PUBLICIDADE

economia

Petrobrás adia reajuste no diesel

 - REVISTA MAISJR

(Crédito: Agência Brasil)

 

A Petrobras informou que adiará o reajuste de 5,74% do preço do diesel anunciado no final de março. O recuo na decisão ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro pedir que a companhia revisasse o aumento.  Em nota, a companhia disse que reviu sua posição de hedge e avaliou, com o fechamento do mercado, que “há margem para espaçar por mais alguns dias o reajuste no preço”.

No dia 26 do mês passado, a empresa havia anunciado que os preços do diesel na refinaria, que correspondem a 54% dos preços ao consumidor, seriam reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. A companhia alega que o preço do diesel ao consumidor final no Brasil é 18% inferior à média global e ocupa a 57º posição, sendo, portanto, inferior aos preços observados em 106 países.

O governo quer evitar que haja uma nova paralisação dos Caminhoneiros, semelhante à ocorrida em maio do ano passado, que manteve bloqueio em todas a rodovias do País. O ministro Onny Lorenzoni, disse que “um novo aumento seria um solavanco no país”.