PUBLICIDADE

Mercado

Dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn podem estar à venda na internet

Menos de uma semana depois da notícia do vazamento de dados do Facebook, há um novo caso de segurança em redes sociais — desta vez o problema aconteceu no LinkedIn. Dados de 500 milhões de usuários da plataforma estão à venda online em fóruns de hackers, segundo o site Cyber ??News, especializado na investigação de ameaças à segurança digital.

O número significa que cerca de dois terços da base de usuários do LinkedIn podem ter sido afetados: o site da empresa afirma que a plataforma tem hoje 740 milhões de usuários.

Procurado pelo Estadão, o LinkedIn afirmou que ainda está investigando o caso. “O conjunto de dados postado parece incluir informações publicamente visíveis que foram extraídas do LinkedIn e combinadas com dados agregados de outros sites ou empresas”, disse a empresa. O LinkedIn não respondeu se há brasileiros entre os afetados.

Os pesquisadores do Cyber ??News afirmam que os dados expostos incluem identificação de contas, nomes completos, endereços de e-mail, números de telefone, informações sobre o local de trabalho, gêneros e links para outras contas de redes sociais. Eles disseram também que os dados foram mesmo coletados de usuários do LinkedIn, mas ressaltaram que as informações poderiam ter sido obtidas dos perfis em uma data mais antiga, e não recentemente.

*Com informações da Agência Estado

PUBLICIDADE