Investimentos

Vendas no Tesouro Direto crescem 153,75% em fevereiro

 - REVISTA MAISJR

(Crédito: Reprodução) 

As vendas líquidas (vendas – resgastes) de títulos públicos no Tesouro Direto totalizaram R$ 714,4 milhões em fevereiro, o que representa um crescimento de 153,75% em comparação com o mês anterior.  No total, as vendas somaram R$ 2,3 bilhões e os resgates foram de R$ 1,59 bilhão, sendo R$ 1,45 bilhão em recompras e R$ 136,85 milhões em vencimentos. Os resultados são do balanço do Tesouro Direto, divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional.

No total, foram realizadas 422.626 operações de venda de títulos a investidores. O título mais demandado foi o Tesouro Selic, que representou 45,70% das vendas, em R$ 1,05 bilhão. Essa predominância ocorre desde junho de 2017. Já os títulos remunerados pela inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram R$ 758,70 milhões e corresponderam a 32,93% do total, enquanto as de prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), totalizaram R$ 492,60 milhões, ou 21,37%.

Nas recompras, predominaram os títulos indexados pelo IPCA (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais), que somaram R$ 643,93 milhões (44,32%). Os títulos indexados à taxa Selic totalizaram R$ 638,17 milhões (43,92%), os prefixados, R$ 170,78 milhões (11,75%). Por último, os títulos indexados pelo IGPM (Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) somaram R$ 100,05 mil, ou 0,01% do total.

De janeiro para fevereiro, a demanda por títulos com vencimento entre cinco a 10 anos subiu de 30,9% para 75,16%, totalizando R$ 1,73 bilhão; enquanto a procura por prazos de um a cinco anos caiu de 54,1% para 8,5% (R$ 196,79 milhões). Já as aplicações em títulos com vencimentos acima de 10 anos representaram 16,30%. De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, a inversão da preferência no perfil do prazo ocorreu por causa da mudança do vencimento do Tesouro Selic ofertado no Tesouro Direto.

Em fevereiro, os títulos remunerados pelo IPCA foram os mais representativos do estoque do programa, somando R$ 31,89 bilhões, ou 56,88% do total. Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 15,90 bilhões (28,36 %), e os títulos prefixados, que somaram R$ 8,21 bilhões, com 14,65% do total. Por último, os títulos indexados pelo IGPM somaram R$61,8 milhões (0,11%).

Investidores

Em fevereiro, 51.161 investidores tornaram-se ativos no Tesouro Direto, o que representa um crescimento de 6,05% em relação ao mês anterior. O total de investidores ativos – isto é, aqueles que, atualmente, têm saldo em aplicações no programa – atingiu a marca de 896 mil.

No mês passado, 215.748 novos participantes se cadastraram no programa Tesouro Direto, o que representa um aumento de 6,39% no comparativo com janeiro. O número total de cadastrados até fevereiro totalizou 3.590.394, o que representa aumento de 80,9% nos últimos doze meses. Houve aumento na proporção de mulheres cadastradas, que agora representam 30,21% do total de investidores, maior valor da série histórica, com início em janeiro de 2004.

A utilização do programa por pequenos investidores pode ser observada pelo considerável número de vendas até R$ 5.000,00, que correspondeu a 85,1% das vendas ocorridas no mês. O valor médio por operação, neste mês, foi de R$ 5.452,24.

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista