PUBLICIDADE

1.0 - RADAR3.0 - NEG√ďCIOSmundo

Dentro do Pal√°cio

Na √ļltima segunda-feira (17), uma comitiva de empres√°rios da C√Ęmara de Com√©rcio e Ind√ļstria de Dubai fizeram um an√ļncio sobre novas parcerias de neg√≥cios com o Brasil (setores p√ļblicos e privados), no pal√°cio do Governo, em S√£o Paulo (SP), por volta das 15h.

Recentemente, autoridades do Brasil estiveram em Dubai para estreitar rela√ß√Ķes comerciais entre as duas regi√Ķes. A reuni√£o, que acontece na pr√≥xima semana, √© um segundo passo para criar oportunidades de neg√≥cios entre empresas do Brasil e de Dubai.

O President & CEO, Hamad Buamim, explica porque, em um ano de crise internacional e principalmente nacional, Dubai escolheu São Paulo para fazer parcerias?

São Paulo é uma metrópole que está próximo do Rio do Janeiro, outra cidade que muito nos interessa. Não visualizamos que esse momento que vivemos vai perdurar ou atrapalhar os nossos negócios com o Brasil. Estive hoje (17/04) com o prefeito João Doria, que quer transformar essa parceria em dividendos para ambas as partes.

Dubai foca no Brasil para ampliar parcerias estrat√©gicas com os setores p√ļblico e privado do pa√≠s

O Brasil √© o principal parceiro de neg√≥cios de Dubai na Am√©rica Latina, com o com√©rcio n√£o-petrol√≠fero registrado em R$50 bi ($AED 6 bilh√Ķes) em 2016

Em abril, delega√ß√£o de neg√≥cios liderada pela C√Ęmara de Dubai visitar√° pa√≠ses latino-americanos para promover o pa√≠s como um centro de neg√≥cios internacional, criando oportunidades m√ļtuas para ambas as regi√Ķes

A C√Ęmara de Com√©rcio e Ind√ļstria de Dubai est√° liderando uma miss√£o comercial de alto n√≠vel na Am√©rica Latina de 15 a 22 de abril, como parte de sua s√©rie de F√≥rum de Neg√≥cios Globais, que abranger√° Brasil, Paraguai e Argentina. Os objetivos da miss√£o s√£o aumentar a coopera√ß√£o econ√īmica entre a Am√©rica Latina e Dubai e promover o Emirado como um centro de com√©rcio e investimento atraente na regi√£o.

A delega√ß√£o √© composta por empres√°rios, investidores, tomadores de decis√£o, e funcion√°rios l√≠deres dos Emirados √Ārabes Unidos. Os delegados se reunir√£o com representantes dos setores p√ļblico e privado dos pa√≠ses latino-americanos para discutir sinergias entre a regi√£o e Dubai, e explorar novas oportunidades em v√°rios setores priorit√°rios, incluindo log√≠stica, agroneg√≥cio, manufatura, energia renov√°vel e turismo. Atualmente, a C√Ęmara de Dubai √© uma das maiores c√Ęmaras globais em termos de ades√£o, e conta com mais de 200.000 empresas registradas.

“Estamos otimistas em rela√ß√£o √† nossa miss√£o comercial para a Am√©rica Latina, o Brasil √© o principal parceiro de neg√≥cios da regi√£o e o com√©rcio n√£o-petrol√≠fero registrou cerca de R$50 bilh√Ķes em 2016. Nossa inten√ß√£o √© trocar ideias e estreitar a coopera√ß√£o entre as duas regi√Ķes, encontrando novas formas de desenvolver neg√≥cios e solu√ß√Ķes. O Brasil √© um pa√≠s com enormes oportunidades para as empresas de Dubai”, disse Majid Al Ghurair, Presidente da C√Ęmara de Com√©rcio e Ind√ļstria de Dubai.

Na capital paulista, no dia 17 de abril, os membros da delega√ß√£o da C√Ęmara ter√£o um encontro com autoridades da prefeitura de S√£o Paulo, como o prefeito Jo√£o Doria e os secret√°rios Julio Serson (Assuntos Internacionais) e Wilson Poit (Privatiza√ß√Ķes e Parcerias). Em seguida, a delega√ß√£o ter√° uma reuni√£o com representantes da FIESP; Francisco Luna, Gerente do Escrit√≥rio da Apex-Brasil (Ag√™ncia Brasileira de Promo√ß√£o de Exporta√ß√Ķes e Investimentos) em S√£o Paulo, e um grupo de executivos de empresas brasileiras.

Na parte da tarde, os membros da C√Ęmara de Dubai se encontrar√£o com Marcio Fran√ßa, vice-governador e secret√°rio de Desenvolvimento Econ√īmico, Ci√™ncia, Tecnologia e Inova√ß√£o do estado e S√©rgio Costa, Diretor Executivo da Investe S√£o Paulo, ag√™ncia de promo√ß√£o de investimentos ligada √† pasta.

‚ÄúN√≥s j√° realizamos algumas miss√Ķes para Dubai, e temos estreitado cada vez mais as liga√ß√Ķes com representantes da regi√£o para que seus investidores saibam que podem contar com nosso apoio gratuito para estabelecer uma base em S√£o Paulo que possa servir toda a Am√©rica Latina. Tamb√©m temos ajudado as pequenas e m√©dias empresas paulistas a estarem atentos para os mercados que podem ser bons para seus produtos l√°‚ÄĚ, afirma Costa.

Durante o evento, a delega√ß√£o vai anunciar uma iniciativa para refor√ßar os la√ßos bilaterais entre os Emirados e empresas da Am√©rica Latina. A delega√ß√£o de Dubai tamb√©m promover√° o Global Business Forum na Am√©rica Latina, que foi inaugurado em novembro de 2016 e tem como objetivo explorar oportunidades m√ļtuas e apoiar as empresas de Dubai a entrarem nos mercados latino-americanos, al√©m de atrair mais empresas do continente americano para os Emirados √Ārabes Unidos.

Descubra os principais setores que devem gerar oportunidades de neg√≥cios entre os Emirados √Ārabes Unidos e o Brasil

O Brasil teve resultados positivos em uma série de setores de mercado que despertaram o interesse dos investidores dos EAU, conheça os principais segmentos:

Logística

Em junho de 2015, o Brasil apresentou um novo programa de concess√Ķes de infraestrutura, que pretende atrair US $ 64 bilh√Ķes em investimentos nos pr√≥ximos cinco anos para atualizar e operar estradas, ferrovias, portos e aeroportos em 20 estados do Brasil.

Energia Renov√°vel

Em 2015, o setor de energia renov√°vel do pa√≠s foi o maior receptor de investimentos na Am√©rica Latina e entre os 10 melhores do mundo (7¬™ posi√ß√£o) com valor de mais de R$21 bilh√Ķes. Embora esse valor esteja em torno de 10% abaixo dos investimentos do ano passado; um recorde de mais de R$15 bilh√Ķes foi para o financiamento de ativos e√≥licos, enquanto os financiamentos de projetos solares chegaram a US $ 657 milh√Ķes, um recorde tamb√©m, que, potencialmente marca o in√≠cio de um grande novo mercado para c√©lulas solares.

Turismo

A capacidade atual dos hot√©is no Brasil situa-se em 94.000 quartos e espera-se um aumento substancial de 74,5%, para chegar a 164 mil quartos, em 2020. O pa√≠s atraiu 6,4 milh√Ķes de turistas estrangeiros em 2014 e o Minist√©rio do Turismo afirmou que cerca de US $ 4 bilh√Ķes de investimentos no setor seria necess√°rio nos pr√≥ximos anos para acompanhar o crescimento das chegadas de turistas.

Agronegócio

As exporta√ß√Ķes do agroneg√≥cio brasileiro para o mundo alcan√ßaram mais de R$240 bilh√Ķes em 2015 e o pa√≠s pretende expandir sua participa√ß√£o no com√©rcio agr√≠cola mundial de 7% para 10%. Fatores fundamentais continuam a ser muito atrativos para a ind√ļstria de agroneg√≥cio local, especialmente com a recente queda do Real, diminuindo os custos de produ√ß√£o. Ao longo dos esfor√ßos governamentais, o Instituto Brasileiro de Pesquisa Agr√≠cola abriu recentemente um novo departamento de P & D dedicado aos “alimentos funcionais”, que ajudam a melhorar a sa√ļde e prevenir doen√ßas como iogurtes, bebidas probi√≥ticas, bebidas esportivas, p√£o integral e √°gua de coco.

Manufatura

A ind√ļstria automotiva brasileira atraiu 8% das entradas de IED em 2015, enquanto a ind√ļstria qu√≠mica atraiu outros 4%. Vale ressaltar tamb√©m que o Brasil est√° se promovendo cada vez mais na fabrica√ß√£o de t√™xteis, aeron√°utica, produtos farmac√™uticos e metais.

Fotos: Sérgio Liberado

PUBLICIDADE