PUBLICIDADE

1.0 - RADARmundo

Pesquisadores inventam forma de transformar dejetos em comida para astronautas

 - REVISTA MAISJR

Uma ideia peculiar que parece¬†fic√ß√£o cient√≠fica. Pesquisadores inventaram uma forma de rapidamente transformar fezes em comida, usando micr√≥bios, para alimentar astronautas em longas miss√Ķes. Por meio de um biorreator espacial, ser√° produzida uma biomassa rica em prote√≠nas e gorduras. O equipamento foi elaborado pela Universidade da Pensilv√Ęnia, na Filad√©lfia ‚Äď EUA.

Segundo artigo publicado na revista¬†Life Science in Space Research, a biomassa poderia ser ingerida direta ou indiretamente por astronautas e, apesar do estranhamento inicial que causa, a ideia vem para solucionar um dos maiores problemas provenientes das miss√Ķes planejadas pela¬†NASA¬†para Marte, ou al√©m. Afinal, essas miss√Ķes poder√£o durar meses ou at√© anos. Fora problemas ligados √† radia√ß√£o a que podem ser expostos os astronautas, a alimenta√ß√£o √© a quest√£o de maior import√Ęncia para que os planos no espa√ßo se concretizem.

A hipótese de levar comida para todo o tempo previsto na missão ocupa muito espaço e aumenta o gasto de combustível da nave. Já cultivar comida no caminho também consumiria bastante água, além de ser estruturalmente complexo. Daí, a necessidade por essa solução mais prática, reaproveitando resíduos inutilizáveis do corpo dos próprios astronautas.

Para averiguar essa ideia, pesquisadores utilizaram res√≠duos l√≠quidos e s√≥lidos artificiais, comumente usados em testes de administra√ß√£o deles, para as miss√Ķes. Criaram, ent√£o, um equipamento cil√≠ndrico com pouco mais de 1 metro de comprimento e 10 cent√≠metros de di√Ęmetro. Ali, as fezes entram em contato com micr√≥bios espec√≠ficos que v√£o decompor aquela mat√©ria por meio de digest√£o anaer√≥bica, um processo similar √† digest√£o humana.

Esse processo de digestão anaeróbica é bastante usado no tratamento de lixo, atualmente. Ao desenvolver o projeto, dois desafios foram solucionados por biólogos e engenheiros. O primeiro veio da demora inicial no processo de transformação da massa (resolvido com uma técnica hoje utilizada na purificação da água), e o segundo era relacionado ao metano.

O metano, utilizado no processamento das bact√©rias, teria o potencial de ocasionar inc√™ndios na nave ou na Esta√ß√£o Espacial. Como solu√ß√£o, foi utilizada a bact√©ria¬†Methylococcus capsulatu, capaz de ‚Äúcomer‚ÄĚ metano. Segundo um porta-voz da equipe,¬†Christopher House, essa op√ß√£o para a alimenta√ß√£o de astronautas √© bastante eficiente e mais r√°pida do que cultivar tomates e batatas.

Fonte:  Tecmundo

PUBLICIDADE