PUBLICIDADE

s√£o paulo

Quarentena no Estado de São Paulo vai até o dia 31.05

Nes¬≠ta sex¬≠ta-feira (8), durante cole¬≠ti¬≠va de impren¬≠sa, o Gov¬≠er¬≠nador Jo√£o D√≥ria infor¬≠mou que a quar¬≠ente¬≠na em todo o Esta¬≠do foi pror¬≠ro¬≠ga¬≠da para at√© o dia 31.05.  ‚ÄúTemos que respeitar e amar a vida. Respeitar aqui¬≠lo que de mais nobre recebe¬≠mos dos nos¬≠sos pais. A exist√™n¬≠cia. A decis√£o √© pela vida‚ÄĚ.

Con¬≠sel¬≠ho Munic¬≠i¬≠pal¬≠ista 

Durante a ocasi√£o, foi  lan√ßa¬≠do o Con¬≠sel¬≠ho Munic¬≠i¬≠pal¬≠ista, entre o Gov¬≠er¬≠no de S√£o Paulo e as Prefeituras para ampli¬≠ar o di√°l¬≠o¬≠go e a√ß√Ķes. Con¬≠forme o Secret√°rio de Desen¬≠volvi¬≠men¬≠to Region¬≠al, Mar¬≠co Vin¬≠holi, as reuni√Ķes ser√£o sem¬≠anais afim de dis¬≠cu¬≠tir as medi¬≠das de enfrenta¬≠men¬≠to ao v√≠rus, que tem cresci¬≠do no inte¬≠ri¬≠or do esta¬≠do. O obje¬≠ti¬≠vo √© ampli¬≠ar o di√°l¬≠o¬≠go e pactu¬≠a√ß√£o das a√ß√Ķes.

‚ÄúSobre os recur¬≠sos mate¬≠ri¬≠ais para a Baix¬≠a¬≠da San¬≠tista,  com a cri¬≠a√ß√£o deste, h√° um for¬≠t¬≠alec¬≠i¬≠men¬≠to maior. Faz com que a tro¬≠ca expe¬≠ri¬≠en¬≠cial seja mais r√°p¬≠i¬≠da. Deve agilizar proces¬≠sos e infor¬≠ma√ß√Ķes‚ÄĚ, diz D√≥ria.

Sa√ļde

‚ÄúPoder√≠amos chegar a 700 mil casos  da Covid-19 no dia de hoje se nada fos¬≠se feito. A par¬≠tir de 13.03, e na sequ√™n¬≠cia, at√© a ampli¬≠tude total destas medi¬≠das‚ÄĚ. Hoje, o Esta¬≠do reg¬≠ista 41.830 casos da doen√ßa, diz Dr. Dimas Covas, dire¬≠tor do Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠t√£.

‚ÄúN√≥s t√≠n¬≠hamos dois cen√°rios tra√ßa¬≠dos. Um mais otimista e out¬≠ro mais pes¬≠simista. No mais pes¬≠simista, feliz¬≠mente, tomou um rumo difer¬≠ente. Hoje esta¬≠mos com um cen√°rio ain¬≠da muito pre¬≠ocu¬≠pante. Poupamos neste per√≠o¬≠do 40 mil vidas em vir¬≠tude destas medi¬≠das. Esta pro¬≠gress√£o est√° em uma veloci¬≠dade 4 vezes maior do que era o pre¬≠vis¬≠to‚ÄĚ.

Hoje o Esta­do con­tabi­liza 3.206 mortes des­de o iní­cio da pan­demia (Crédi­to: Divul­gação)

Con¬≠forme Dr.Dimas, na Grande S√£o Paulo, a taxa de ocu¬≠pa√ß√£o de leitos √© de 90%. ‚ÄúNo Esta¬≠do de S√£o Paulo √© 70%. √Č impor¬≠tante fris¬≠ar que j√° est√° ocor¬≠ren¬≠do a ampli¬≠a√ß√£o dos leitos. Os 41.830 casos con¬≠fir¬≠ma¬≠dos s√£o uma fotografia do pas¬≠sa¬≠do. S√£o casos de 2 sem¬≠anas, 3 sem¬≠anas atr√°s. Com base nes¬≠tas tend√™n¬≠cias, esta cur¬≠va pro¬≠je¬≠ta¬≠da at√© entre 90 e 100 mil casos. N√≥s n√£o con¬≠seguimos alter√°-la com as medi¬≠das que n√≥s tomamos hoje. Vamos come√ßar a ter poder de alter¬≠ar a cur¬≠va a par¬≠tir de 2 sem¬≠anas. Podemos chegar entre 90 mil e 10 mil casos. Isso con¬≠sideran¬≠do o iso¬≠la¬≠men¬≠to social‚ÄĚ.

Os espe¬≠cial¬≠is¬≠tas expli¬≠cam que o ide¬≠al √© de que as medi¬≠das de iso¬≠la¬≠men¬≠to no Esta¬≠do sejam entre 55% e 60%. No momen¬≠to, os n√ļmeros s√£o infe¬≠ri¬≠ores a estes apon¬≠ta¬≠men¬≠tos.

Iso¬≠la¬≠men¬≠to social x ativi¬≠dade econ√īmi¬≠ca

‚ÄúGostaria de chamar a aten√ß√£o de todos para alguns aspec¬≠tos rel¬≠e¬≠vantes que foram colo¬≠ca¬≠dos e o que impacta na ativi¬≠dade econ√īmi¬≠ca. Existe um equ√≠vo¬≠co de que o iso¬≠la¬≠men¬≠to social √© que est√° cau¬≠san¬≠do a crise econ√īmi¬≠ca. N√£o √©. A crise √© cau¬≠sa¬≠da pela pan¬≠demia. Parece √≥bvio, mas no dis¬≠cur¬≠so de muitos e a√ß√Ķes de muitos, est√£o agin¬≠do con¬≠tra a dire√ß√£o con¬≠tr√°ria‚ÄĚ, diz o secret√°rio da Fazen¬≠da e Plane¬≠ja¬≠men¬≠to do Esta¬≠do de S√£o Paulo, Hen¬≠rique Meirelles.

‚ÄúO setor mais afe¬≠ta¬≠do pela crise foi servi√ßos dom√©s¬≠ti¬≠cos. O que afe¬≠ta a econo¬≠mia √© a pan¬≠demia. N√£o s√£o as medi¬≠das para com¬≠bate-las. Os resul¬≠ta¬≠dos das expe¬≠ri¬≠en¬≠cias de pa√≠s¬≠es que j√° pas¬≠saram pelo pico, come√ßa a retomar depois que se pas¬≠sa o pico. O iso¬≠la¬≠men¬≠to social tem o obje¬≠ti¬≠vo de com¬≠bat¬≠er, e con¬≠se¬≠quente¬≠mente, ben¬≠e¬≠fi¬≠cia a econo¬≠mia‚ÄĚ.

‚ÄúExpe¬≠ri¬≠en¬≠cias hist√≥ri¬≠c¬≠as enfa¬≠ti¬≠zam isso. Local¬≠i¬≠dades que ado¬≠taram a quar¬≠ente¬≠na foram os que se recu¬≠per¬≠aram mais rap¬≠i¬≠da¬≠mente. Temos que sim, faz¬≠er a exten¬≠s√£o da quar¬≠ente¬≠na, da maneira mais rig¬≠orosa o pos¬≠s√≠v¬≠el. √Č impor¬≠tante que, n√£o s√≥ por isso, mas √© uma quest√£o obje¬≠ti¬≠va. Quan¬≠to mais r√°p¬≠i¬≠da con¬≠tro¬≠la¬≠da, mais r√°pi¬≠do saire¬≠mos da crise‚ÄĚ.

‚ÄúUm exem¬≠p¬≠lo atu¬≠al, inde¬≠pen¬≠dente de expe¬≠ri¬≠en¬≠cias de out¬≠ros pa√≠s¬≠es, pa√≠s¬≠es que demor¬≠aram para ado¬≠tar com rig¬≠or a quar¬≠ente¬≠na, como √© o caso do Reino Unido, diz que espera uma que¬≠da de pro¬≠du¬≠to de 14%. Quan¬≠to mais basea¬≠da em dados cien¬≠t√≠¬≠fi¬≠cos, mel¬≠hor e mais r√°pi¬≠do, vamos vencer a pan¬≠demia. Este sequen¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to √© fun¬≠da¬≠men¬≠tal‚ÄĚ.

‚ÄúEsta¬≠mos pron¬≠tos para colo¬≠car o plano  em vig¬≠or no momen¬≠to que os indi¬≠cadores de sa√ļde indi¬≠carem que √© a hora cer¬≠ta. A ideia √© elab¬≠o¬≠rar fras¬≠es de flex¬≠i¬≠bi¬≠liza¬≠√ß√£o. Ser√£o deter¬≠mi¬≠nadas e pri¬≠or¬≠izadas de acor¬≠do com os setores que esta¬≠mos tra¬≠bal¬≠han¬≠do e definin¬≠do como setores cr√≠ti¬≠cos. Tan¬≠to pelo impacto da crise da pan¬≠demia, de emprego e infor¬≠mal¬≠i¬≠dade. Pre¬≠cisamos garan¬≠tir empre¬≠gos em nos¬≠so Pa√≠s, afim de que as ativi¬≠dades voltem a nor¬≠mal¬≠i¬≠dade de for¬≠ma pri¬≠or¬≠it√°ria, infor¬≠ma Ana Car¬≠la Abr√£o, coor¬≠de¬≠nado¬≠ra do Con¬≠sel¬≠ho Econ√īmi¬≠co do Esta¬≠do de S√£o Paulo.

Ana Car¬≠la Abr√£o apon¬≠ta no gr√°¬≠fi¬≠co os setores que foram mais prej¬≠u¬≠di¬≠ca¬≠dos com a pan¬≠demia (Cr√©di¬≠to: Divul¬≠ga√ß√£o) 

‚ÄúA flex¬≠i¬≠bi¬≠liza¬≠√ß√£o dos setores de trans¬≠portes e edu¬≠ca√ß√£o ‚ÄĒ estes dois aspec¬≠tos s√£o impor¬≠tantes para que as pes¬≠soas pos¬≠sam sair de casa com segu¬≠ran√ßa. As pes¬≠soas pre¬≠cisam ter onde deixar os seus fil¬≠hos para que elas pos¬≠sam ter a disponi¬≠bil¬≠i¬≠dade de ir ao tra¬≠bal¬≠ho. Na primeira fase, os pro¬≠to¬≠co¬≠los s√£o mais r√≠gi¬≠dos, e ten¬≠der√£o a ser flex¬≠i¬≠bi¬≠liza¬≠dos, sem¬≠pre de acor¬≠do com o olhar da sa√ļde. S√£o divi¬≠di¬≠dos em dire¬≠trizes. Alguns s√£o padr√£o. Out¬≠ros para cada setor. Chegare¬≠mos com 277 dire¬≠trizes dis¬≠tin¬≠tas e elab¬≠o¬≠radas com a cus¬≠tomiza¬≠√ß√£o necess√°ria para cada setor‚ÄĚ.

‚ÄúExis¬≠tem v√°rios destes setores que est√£o aber¬≠tos de for¬≠ma legal. Dom√©s¬≠ti¬≠cos e con¬≠stru√ß√£o civ¬≠il, por exem¬≠p¬≠lo. Mas exis¬≠tem restri√ß√Ķes com¬≠por¬≠ta¬≠men¬≠tais. As pes¬≠soas est√£o com medo. √Č impor¬≠tante ter¬≠mos estes indi¬≠cadores de sa√ļde para que n√≥s pos¬≠samos con¬≠seguir uma respos¬≠ta pos¬≠i¬≠ti¬≠va das restri√ß√Ķes com¬≠por¬≠ta¬≠men¬≠tais e opera¬≠cionais‚ÄĚ.

Ameaças

Des¬≠de que a Prefeitu¬≠ra de S√£o Paulo lim¬≠i¬≠tou  a cir¬≠cu¬≠la√ß√£o de car¬≠ros na cidade por meio de um esque¬≠ma de um rod√≠zio ampli¬≠a¬≠do e mais restri¬≠ti¬≠vo, anun¬≠ci¬≠a¬≠da na √ļlti¬≠ma quin¬≠ta-feira (7), o Gov¬≠er¬≠nador Bruno Covas, declar¬≠ou que pas¬≠sou a rece¬≠ber uma s√©rie de ame√ßas nas redes soci¬≠ais. ‚ÄúN√£o vamos retro¬≠ced¬≠er nen¬≠hum mil√≠metro. As nos¬≠sas decis√Ķes s√£o para sal¬≠var vidas. A Prefeitu¬≠ra segue no cam¬≠in¬≠ho do bem e na defe¬≠sa da vida. Tudo o que estiv¬≠er ao nos¬≠so alcance ser√° feito. Vamos cor¬≠rigin¬≠do as medi¬≠das erradas e toman¬≠do as necess√°rias para poder¬≠mos sal¬≠var vidas. E garan¬≠tir, o mais impor¬≠tante, neste momen¬≠to que √© o aces¬≠so da pop¬≠u¬≠la√ß√£o mais vul¬≠ner√°v¬≠el a sa√ļde p√ļbli¬≠ca. Por isso esta¬≠mos qua¬≠dru¬≠pli¬≠can¬≠do o n√ļmero de leitos de UTI, inclu¬≠sive, fazen¬≠do parce¬≠rias com o setor pri¬≠va¬≠do‚ÄĚ.

 

 

PUBLICIDADE