PUBLICIDADE

economia

Investimentos de estrangeiros no Brasil recuam 85% em agosto

As con¬≠tas exter¬≠nas reg¬≠is¬≠traram super√°vit de US$ 3,721 bil¬≠h√Ķes em agos¬≠to deste ano, segun¬≠do n√ļmeros divul¬≠ga¬≠dos pelo Ban¬≠co Cen¬≠tral. Esse foi o quin¬≠to m√™s segui¬≠do de resul¬≠ta¬≠dos pos¬≠i¬≠tivos. No entan¬≠to, os inves¬≠ti¬≠men¬≠tos estrangeiros no Pa√≠s ca√≠ram 85% em agos¬≠to, na com¬≠para¬≠√ß√£o com o mes¬≠mo per√≠o¬≠do de 2019. No m√™s, as apli¬≠ca√ß√Ķes somaram US$ 1,4 bil¬≠h√£o, ante US$ 9,5 bil¬≠h√Ķes em agos¬≠to do ano pas¬≠sa¬≠do.

Na ter√ßa-feira, em dis¬≠cur¬≠so na Orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU), o pres¬≠i¬≠dente Jair Bol¬≠sonaro disse que os inves¬≠ti¬≠men¬≠tos dire¬≠tos no Pa√≠s aumen¬≠taram no primeiro semes¬≠tre deste ano na com¬≠para¬≠√ß√£o com o mes¬≠mo per√≠o¬≠do de 2019. ‚ÄúIsso com¬≠pro¬≠va a con¬≠fi¬≠an√ßa do mun¬≠do em nos¬≠so gov¬≠er¬≠no‚ÄĚ, afir¬≠mou a out¬≠ros l√≠deres mundi¬≠ais.

Os n√ļmeros do pr√≥prio BC, no entan¬≠to, o des¬≠mentem. O Brasil reg¬≠istrou no primeiro semes¬≠tre de 2020 um total de US$ 25,349 bil¬≠h√Ķes de Inves¬≠ti¬≠men¬≠to Dire¬≠to no Pa√≠s (IDP), val¬≠or infe¬≠ri¬≠or aos US$ 32,233 bil¬≠h√Ķes reg¬≠istra¬≠dos no primeiro semes¬≠tre do ano pas¬≠sa¬≠do.

O Ban¬≠co Cen¬≠tral tam¬≠b√©m infor¬≠mou que os inves¬≠ti¬≠men¬≠tos estrangeiros dire¬≠tos na econo¬≠mia brasileira somaram US$ 26,957 bil¬≠h√Ķes de janeiro a agos¬≠to deste ano. Com isso, hou¬≠ve que¬≠da de 41% frente ao mes¬≠mo per√≠o¬≠do de 2019, quan¬≠do somaram (US$ 46 bil¬≠h√Ķes). O val¬≠or √© o menor para o per√≠o¬≠do des¬≠de 2009, quan¬≠do totalizaram US$ 18,972 bil¬≠h√Ķes. Ou seja, foi a menor entra¬≠da de inves¬≠ti¬≠men¬≠tos no pa√≠s em 11 anos.

De acor­do com o chefe do Depar­ta­men­to de Estatís­ti­cas do BC, Fer­nan­do Rocha, o inves­ti­men­to dire­to se car­ac­ter­i­za por uma relação de lon­go pra­zo entre a empre­sa investi­da, que está no Brasil, e a investi­do­ra, no exte­ri­or.

Situação inédita

‚ÄúO que esta¬≠mos viven¬≠do hoje √© uma situ¬≠a√ß√£o inter¬≠na¬≠cional pode-se diz¬≠er in√©di¬≠ta e afe¬≠ta de for¬≠mas difer¬≠en¬≠ci¬≠adas os com¬≠po¬≠nentes do bal¬≠an√ßo de paga¬≠men¬≠tos, como o inves¬≠ti¬≠men¬≠to dire¬≠to. O mais prov√°v¬≠el √© que [os inves¬≠ti¬≠men¬≠tos estrangeiros] voltem quan¬≠do a situ¬≠a√ß√£o tiv¬≠er um menor n√≠v¬≠el de incerteza aos pata¬≠mares ante¬≠ri¬≠ores‚ÄĚ, disse.

Al√©m dis¬≠so, os n√ļmeros do BC mostram reti¬≠ra¬≠da pelos investi¬≠dores de US$ 28,281 bil¬≠h√Ķes de apli¬≠ca√ß√Ķes finan¬≠ceiras no Brasil nos oito primeiros meses deste ano. O val¬≠or inclui a√ß√Ķes, fun¬≠dos de inves¬≠ti¬≠men¬≠tos e t√≠tu¬≠los da ren¬≠da fixa.

Segun¬≠do ao BC, essa √© a maior sa√≠¬≠da de recur¬≠sos de apli¬≠ca√ß√Ķes finan¬≠ceiras da econo¬≠mia brasileira des¬≠de o in√≠¬≠cio da sua s√©rie hist√≥ri¬≠ca em 1995, ou seja, em 26 anos. No mes¬≠mo per√≠o¬≠do do ano pas¬≠sa¬≠do, US$ 7,509 bil¬≠h√Ķes ingres¬≠saram no pa√≠s em apli¬≠ca√ß√Ķes finan¬≠ceiras.

Mes¬≠mo assim, os inves¬≠ti¬≠men¬≠tos estrangeiros foram sufi¬≠cientes para cobrir o rom¬≠bo das con¬≠tas exter¬≠nas no acu¬≠mu¬≠la¬≠do deste ano (US$ 8,539 bil¬≠h√Ķes). Quan¬≠do o d√©ficit n√£o √© ‚Äúcober¬≠to‚ÄĚ pelos inves¬≠ti¬≠men¬≠tos estrangeiros, o Pa√≠s tem de se apoiar em out¬≠ros flux¬≠os, como ingres¬≠so de recur¬≠sos para apli¬≠ca√ß√Ķes finan¬≠ceiras, ou empr√©s¬≠ti¬≠mos bus¬≠ca¬≠dos no exte¬≠ri¬≠or, para fechar as con¬≠tas.

PUBLICIDADE