PUBLICIDADE

economiatecnologia

Google √© acusado de ‚Äėespionar‚Äô usu√°rios

Sete organiza√ß√Ķes europeias de consumidores apresentaram dia 27, uma den√ļncia a organismos de regulamenta√ß√£o na qual acusam o Google de “espionar” os usu√°rios, o que violaria a nova norma de prote√ß√£o de dados, anunciou o Escrit√≥rio Europeu da Uni√£o de Consumidores.

A den√ļncia foi apresentada na Noruega, Holanda, Pol√īnia, Gr√©cia, Rep√ļblica Tcheca, Eslov√™nia e Su√©cia. A demanda tem como base um estudo do Conselho Noruegu√™s dos Consumidores que afirma que o grupo americano “utiliza informa√ß√Ķes enganosas para que os usu√°rios sejam constantemente vigiados”.

O Google tamb√©m √© acusado de monitorar as atividades dos usu√°rios por meio do “hist√≥rico de localiza√ß√Ķes” e da “atividade na web e de aplicativos”, presentes em todas as contas do Google.

“O acompanhamento constante da localiza√ß√£o e o ac√ļmulo de dados de localiza√ß√£o podem ser utilizados para fazer um retrato muito detalhado dos indiv√≠duos, o que pode permitir conhecer suas cren√ßas religiosas, tend√™ncias pol√≠ticas e sua orienta√ß√£o sexual, entre outras coisas”, afirma Gro Mette Moen, diretora da organiza√ß√£o norueguesa.

As organiza√ß√Ķes pedem o in√≠cio de uma investiga√ß√£o para que o Google abandone as pr√°ticas “ilegais” e a aplica√ß√£o de uma multa “dissuas√≥ria” contra a multinacional.

O Google respondeu que “trabalha constantemente para melhorar (seus) controles”. “O hist√≥rico de localiza√ß√Ķes est√° desativado inicialmente e a pessoa pode modific√°-lo, apag√°-lo ou interromp√™-lo quando desejar. Se est√° ativado, serve para melhorar os servi√ßos”, afirmou o grupo americano. As informa√ß√Ķes s√£o da AFP.

Fonte: Making Of

Foto: Divulgação

PUBLICIDADE