PUBLICIDADE

7.0 - MANUALsa√ļde

Cigarro prejudica circulação sanguínea e aumenta o risco de trombose e arteriosclerose

Mais de 4.000 compostos qu√≠micos (muitos deles t√≥xicos), incluindo a nicotina, o mon√≥xido de carbono, a acrole√≠na e outros oxidantes: essa √© a composi√ß√£o da fuma√ßa de cigarro, cuja exposi√ß√£o constante induz a m√ļltiplos efeitos patol√≥gicos no organismo, causados pelo estresse oxidativo das c√©lulas. ‚ÄúOs efeitos adversos do cigarro s√£o muitos e, no caso da sa√ļde das veias, o fumo tamb√©m afeta principalmente a circula√ß√£o e isso favorece o aparecimento de processos de trombose (com entupimento dos vasos e que pode levar √† morte), principalmente quando associado a fatores de risco‚ÄĚ, afirma a cirurgi√£ vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Por conta de todas as doen√ßas associadas, o tabagismo √©, segundo a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS), a principal causa de morte evit√°vel no mundo.

Normalmente relacionado ao aumento da probabilidade de desenvolver infarto, o cigarro tamb√©m pode causar problemas circulat√≥rios como arteriosclerose (envolvendo as art√©rias da perna) e tromboangeite obliterante ‚Äď dist√ļrbio que afeta as extremidades do corpo. ‚ÄúEm ambos os casos, h√° riscos de ter de amputar o membro (como pernas, p√©s e m√£os)‚ÄĚ, explica.

A m√©dica enfatiza que a nicotina est√° ligada √† diminui√ß√£o da espessura dos vasos sangu√≠neos. ‚ÄúAl√©m disso, o mon√≥xido de carbono oferece um fator adicional de risco ao diminuir a concentra√ß√£o de oxig√™nio no sangue. Todo esse processo pode causar complica√ß√Ķes para o normal funcionamento dos vasos, que ficam mais suscept√≠veis ao entupimento, podendo levar a processos de trombose principalmente quando h√° fatores de risco envolvidos‚ÄĚ, afirma a m√©dica. A trombose √© um termo que se refere √† condi√ß√£o na qual h√° o desenvolvimento de um ‚Äėtrombo‚Äô, um co√°gulo sangu√≠neo, nas veias das pernas e coxas. Esse trombo entope a passagem do sangue. Os principais fatores de risco s√£o: dor na perna, obesidade, uso de horm√īnios (p√≠lula anticoncepcional), portadores de qualquer tipo de c√Ęncer, portadores de Trombofilias (doen√ßa do sangue que deixa maior predisposi√ß√£o a coagula√ß√£o sangu√≠nea) e qualquer condi√ß√£o que aumente a imobiliza√ß√£o (gesso, deficientes f√≠sicos, fraturas), gestantes e idosos.

Alguns estudos tamb√©m sugerem que a exposi√ß√£o √† fuma√ßa do cigarro resulta na ativa√ß√£o das plaquetas e estimula√ß√£o da cascata de coagula√ß√£o, por isso h√° um aumento na incid√™ncia de trombose arterial em fumantes. ‚ÄúAo mesmo tempo, as propriedades anticoagulantes naturais s√£o significativamente diminu√≠das‚ÄĚ, comenta.

Outra complica√ß√£o do cigarro √© que o ele dificulta o importante papel do sangue no processo de cicatriza√ß√£o, ap√≥s cirurgias e procedimentos. ‚ÄúO vaso mais estreito tem um fluxo menor de sangue e o suprimento de oxig√™nio aos tecidos √© afetado. Isso dificulta a cicatriza√ß√£o e pode causar at√© necrose de pele. V√°rias subst√Ęncias no cigarro dificultam a forma√ß√£o de fibroblastos, c√©lulas ligadas ao processo cicatricial‚ÄĚ, comenta.

A angiologista alerta que, para os fumantes, o acompanhamento médico é fundamental para impedir que as doenças apareçam ou progridam.

PUBLICIDADE