PUBLICIDADE

mundo

França anuncia vacinação contra Covid-19 para adolescentes a partir de 12 anos

A partir do dia 15 de junho, os adolescentes acima de 12 anos poderão ser vacinados contra a Covid-19 na França. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (12) pelo presidente Emmanuel Macron.

No mesmo dia em que a França ultrapassa a marca de 50% dos adultos vacinados com ao menos uma dose contra o coronavírus (26 milhões), Macron anuncia a ampliação da imunização para os adolescentes.

“Decidimos hoje pela amanhã começar, a partir do dia 15 de junho, a ampliar a vacinação aos adolescentes e permitir àqueles entre 12 e 18 anos se imunizar”, afirmou o presidente, durante sua visita ao departamento de Lot, no sudoeste francês.

A estratégia adotada pela França, como também fizeram Estados Unidos, Canadá e a Alemanha, é a de ampliar a população-alvo para acelerar a imunização coletiva no país, reduzindo a capacidade de circulação do vírus.

Segundo o governo, a imunização dessa população também reduzirá o impacto da pandemia sobre a educação na França. “A vacina nos permitirá reduzir o número de salas de aula e de escolas fechadas por conta da contaminação pelo vírus”, salientou o ministro da Saúde, Olivier Véran.

As condições e regras de vacinação para essa faixa etária ainda serão esclarecidas nos próximos dias.

Barreira coletiva

Ainda que as pessoas dessa faixa etária tenham poucas chances de desenvolver formas graves da Covid-19, a adoção da imunização para adolescentes é uma tentativa de barrar a circulação do vírus.

Será preciso ao menos 70% da população vacinada para deixar a pandemia de Covid-19 para trás, de acordo com o diretor para a Europa da OMS (Organização Mundial da Saúde), Hans Kluge.

“A pandemia terminará quando atingirmos a cobertura mínima de 70% de vacinação”, afirmou Kluge na sexta-feira (28), lamentando que o percentual de pessoas imunizadas ainda é “muito baixo” na Europa.

Segundo o monitor Our World in Data, até agora apenas 16,8% da população francesa tomou as duas doses da vacina.

Há ainda na França uma porcentagem importante da população que resiste ao imunizante: dois a cada dez franceses com mais de 75 anos não foi vacinado.

A Academia de Medicina defende que a vacina se torne obrigatória no país, mas o governo é reticente em adotar um medida tão polêmica.

Em uma pesquisa de opinião divulgada na última semana, 46% dos franceses se disseram contrários à obrigatoriedade da vacina, enquanto 51% a defenderam.

*Por  Cristiane Capuchinho/RFI