PUBLICIDADE

Mercado

Celulares podem ajudar no combate a fraudes em bombas de combustíveis

Provar materialmente¬†¬†fraudes nas bombas de postos de combust√≠veis ¬†√© algo que envolve equipamentos e procedimentos complexos, al√©m de apreens√Ķes¬†in loco¬†e an√°lises laboratoriais. Em breve, tudo isso poder√° ser substitu√≠do por um clique de celular, dado por qualquer consumidor.

Basicamente, o equipamento a ser instalado na bomba é composto por um hardware que faz a leitura de um transdutor óptico capaz de contar a quantidade de combustível que é apresentada no display da bomba. A garantia de que a bomba de combustível está correta é dada por uma assinatura digital que poderá ser checada por meio do bluetooth dos celulares. A violação dessa assinatura comprova a fraude.

Para se ter uma ideia de como s√£o praticadas fraudes nas bombas de combust√≠veis, a cada ano cerca de 20 mil casos s√£o autuados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) ‚Äď n√ļmero que fica ainda mais impressionante se for levado em conta a complexidade para se conseguir evidenciar esse tipo de pr√°tica fraudulenta.

‚ÄúAs bombas medidoras de combust√≠veis possuem eletr√īnica bastante complexa, com placas de circuitos e¬†software¬†(programa de computador) que s√£o vulner√°veis a modifica√ß√Ķes, sendo quase imposs√≠vel, ao fiscal, verific√°-las em campo. Em muitos casos s√£o necess√°rias an√°lises laboratoriais para produzirmos provas materiais contra os infratores‚ÄĚ, afirmou √†¬†Ag√™ncia Brasil¬†o chefe da Divis√£o de Metrologia em Tecnologia da Informa√ß√£o e Telecomunica√ß√Ķes do Inmetro, Rodolfo Saboia.

Citando levantamento divulgado pela Federa√ß√£o Nacional do Com√©rcio de Combust√≠veis e de Lubrificantes (Fecombust√≠veis), o chefe da Divis√£o de Gest√£o T√©cnica do Inmetro, Bruno de Carvalho, disse que ‚Äúas fraudes em bombas movimentam mais de R$ 20 bilh√Ķes a cada ano‚ÄĚ.

Certificação digital

Para resolver ‚Äď ou, pelo menos, amenizar ‚Äď esse problema, o Inmetro est√° adaptando e implementando uma tecnologia que, h√° muito, j√° vinha sendo usada para dar seguran√ßa √†s transa√ß√Ķes feitas pela internet: a certifica√ß√£o digital.

‚ÄúNas bombas de combust√≠veis, o componente que faz a transforma√ß√£o da informa√ß√£o de medi√ß√£o, em sinal el√©trico, √© conhecido como¬†transdutor¬†[pulser]. Ele cont√©m um¬†chip¬†criptogr√°fico com um certificado digital. Desta forma, toda informa√ß√£o de medi√ß√£o que sai do¬†pulser¬†√© assinada digitalmente, ficando imposs√≠vel sua adultera√ß√£o, sem que essa assinatura seja invalidada‚ÄĚ, detalha Rodolfo Saboia.

Para agregar ainda mais seguran√ßa ao processo, os certificados digitais estar√£o vinculados √† Infraestrutura de Chaves P√ļblicas Brasileira (ICP-Brasil), cadeia hier√°rquica de confian√ßa coordenada pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informa√ß√£o (ITI), que viabiliza a emiss√£o de certificados digitais para identifica√ß√£o virtual do cidad√£o em documentos como o e-CPF (Cadastro de Pessoa F√≠sica). O pedido de credenciamento ‚Äď que tornar√° o Inmetro autoridade certificadora de primeiro n√≠vel na cadeia do ITI, para a ado√ß√£o do equipamento ‚Äď ainda est√° sob an√°lise do instituto. A expectativa √© de que essa aprova√ß√£o ocorra ainda neste semestre.

‚ÄúNa pr√°tica, o certificado digital ICP-Brasil funciona como uma identidade na rede mundial de computadores, garantindo a identifica√ß√£o inequ√≠voca dos seus titulares e dando aos atos praticados por meio dele a mesma validade jur√≠dica daqueles que assinamos e reconhecemos firma em cart√≥rio‚ÄĚ, detalhou o presidente-executivo da Associa√ß√£o das Autoridades de Registro do Brasil (AARB), Edmar Ara√ļjo.

Identificação imediata

Saboia disse, tamb√©m, que o principal ganho com a assinatura digital da informa√ß√£o de medi√ß√£o √© a ‚Äúr√°pida identifica√ß√£o de uma eventual fraude‚ÄĚ. ‚ÄúAtualmente, para identificar uma fraude eletr√īnica em uma bomba de combust√≠vel √© necess√°rio apreender as placas eletr√īnicas das bombas e levar para an√°lise em laborat√≥rio. Esta an√°lise pode levar semanas. Com a assinatura digital, em poucos minutos, por meio de interface ou aplicativo de¬†smartfhone, ser√° poss√≠vel – a fiscais e consumidores – checar se a assinatura √© v√°lida. Se a assinatura n√£o for v√°lida, significa que a bomba foi fraudada‚ÄĚ, argumentou.

Com as medi√ß√Ķes anal√≥gicas dando lugar √†s digitais, sua utilidade poder√° abranger fraudes envolvendo pesos e medidas que v√£o al√©m das praticadas por postos de combust√≠veis mal intencionados. Segundo o presidente da AARB, ‚Äúo certificado ser√° destinado exclusivamente a objetos metrol√≥gicos regulados pelo Inmetro, mas √© poss√≠vel que seja tamb√©m utilizado para controle de outros equipamentos, como balan√ßas e rel√≥gios medidores de energia el√©trica‚ÄĚ.

Ara√ļjo estima que ainda no segundo semestre de 2021 tudo esteja operacionalizado para que as bombas de combust√≠veis comecem a ser certificadas.

Protótipos

Segundo o Inmetro, as ind√ļstrias j√° est√£o finalizando o desenvolvimento de prot√≥tipos para que a tecnologia seja colocada em pr√°tica. ‚ÄúRestam ainda algumas d√ļvidas normais de implementa√ß√£o, que est√£o sendo sanadas com aux√≠lio da equipe do Inmetro‚ÄĚ, disse Saboia.

Depois disso, os modelos de bomba ser√£o enviados a laborat√≥rios acreditados para a realiza√ß√£o dos testes laboratoriais necess√°rios para a aprova√ß√£o de modelo dos instrumentos. ‚ÄúUma vez aprovado pelo Inmetro, as ind√ļstrias j√° estar√£o autorizadas a comercializar seus instrumentos‚ÄĚ, complementa Bruno de Carvalho.

Aplicativo

A fiscalização das bombas poderá ser feita por meio de um aplicativo para smartphones, a ser disponibilizado pelo Inmetro. A ideia é fazer com que eles se conectem com as bombas de combustíveis por meio de bluetooth, de forma a verificar se a assinatura digital da bomba foi violada. Caso tenha sido violada, a informação é imediatamente encaminhada ao Inmetro via internet.

‚ÄúAs bombas de combust√≠vel dever√£o ter informa√ß√Ķes sobre sua identidade ‚Äď como o endere√ßo do posto, sua data de fabrica√ß√£o e se o certificado metrol√≥gico ICP-Brasil est√° instalado ‚Äď dispon√≠veis a qualquer pessoa‚ÄĚ, detalhou Ara√ļjo.

Segundo o Inmetro, a ideia inicial era a de que a tecnologia servisse apenas para os fiscais. No entanto, ao identificarem como ser√° simples o processo, optou-se por estender a ferramenta aos usu√°rios.

‚ÄúCom o aplicativo, todos ser√£o nossos olhos nos postos de combust√≠veis, o que empoderar√° o consumidor. Basta ligar o¬†bluetooth¬†para captar os dados da bomba e saber se h√° alguma inconsist√™ncia na assinatura digital. Quanto √† transmiss√£o, ela pode ser feita automaticamente, assim que se tiver acesso √† internet‚ÄĚ, finalizou Saboia.

Edição: Kleber Sampaio

PUBLICIDADE