PUBLICIDADE

economia

Depois que oferta de renovação da dívida expirar, Argentina diz que continuará negociando com credores 

A Argentina permanece aberta ao diálogo com os credores horas antes do prazo até a tarde desta sexta-feira para que os detentores de títulos concordem com a proposta de reestruturação do governo, e reavaliará a situação após a expiração da oferta, disse o ministro da Economia argentino, Martín Guzmán.

Sua proposta de reestruturar cerca de 65 bilh√Ķes de d√≥lares em t√≠tulos soberanos “insustent√°veis” vai expirar √†s 18 horas do hor√°rio local de Buenos Aires (18h no hor√°rio de Bras√≠lia), sem sinais de um acordo com os credores ou uma extens√£o do prazo no horizonte.

“A Argentina continua aberta ao di√°logo”, disse Guzm√°n em uma mensagem de texto.

“Avaliaremos a situa√ß√£o depois que a oferta expirar hoje, e continuaremos trabalhando para alcan√ßar a meta de restaurar a sustentabilidade da d√≠vida para reerguer o pa√≠s e estabelecer um relacionamento sustent√°vel, saud√°vel e duradouro com nossos credores”, disse Guzm√°n.

Alguns grandes acionistas rejeitaram a proposta de imposição de grandes cortes nos pagamentos dos cupons, um adiamento de três anos nos pagamentos da Argentina e um adiamento dos vencimentos para a próxima década. A oferta foi divulgada em meados do mês passado.

“Claramente, precisa haver algum al√≠vio inicial do fluxo de caixa, mas isso n√£o necessariamente racionaliza tr√™s anos sem pagamentos”, disse Siobhan Morden, chefe de estrat√©gia de renda fixa da Am√©rica Latina na Amherst Pierpont Securities, em uma nota desta sexta-feira.

Se os credores tiverem ideias que melhor lhes conv√™m, respeitando as restri√ß√Ķes que a Argentina enfrenta, Guzm√°n disse, em mensagem de texto, que “estamos prontos para ouvir”.

“Qualquer combina√ß√£o de redu√ß√£o de juros, per√≠odo de car√™ncia e extens√£o de vencimentos que esteja alinhada com as an√°lises de sustentabilidade da d√≠vida do governo da Argentina e do FMI ser√° considerada”, disse Guzm√°n.

A renovação dos títulos faz parte de uma ampla reestruturação da dívida da Argentina com os credores, incluindo o Fundo Monetário Internacional e o Clube de Paris.

O governo argentino diz que sua capacidade de pagar os credores √© extremamente limitada, pois a Argentina j√° estava em recess√£o antes das paralisa√ß√Ķes devido √† a pandemia de coronav√≠rus, em 20 de mar√ßo. Desde ent√£o, a economia foi massacrada.

Por Hugh Bronstein / BUENOS AIRES (Reuters)

PUBLICIDADE