entretenimentomúsica

Levantamento aponta grande procura por bandas de rock na internet

A SEMrush, líder global de marketing digital, mapeou o volume médio de pesquisas das principais bandas de rock em ferramentas de pesquisa como Google e Bing nos últimos seis meses. Surpreendentemente (ou não), os paulistanos do Titãs lideram a lista (941 mil buscas). Formada no começo da década de 1980, a banda diversas fases e revelou grandes nomes da música brasileira como Arnaldo Antunes e Nando Reis. Recentemente, com a saída de Paulo Miklos, o grupo se apresenta com Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto.

Antes fazendo o chamado rock alternativo, o Coldplay foi o segundo colocado com 818 mil pesquisas. A banda já passou por diversos gêneros musicais e atualmente segue a linha do pop com os últimos lançamento, como “Something Just like This”, colaboração a dupla Chainsmokers. Na terceira posição, ficou a banda Linkin Park (729 mil). Muito popular nos anos 2000 com músicas como “In the End”. Muito se comenta sobre o futuro da banda depois do suicídio de Chester Bennington, líder da banda, no ano passado.

Bon Jovi, de Jon Bon Jovi, alcançou a quarta posição (517 mil). Com músicas de sucesso, principalmente nos anos 1980 e 1990, a banda mantém seu público próximo, fazendo turnês e atualmente roda o mundo com a This House Is Not for Sale Tour. Na quinta posição, ficou a brasiliense Legião Urbana (483 mil). Mesmo tendo acabado em 1996, a banda é lembrada até hoje e rendeu dois filmes em 2013, Somos Tão Jovens e Faroeste Caboclo.

As outras cinco bandas mais pesquisadas foram:
6° Pink Floyd (479 mil)
7° Oasis (479 mil)
8° Guns N’ Roses (455 mil)
9° Phoenix (419 mil)
10° Metallica (348 mil)

Gênero velho?
Apesar de muitas das bandas terem criado e deixado um legado, somente os ingleses do Coldplay e os franceses do Phoenix se mantém lançando material novo frequentemente.

O Rock não morreu!
Apesar de muitos afirmarem o contrário, a SEMrush estendeu parte do mapeamento até 2012 e comprovou que a média de volume de pesquisas por essas palavras-chave aumentou conforme o tempo no Brasil.

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista