essas medidas serviriam para dar tranquilidade fiscal ao país, e viabilizar a adoção de um programa de transferência de recursos em substituição ao Bolsa Família e ao auxílio emergencial, que vem sendo chamado provisoriamente de Renda Cidadã. Maia afirmou que o cronograma deveria ser fechado com “máxima urgência”.

Maia avalia que definir um cronograma e o alcance das medidas de corte de gastos seria uma sinalização importante para investidores.

No início da semana, ativos brasileiros tiveram ganhos após representantes do governo e do Congresso afirmarem compromisso com o teto fiscal, que restringe os gastos do governo. No final de semana, o ministro da Economia Paulo Guedes havia dito que o Brasil continuaria fazendo reformas até o fim, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse ser contra a prorrogação do decreto de calamidade, e afirmou que é preciso encontrar uma forma de viabilizar o Renda Cidadã dentro do teto de gastos.

De acordo com a reportagem publicada nesta quarta pelo Estadão, Maia diz esperar que os dois turnos de votações de cortes de gastos sejam concluídas, na Câmara e no Senado, até 15 de janeiro, caso as discussões se iniciem entre o primeiro turno o segundo, em 25 de novembro. Se as discussões se iniciarem após o segundo turno, ele espera encerrar as votações no final de janeiro de 2021.

Segundo o jornal, o ministro Guedes deseja aprovar medidas de contenção de gastos o mais rápido possível, enquanto o presidente Jair Bolsonaro defende que as discussões sobre o assunto fiquem para depois das eleições municipais, cujo segundo turno está marcado para 29 de novembro.

Dentre as propostas discutidas pelo Congresso e pela equipe econômica estão extinção do abono salarial, corte nos salários e na jornada de servidores públicos, e congelamento de aposentadorias e pensões para quem ganha acima de três salários mínimos.

*Com informações InfoMoney

PUBLICIDADE