PUBLICIDADE

1.0 - RADAReconomia

Banco Central chinês mantêm internacionalização do yuan

“Durante o processo de internacionaliza√ß√£o do yuan foram tomadas bastantes medidas que hoje em dia permitem usar o yuan no com√©rcio e investimentos. Al√©m disso, o yuan foi inclu√≠do na cesta de moedas que comp√Ķem os Direitos Especiais de Saque [SDR, na sigla em ingl√™s]. Os principais procedimentos j√° foram realizados‚Ķ No que se trata do papel consequente do governo ou Banco Central na internacionaliza√ß√£o do yuan, aqui, em minha opini√£o, ainda h√° algo a fazer no que se trata de estabelecer a comunica√ß√£o entre os mercados de capitais interno e externo”, disse o economista chin√™s durante uma entrevista coletiva.

De acordo com ele, ainda √© preciso bastante tempo para melhorar o uso do yuan por parte dos atores do mercado em suas transa√ß√Ķes e investimentos.

“N√£o podemos obrigar ningu√©m, as¬†decis√Ķes s√£o tomadas a partir de conclus√Ķes, por isso √© um processo gradual. Continuaremos a internacionaliza√ß√£o gradual do yuan”, adiantou.

Ele adiantou que a continuação da abertura do mercado financeiro contribuirá para o processo de internacionalização do yuan.

Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) decidiu incluir, desde 1 de outubro de 2016, o yuan no SDR, que já abrange o dólar, o euro, a libra esterlina e o iene.

A decis√£o do FMI coincidiu com as¬†expectativas dos analistas internacionais que havia muito falavam sobre a necessidade de reconhecer a China como grande ator no com√©rcio global. O Banco Central da China saudou a decis√£o do FMI, considerando-a resultado do desenvolvimento econ√īmico e da pol√≠tica de reformas e abertura chinesas.

O SDR é um ativo de reserva internacional criado pelo FMI em 1969 como complemento às reservas oficiais dos seus países-membros.

Fonte: Sputnik

PUBLICIDADE