PUBLICIDADE

política

MP quer suspensão de salário de Sérgio Moro

O MPC (Min¬≠ist√©rio P√ļbli¬≠co de Con¬≠tas), √≥rg√£o vin¬≠cu¬≠la¬≠do ao TCU (Tri¬≠bunal de Con¬≠tas da Uni√£o), moveu uma a√ß√£o pedin¬≠do que o Gov¬≠er¬≠no Fed¬≠er¬≠al inter¬≠rompa o paga¬≠men¬≠to de sal√°rios para o ex-min¬≠istro S√©r¬≠gio Moro.

‚ÄúPriv¬≠i¬≠le¬≠gia¬≠do com a autor¬≠iza¬≠√ß√£o da Comis¬≠s√£o de √Čti¬≠ca P√ļbli¬≠ca, √© de con¬≠hec¬≠i¬≠men¬≠to que o ex-Min¬≠istro da Justi√ßa e Segu¬≠ran√ßa P√ļbli¬≠ca, Sr. S√©r¬≠gio Moro, vem
acu¬≠mu¬≠lan¬≠do fun√ß√Ķes em diver¬≠sos ve√≠cu¬≠los de comu¬≠ni¬≠ca√ß√£o‚ÄĚ, escreveu o sub-procu¬≠rador-ger¬≠al Lucas Rocha Fur¬≠ta¬≠do em seu pedi¬≠do.

A Comis√£o de √Čti¬≠ca da Presid√™n¬≠cia da Rep√ļbli¬≠ca deter¬≠mi¬≠nou que o ex-min¬≠istro recebesse cer¬≠ca de R$ 31 mil, por um per√≠o¬≠do de 6 meses, em ressarci¬≠men¬≠to por um per√≠o¬≠do de quar¬≠ente¬≠na pelo seu car¬≠go de min¬≠istro. A decis√£o havia lib¬≠er¬≠a¬≠do Moro para que ele pos¬≠sa escr¬≠ev¬≠er arti¬≠gos e dar aulas, mas veta¬≠do o exer¬≠c√≠¬≠cio da advo¬≠ca¬≠cia.

‚ÄúNa pr√°ti¬≠ca, o que se tem √© que o ex-Min¬≠istro da Justi√ßa e Segu¬≠ran√ßa P√ļbli¬≠ca, Sr. S√©r¬≠gio Moro, rece¬≠ber√° at√© out¬≠ubro de 2020 os proven¬≠tos de Min¬≠istro (cer¬≠ca de trin¬≠ta mil men¬≠sais), mas tam¬≠b√©m rece¬≠ber√° recur¬≠sos da ini¬≠cia¬≠ti¬≠va pri¬≠va¬≠da por atu¬≠ar nos jor¬≠nais como col¬≠u¬≠nista‚ÄĚ, escreveu o procu¬≠rador, dizen¬≠do ain¬≠da que h√° ‚Äúirreg¬≠u¬≠lar¬≠i¬≠dade quan¬≠do o ex-Min¬≠istro da Justi√ßa e Segu¬≠ran√ßa P√ļbli¬≠ca, S√©r¬≠gio Moro, recebe recur¬≠sos p√ļbli¬≠cos para deixar de tra¬≠bal¬≠har (pra¬≠zo de seis meses da quar¬≠ente¬≠na) quan¬≠do, em ver¬≠dade, est√° tra¬≠bal¬≠han¬≠do. Acu¬≠mu¬≠la√ß√£o essa que enten¬≠do ser inde¬≠v¬≠i¬≠da a ense¬≠jar pos¬≠s√≠v¬≠el dano ao er√°rio‚ÄĚ.

No pedi­do, o MPC pede que o TCU inves­tigue a atu­ação do ex-min­istro, e caso o pedi­do seja jul­ga­do proce­dente, os paga­men­tos ao ex-min­istro sejam inter­rompi­dos e os val­ores rece­bidos, devolvi­dos.

Até o momen­to a asses­so­ria de Sér­gio Moro não se pro­nun­ciou.

PUBLICIDADE