PUBLICIDADE

s√£o paulo

Testes com vacina de Oxford contra Covid-19 começam em SP

Os testes em vol¬≠un¬≠t√°rios brasileiros da vaci¬≠na desen¬≠volvi¬≠da pela Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford, na Inglater¬≠ra, con¬≠tra a Covid-19, doen√ßa res¬≠pi¬≠rat√≥ria cau¬≠sa¬≠da pelo novo coro¬≠n¬≠av√≠rus, tiver¬≠am in√≠¬≠cio no √ļlti¬≠mo fim de sem¬≠ana na Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade Fed¬≠er¬≠al de S√£o Paulo (Unife¬≠sp), infor¬≠mou em nota na noite de segun¬≠da-feira a Fun¬≠da√ß√£o Lemann, que finan¬≠cia o pro¬≠je¬≠to.

Os testes da vaci­na ChAdOx1 nCoV-19 no Brasil foram anun­ci­a­dos no iní­cio do mês e dev­erão con­tar, de acor­do com a Unife­sp, com 2 mil vol­un­tários em São Paulo e com out­ros mil no Rio de Janeiro, onde os testes serão real­iza­dos pela Rede D’Or.

‚ÄúNo √ļlti¬≠mo final de sem¬≠ana (20 e 21 de jun¬≠ho), a Fun¬≠da√ß√£o Lemann teve a opor¬≠tu¬≠nidade de cel¬≠e¬≠brar com os par¬≠ceiros envolvi¬≠dos e espe¬≠cial¬≠is¬≠tas respon¬≠s√°veis, o in√≠¬≠cio dos testes em S√£o Paulo para a vaci¬≠na ChAdOx1 nCoV-19, lid¬≠er¬≠a¬≠da glob¬≠al¬≠mente pela Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford‚ÄĚ, infor¬≠mou a Fun¬≠da√ß√£o Lemann, do bil¬≠ion√°rio empres√°rio Jorge Paulo Lemann.

De acor¬≠do com a Unife¬≠sp, os vol¬≠un¬≠t√°rios em S√£o Paulo ser√£o profis¬≠sion¬≠ais de sa√ļde de entre 18 e 55 anos e out¬≠ros fun¬≠cion√°rios que atu¬≠am no Hos¬≠pi¬≠tal S√£o Paulo, lig¬≠a¬≠do √† Esco¬≠la Paulista Med¬≠i¬≠c¬≠i¬≠na, da Unife¬≠sp.

No iní­cio do mês, a Unife­sp infor­mou que os testes com vol­un­tários brasileiros con­tribuirão para o reg­istro da vaci­na no Reino Unido, pre­vis­to para o final deste ano. O reg­istro for­mal, entre­tan­to, só ocor­rerá após o fim dos estu­dos em todos os país­es par­tic­i­pantes, disse a uni­ver­si­dade.

A vaci¬≠na, cujo pedi¬≠do de testes no Brasil foi feito √† Ag√™n¬≠cia Nacional de Vig¬≠il√Ęn¬≠cia San¬≠it√°ria (Anvisa) pela far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠ca AstraZeneca, est√° atual¬≠mente na Fase 3 de testes, ‚Äúo que sig¬≠nifi¬≠ca que a vaci¬≠na encon¬≠tra-se entre os est√°¬≠gios mais avan√ßa¬≠dos de desen¬≠volvi¬≠men¬≠to‚ÄĚ, disse a Unife¬≠sp.

O Brasil é o primeiro país fora do Reino Unido a ini­ciar testes com a vaci­na desen­volvi­da pela Uni­ver­si­dade de Oxford e um dos motivos que levaram à escol­ha foi o fato de a pan­demia estar em ascen­são no país.

Out­ra vaci­na con­tra a Covid-19, desen­volvi­da pela empre­sa chi­ne­sa Sino­vac, dev­erá começar a ser tes­ta­da no Brasil no mês que vem em parce­ria com o Insti­tu­to Butan­tan, vin­cu­la­do ao gov­er­no do Esta­do de São Paulo. Este teste, de acor­do com o insti­tu­to, será finan­cia­do pelo gov­er­no paulista e dev­erá con­tar com 9 mil vol­un­tários. Caso a vaci­na seja bem-suce­di­da, o acor­do pre­vê a pos­si­bil­i­dade ser pro­duzi­da local­mente pelo Butan­tan.

*Com infor¬≠ma√ß√Ķes Reuters

PUBLICIDADE