PUBLICIDADE

mundo

Onze bairros de Pequim voltam a adotar bloqueio por coronavírus

As autori¬≠dades de Pequim iso¬≠laram onze bair¬≠ros res¬≠i¬≠den¬≠ci¬≠ais dev¬≠i¬≠do a v√°rias novas infec√ß√Ķes por coro¬≠n¬≠av√≠rus. Nove esco¬≠las e jardins de inf√Ęn¬≠cia tam¬≠b√©m foram fecha¬≠dos, dis¬≠ser¬≠am autori¬≠dades neste s√°ba¬≠do (13/06) na cap¬≠i¬≠tal chi¬≠ne¬≠sa. As sete novas infec√ß√Ķes est√£o rela¬≠cionadas a um mer¬≠ca¬≠do de carne.

Seis das novas infec√ß√Ķes foram reg¬≠istradas no s√°ba¬≠do. Todos elas est√£o rela¬≠cionadas ao mer¬≠ca¬≠do de carne de Xin¬≠fa¬≠di, cujo chefe disse ao site do gov¬≠er¬≠no Bei¬≠jing News que o v√≠rus foi encon¬≠tra¬≠do em t√°buas que proces¬≠savam salm√£o impor¬≠ta¬≠do.

Como noti­ciou o jor­nal Bei­jing Dai­ly, grandes redes de super­me­r­ca­dos como Wumart e Car­refour remover­am todos os pro­du­tos de salmão de seu sor­ti­men­to no sába­do à noite.

O mer­ca­do de Xin­fa­di, que tem cer­ca de 4 mil esta­b­elec­i­men­tos com­er­ci­ais, será desin­fe­ta­do, infor­mou a agên­cia ofi­cial de notí­cias Xin­hua.

A Chi¬≠na reg¬≠istrou nas √ļlti¬≠mas 24 horas onze novos casos de covid-19, cin¬≠co dos quais prove¬≠nientes do exte¬≠ri¬≠or e seis local¬≠mente, todos na cap¬≠i¬≠tal Pequim, infor¬≠mou a Comis¬≠s√£o de Sa√ļde do pa√≠s asi√°ti¬≠co.

Em Pequim já havia sido reg­istra­do um caso de infecção local nas 24 horas ante­ri­ores, o primeiro em 55 dias e o primeiro caso de con­tá­gio local na Chi­na em 18 dias.

Tudo indi­ca que ess­es novos seis casos em Pequim levarão à retoma­da de algu­mas medi­das pre­ven­ti­vas que havi­am sido relax­adas na cidade, onde há uma sem­ana o nív­el de emergên­cia san­itária foi reduzi­do, pas­san­do de 2 para 3.

As autori¬≠dades j√° havi¬≠am fecha¬≠do dois mer¬≠ca¬≠dos em Pequim que um dos infec¬≠ta¬≠dos havia vis¬≠i¬≠ta¬≠do na sex¬≠ta-feira. Na quin¬≠ta-feira, as autori¬≠dades iden¬≠ti¬≠ficaram pela primeira vez em dois meses uma infec√ß√£o por coro¬≠n¬≠av√≠rus na cap¬≠i¬≠tal chi¬≠ne¬≠sa. Os infec¬≠ta¬≠dos n√£o deixaram Pequim nas √ļlti¬≠mas sem¬≠anas, segun¬≠do infor¬≠ma√ß√Ķes ofi¬≠ci¬≠ais.

De acor¬≠do com os dados do gov¬≠er¬≠no chin√™s, des¬≠de o in√≠¬≠cio da pan¬≠demia, a Chi¬≠na reg¬≠istrou 83.075 infec¬≠ta¬≠dos e 4.634 mor¬≠tos dev¬≠i¬≠do √† covid-19. At√© ao momen¬≠to, o n√ļmero de recu¬≠per¬≠a¬≠do chega a 78 mil.

A Chi¬≠na, pa√≠s de origem do novo v√≠rus coro¬≠n¬≠av√≠rus, con¬≠trolou ampla¬≠mente a propa¬≠ga√ß√£o do pat√≥geno Sars-CoV¬≠‚ÄĎ2 por meio de estri¬≠tas restri√ß√Ķes de sa√≠¬≠da. A maio¬≠r¬≠ia dos casos nos √ļlti¬≠mos meses foi de estrangeiros que tes¬≠taram pos¬≠i¬≠ti¬≠vo ao retornar √† Chi¬≠na.

*CA/afp/lusa/Deutsche Welle

PUBLICIDADE