PUBLICIDADE

economia

Pesquisa diz, 48% t√™m medo ‚Äėgrande‚Äô de perder o emprego na pandemia

Pesquisa da FSB encomen¬≠da¬≠da pela CNI (Con¬≠fed¬≠er¬≠a√ß√£o Nacional da Ind√ļs¬≠tria) indi¬≠ca que 48% dos brasileiros que est√£o no mer¬≠ca¬≠do de tra¬≠bal¬≠ho t√™m medo ‚Äúgrande‚ÄĚ ou ‚Äúmuito grande‚ÄĚ de perder o emprego por causa da pan¬≠demia de covid-19. Out¬≠ros 22% n√£o t√™m essa pre¬≠ocu¬≠pa√ß√£o.

O lev­an­ta­men­to foi real­iza­do de 2 a 4 de maio e ouviu 2.005 pes­soas por tele­fone nas 27 unidades da Fed­er­ação. A margem de erro é de 2 pon­tos per­centu­ais.

O Min¬≠ist√©rio da Econo¬≠mia reg¬≠istrou at√© 4¬™ feira (6.mai.2020) mais de 6 mil¬≠h√Ķes de acor¬≠dos entre empre¬≠sas e empre¬≠ga¬≠dos para reduzir jor¬≠na¬≠da e sal√°rio ou sus¬≠pender con¬≠tratos durante a crise provo¬≠ca¬≠da pela pan¬≠demia de coro¬≠n¬≠av√≠rus. Segun¬≠do o gov¬≠er¬≠no, este n√ļmero rep¬≠re¬≠sen¬≠ta os ‚Äúempre¬≠gos preser¬≠va¬≠dos‚ÄĚ at√© ago¬≠ra durante a pan¬≠demia.

Mas mes¬≠mo com ess¬≠es esfor√ßos, o IBGE indi¬≠cou 1 aumen¬≠to de 1,2 mil¬≠h√Ķes de desem¬≠pre¬≠ga¬≠dos no 1¬ļ trimestre deste ano. Ao todo, s√£o 12,2% dos brasileiros desalen¬≠ta¬≠dos, cer¬≠ca de 12,9 mil¬≠h√Ķes de pes¬≠soas.

O estu¬≠do tam¬≠b√©m refor√ßa que h√° uma grande per¬≠cep√ß√£o de risco em rela√ß√£o aos efeitos neg¬≠a¬≠tivos da covid-19. Cer¬≠ca de ‚ÖĒ da pop¬≠u¬≠la√ß√£o (67%) dis¬≠ser¬≠am que o impacto na econo¬≠mia brasileira ser√° ‚Äúmuito grande‚ÄĚ. Os que acham que o setor ser√° pouco ou nada abal¬≠a¬≠do s√£o 3%.

O lev­an­ta­men­to tam­bém mediu a per­cepção de gas­tos futur­os dos entre­vis­ta­dos. Dis­ser­am que irão reduzir o con­sumo de pelo menos 1 pro­du­to no perío­do pós-pan­demia 76% dos entre­vis­ta­dos. Out­ros 25% afir­maram que nada mudará.

Pan­demia no Brasil

A pesquisa afir¬≠ma que 42% dos brasileiros acham que a situ¬≠a√ß√£o da pan¬≠demia no Brasil √© ‚Äúmuito grave‚ÄĚ. Out¬≠ros 38% acred¬≠i¬≠tam que √© grave, enquan¬≠to 9% dis¬≠ser¬≠am que √© ‚Äúmais ou menos grave‚ÄĚ.

Os que min­i­mizam o coro­n­avírus no país somam 10%.

O lev­an­ta­men­to tam­bém mostra que 33% dos entre­vis­ta­dos afir­maram per­tencer ao grupo de maior risco da doença (idosos e pes­soas com comor­bidades). Out­ros 67% não se enquadram na cat­e­go­ria.

Para ten¬≠tar frear o avan√ßo da covid-19 no pa√≠s, gov¬≠er¬≠nadores e prefeitos est√£o impon¬≠do uma s√©rie de restri√ß√Ķes de cir¬≠cu¬≠la√ß√£o.

A pesquisa ques­tio­nou os entre­vis­ta­dos sobre as medi­das de iso­la­men­to social. Os resul­ta­dos indicam que 86% dos brasileiros são a favor, enquan­to 11% são con­tra. Out­ros 3% não são nem a favor, nem con­tra.

Medo de mor­rer

Pesquisa do DataPoder360 divul¬≠ga¬≠da no s√°ba¬≠do (2.mai) refor√ßa a pre¬≠ocu¬≠pa√ß√£o dos brasileiros com o avan√ßo do coro¬≠n¬≠av√≠rus no pa√≠s. O lev¬≠an¬≠ta¬≠men¬≠to mostrou que 26% dos brasileiros acham que ‚Äút√™m chance de mor¬≠rer‚ÄĚ caso peguem covid-19. Out¬≠ros 41% descar¬≠tam essa pos¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠dade e 33% n√£o sou¬≠ber¬≠am ou n√£o respon¬≠der¬≠am.

√Č impor¬≠tante reg¬≠is¬≠trar, no entan¬≠to, que nada indi¬≠ca que a taxa de mor¬≠tal¬≠i¬≠dade seja equiv¬≠a¬≠lente ao que pen¬≠sam os brasileiros a respeito da doen√ßa ‚Äďque 26% dos que con¬≠tra√≠rem a covid-19 podem mor¬≠rer.

O Brasil hoje reg­is­tra uma letal­i­dade de 7% das pes­soas que foram diag­nos­ti­cadas com a doença. A taxa real, no entan­to, é muito menor em razão da grande sub­no­ti­fi­cação de casos.

Por: Poder 360

PUBLICIDADE