PUBLICIDADE

economia

Desigualdade de renda sobe pelo 17¬ļ trimestre e √© recorde

A desigualdade da renda dos trabalhadores seguiu sua trajet√≥ria de crescimento nos primeiros meses deste ano e atingiu seu maior n√≠vel em pelo menos sete anos, mostra um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Funda√ß√£o Get√ļlio Vargas (Ibre/FGV) obtido com exclusividade pelo Valor.

O índice de Gini do rendimento domiciliar per capita do trabalho subiu de 0,625 no quarto trimestre do ano passado para 0,627 no primeiro trimestre deste ano Рo indicador mede a desigualdade numa escala de zero a um, sendo zero a igualdade perfeita. Foi o décimo sétimo aumento trimestral consecutivo do indicador.
 - REVISTA MAISJR

De acordo com o levantamento, o índice do primeiro trimestre estava no maior patamar desde o primeiro trimestre de 2012, início da série histórica. Os cálculos foram feitos a partir dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, divulgada na semana passada. O movimento ocorre apesar de o governo Jair Bolson

O movimento ocorre apesar de o governo Jair Bolsonaro ter fixado o sal√°rio m√≠nimo em R$ 998 a partir de 1¬ļ de janeiro deste ano, aumento real de 1,1% frente ao valor do ano passado. Foi o primeiro ganho real do m√≠nimo em dois anos. O valor √© definido com base na infla√ß√£o pelo INPC e o desempenho do PIB de dois anos anteriores.

O pesquisador de Princeton Marcelo Medeiros diz que não existe uma medida mágica para a redução da disparidade de renda no país. Ele afirma que diversas iniciativas precisam ser adotadas para progressos no curto, médio e longo prazos Рdesde distribuição de renda por políticas sociais até redução de privilégios tributários.

“O trabalhador que est√° hoje no mercado estudou entre as d√©cadas de 70 e 90. √Č claro que tamb√©m temos trabalhadores que estudaram nos anos 2000, mas eles s√£o minoria. N√£o podemos corrigir esse passado, mas podemos investir no futuro”, disse Medeiros, acrescentando que v√™ com preocupa√ß√£o o corte da verba da educa√ß√£o.

Fonte: Valor Econ√īmico