PUBLICIDADE

esporte

Montillo não é mais jogador do Botafogo

Após uma reunião nesta quarta-feira (28), o argentino Montillo chegou a um acordo e rescindiu o contrato com o Botafogo, que era válido até dezembro. Frustrado com as cinco lesões que teve na temporada, o camisa 7 se reuniu com a diretoria e pediu para encerrar o vínculo com o clube, que não se opôs.

A decisão foi tomada após o departamento médico do clube analisar exame realizado pelo jogador que apontou mais uma grave lesão. A expetativa de retorno aos gramados não era animadora e o Botafogo, então, decidiu aceitar a ‘oferta’ de Montillo e rescindir o contrato.

O jogador está muito insatisfeito com seu rendimento com a camisa do Botafogo. O excesso de lesões fez com que ele fosse chamado de ‘ladrão’ por torcedores nas redes sociais no mês passado. Ele reagiu aos comentários e disse trabalhar honestamente. Tanto que propôs ao Botafogo devolver os salários dos meses que ficou afastado por conta das lesões. O Alvinegro não aceitou e seguiu dando moral a Montillo. O argentino se recuperou e ficou no banco de reservas até reassumir a titularidade na última segunda, contra o Avaí.Porém, bastaram apenas sete minutos em campo para ele sentir novamente lesão na panturrilha direita – a terceira no local na temporada – e deixar o gramado desolado. Ele arrumou suas coisas e foi embora antes mesmo do fim do primeiro tempo.

O dia seguinte da partida foi marcado por incertezas e boatos. O fato é que Montillo foi liberado do treinamento. Em casa, ele se recusou a atender o telefone inclusive do seu estafe.

 

Lesões atrapalharam a carreiraAs lesões em série foram decisivas e Walter Montillo, de 33 anos, anunciará em breve sua aposentadoria. O agora ex-jogador de futebol pediu para rescindir com o Botafogo na última quinta-feira após reunião com a diretoria, que aceitou a ‘oferta’.

Argentino, Montillo apareceu para o futebol na Universidad de Chile, a partir de 2008. O apoiador não teve uma boa primeira temporada, mas virou ídolo da “La  U” no ano seguinte, quando foi decisivo na conquista do abertura. A explosão mesmo só ocorreu em 2010, quando teve grande atuação sobre o Flamengo, pela Libertadores. Marcou um gol de fora da área, de cobertura, e eliminou o Rubro-negro.

Após esse jogo, o jogador estava visivelmente emocionado. Não somente pela classificação, mas pelo nascimento do filho Santino, que tem síndrome de down. Os torcedores chilenos passaram a cantar músicas sobre o herdeiro e tornou o momento bastante especial.

No mesmo ano, se transferiu para o Cruzeiro. No Brasil, não demorou para ganhar o status de craque após grandes atuações. Para muitos, o início de trajetória nos mineiros foi o melhor período da carreira, onde desandou a marcar gols. No total foram 36 em 122 jogos com a camisa azul.Em 2013, chegou como grande contratação no Santos de Neymar em um investimento de aproximadamente R$ 16 milhões. Ele recebeu a camisa 10 de Ganso, que havia se transferido para o São Paulo, na oportunidade. No Alvinegro, porém, não conseguiu repetir as mesmas boas atuações da época de Cruzeiro. Tanto que o clube o vendeu para o Shandong Luneng-CHI em janeiro de 2014.

Ficou na China por duas temporadas e se tornou referência da equipe. Foi na equipe asiática que o argentino obteve a melhor média de gols da carreira – 17 em 81 partidas, o que representa 0,20 por duelo. Ele, porém, queria voltar para perto de casa.

O Botafogo realizou proposta e não demorou a fechar o negócio. Chegou com status de craque e dono do maior salário do elenco: R$ 400 mil. O início foi animador, já que marcou num amistoso no Espírito Santo durante a pré-temporada. O gol, porém, foi o único com a camisa preta e branca.

Depois disso a realidade do argentino foram lesões em séries. A cada dor, uma dúvida crescia na cabeça do jogador. A última, contra o Avaí, foi definitiva. Aos 33 anos, Walter Montillo não mais jogará futebol.

 

Fotos: Reprodução

Fonte: UOL

PUBLICIDADE