PUBLICIDADE

brasil

José Serra é denunciado por lavagem de dinheiro

O Min¬≠ist√©rio P√ļbli¬≠co Fed¬≠er¬≠al (MPF) ofer¬≠e¬≠ceu den√ļn¬≠cia, hoje (3), con¬≠tra o senador Jos√© Ser¬≠ra (PSDB-SP) por lavagem de din¬≠heiro √† √©poca que era gov¬≠er¬≠nador de S√£o Paulo. A fil¬≠ha do par¬≠la¬≠men¬≠tar, VeroŐānica Allende Ser¬≠ra, tam¬≠b√©m foi denun¬≠ci¬≠a¬≠da. Est√£o sendo cumpri¬≠dos oito man¬≠da¬≠dos de bus¬≠ca e apreen¬≠s√£o para apro¬≠fun¬≠da¬≠men¬≠to das inves¬≠ti¬≠ga√ß√Ķes sobre o esque¬≠ma em  endere√ßos em S√£o Paulo e no Rio de Janeiro.

Segun¬≠do a den√ļn¬≠cia da for√ßa tare¬≠fa da Oper¬≠a√ß√£o Lava Jato, em 2006 e 2007 Ser¬≠ra rece¬≠beu v√°rios paga¬≠men¬≠tos da empre¬≠it¬≠eira Ode¬≠brecht em con¬≠tas no exte¬≠ri¬≠or, em um total de R$ 4,5 mil¬≠h√Ķes. O MPF disse que ‚Äúsuposta¬≠mente‚ÄĚ o din¬≠heiro seria usa¬≠do para paga¬≠men¬≠to de despe¬≠sas das cam¬≠pan¬≠has eleitorais do ent√£o gov¬≠er¬≠nador.

Rodoanel

Em tro¬≠ca do din¬≠heiro, Ser¬≠ra teria per¬≠mi¬≠ti¬≠do que a Ode¬≠brecht, jun¬≠to com out¬≠ras empre¬≠sas, operasse um car¬≠tel, com¬≠bi¬≠nan¬≠do os pre√ßos das obras para a con¬≠stru√ß√£o do tre¬≠cho sul do Rodoanel. ‚ÄúNo caso da Ode¬≠brecht, essa atu¬≠a√ß√£o servia para se atin¬≠gir a meta de lucro real esta¬≠b¬≠ele¬≠ci¬≠da para sua par¬≠tic¬≠i¬≠pa√ß√£o nas obras do Rodoanel Sul, pelo super¬≠in¬≠ten¬≠dente Bene¬≠dic¬≠to J√ļnior, de 12% sobre o val¬≠or do con¬≠tra¬≠to, o qual s√≥ foi pos¬≠s√≠v¬≠el de atin¬≠gir diante da inex¬≠ist√™n¬≠cia de com¬≠peti√ß√£o no cer¬≠tame lic¬≠i¬≠tat√≥rio, em raz√£o da for¬≠ma√ß√£o pr√©via de um car¬≠tel‚ÄĚ, afir¬≠mam os procu¬≠radores na den√ļn¬≠cia.

‚ÄúEm out¬≠ras palavras, o car¬≠tel, que veio a ser efe¬≠ti¬≠va¬≠mente esta¬≠b¬≠ele¬≠ci¬≠do, prestou-se a max¬≠i¬≠mizar os lucros des¬≠ta empre¬≠it¬≠eira, do que defluiu n√£o ape¬≠nas um gan¬≠ho econ√īmi¬≠co, como tam¬≠b√©m maior disponi¬≠bil¬≠i¬≠dade de recur¬≠sos il√≠c¬≠i¬≠tos (decor¬≠rentes de con¬≠trata√ß√£o con¬≠quis¬≠ta¬≠da em ambi¬≠ente de aus√™n¬≠cia de com¬≠pet¬≠i¬≠tivi¬≠dade) para que ela, ent√£o, pudesse realizar paga¬≠men¬≠tos de propina que foram sendo ajus¬≠ta¬≠dos com os agentes p√ļbli¬≠cos no cur¬≠so das obras‚ÄĚ, enfa¬≠ti¬≠za o tex¬≠to ao explic¬≠i¬≠tar o fun¬≠ciona¬≠men¬≠to do esque¬≠ma.

Delação

A inves¬≠ti¬≠ga√ß√£o mostra, a par¬≠tir de doc¬≠u¬≠men¬≠tos obti¬≠dos em coop¬≠er¬≠a√ß√£o com autori¬≠dades inter¬≠na¬≠cionais, que foram feitos diver¬≠sos paga¬≠men¬≠tos usan¬≠do uma rede de con¬≠tas off¬≠shore. De acor¬≠do com os procu¬≠radores, eram feitas v√°rias movi¬≠men¬≠ta√ß√Ķes finan¬≠ceiras no exte¬≠ri¬≠or para difi¬≠cul¬≠tar o ras¬≠treio dos recur¬≠sos.

Os con¬≠tatos entre Ser¬≠ra e a Ode¬≠brecht eram, segun¬≠do o MPF, feitos por Pedro Augus¬≠to Ribeiro Novis, que foi viz¬≠in¬≠ho do senador. O exec¬≠u¬≠ti¬≠vo assi¬≠nou um acor¬≠do de colab¬≠o¬≠ra√ß√£o com a Justi√ßa. ‚ÄúEm raz√£o dessa prox¬≠im¬≠i¬≠dade, cabia sem¬≠pre a Pedro, em nome da Ode¬≠brecht, rece¬≠ber de Jos√© Ser¬≠ra, em encon¬≠tros real¬≠iza¬≠dos tan¬≠to em sua resid√™n¬≠cia quan¬≠to em seu escrit√≥rio pol√≠ti¬≠co, deman¬≠das de paga¬≠men¬≠tos, em tro¬≠ca de ‚Äúaux√≠lios‚ÄĚ diver¬≠sos √† empre¬≠it¬≠eira, como os rel¬≠a¬≠tivos a con¬≠tratos de obras de infraestru¬≠tu¬≠ra e a con¬≠cess√Ķes de trans¬≠porte e sanea¬≠men¬≠to de seu inter¬≠esse‚ÄĚ, denun¬≠ci¬≠am os procu¬≠radores.

O MPF acusa ain¬≠da Ver√īni¬≠ca Ser¬≠ra de, seguin¬≠do as ordens do pai, ter aju¬≠da¬≠do a movi¬≠men¬≠tar os recur¬≠sos no exte¬≠ri¬≠or.

Bloqueio

Al√©m dos man¬≠da¬≠dos, o Min¬≠ist√©rio P√ļbli¬≠co Fed¬≠er¬≠al infor¬≠mou que obteve autor¬≠iza¬≠√ß√£o judi¬≠cial para blo¬≠quear R$ 40 mil¬≠h√Ķes em uma con¬≠ta na Su√≠√ßa. De acor¬≠do com a den√ļn¬≠cia, Ser¬≠ra teria rece¬≠bido da Ode¬≠brecht mais R$ 23,3 mil¬≠h√Ķes em 2009 e 2010 para lib¬≠er¬≠ar R$ 191,6 mil¬≠h√Ķes em paga¬≠men¬≠tos da estatal estad¬≠ual Desen¬≠volvi¬≠men¬≠to Rodovi√°rio S.A. (Der¬≠sa) √† empre¬≠it¬≠eira.

Ag√™n¬≠cia Brasil entrou em con¬≠ta¬≠to com a asses¬≠so¬≠ria do senador, que infor¬≠mou que Ser¬≠ra s√≥ tomou con¬≠hec¬≠i¬≠men¬≠to da den√ļn¬≠cia hoje (3) e ain¬≠da est√° anal¬≠isan¬≠do o proces¬≠so antes de se pro¬≠nun¬≠ciar.

Edição: Fer­nan­do Fraga/AB

PUBLICIDADE