PUBLICIDADE

mundo

Ilhas do Pac√≠fico hesitam em retomar o turismo, est√£o a salvo do coronav√≠rus

Ao fechar suas fron¬≠teiras, as na√ß√Ķes do Pac√≠¬≠fi¬≠co Sul con¬≠seguiram evi¬≠tar a epi¬≠demia de coro¬≠n¬≠av√≠rus, mas suas econo¬≠mias entraram em colap¬≠so. Ago¬≠ra, enfrentam uma decis√£o dif√≠¬≠cil: man¬≠ter as bar¬≠reiras ou per¬≠mi¬≠tir que os tur¬≠is¬≠tas retornem, com a amea√ßa √† sa√ļde que rep¬≠re¬≠sen¬≠tam?

Gov¬≠er¬≠nos de todo o mun¬≠do j√° plane¬≠jam o fim do con¬≠fi¬≠na¬≠men¬≠to e das restri√ß√Ķes que provo¬≠caram con¬≠se¬≠qu√™n¬≠cias cat¬≠a¬≠str√≥¬≠fi¬≠cas aos empre¬≠gos e √† econo¬≠mia.

Mas no Pac√≠¬≠fi¬≠co Sul, o debate entre sa√ļde e econo¬≠mia √© espe¬≠cial¬≠mente com¬≠pli¬≠ca¬≠do.

A maio­r­ia dos arquipéla­gos impediu a propa­gação do vírus que aniquilar­ia instan­ta­nea­mente suas capaci­dades san­itárias.

Doze país­es insu­lares não reg­is­traram nen­hum caso de COVID-19 porque fecharam ime­di­ata­mente suas fron­teiras para impedir a impor­tação do coro­n­avírus. Fiji é uma exceção, com 18 con­tá­gios, mas as autori­dades esper­am que a epi­demia seja con­ti­da.

O impacto econ√īmi¬≠co foi desas¬≠troso para todos estes pa√≠s¬≠es que s√£o alta¬≠mente depen¬≠dentes do tur¬≠is¬≠mo. Para alguns, a ren¬≠da proce¬≠dente do tur¬≠is¬≠mo rep¬≠re¬≠sen¬≠ta 50% do PIB.

- Zero ren­da -

As com­pan­hias aéreas par­al­is­aram des­de o iní­cio da crise e, sem tur­is­tas, a hote­lar­ia entrou em colap­so.

Em Van­u­atu, segun­do a impren­sa, 70% dos empre­gos rela­ciona­dos ao tur­is­mo desa­pare­ce­r­am. E os país­es pobres do Pací­fi­co não têm um ban­co cen­tral comum que pos­sa lib­er­ar planos de aju­da region­al.

Alguns sug¬≠eri¬≠ram a ideia de incluir essas ilhas na ‚Äúbol¬≠ha‚ÄĚ, da qual fazem parte aus¬≠tralianos e neoze¬≠landeses, um espa√ßo comum onde os cidad√£os dos dois pa√≠s¬≠es n√£o teri¬≠am que respeitar a quar¬≠ente¬≠na. Mas a ini¬≠cia¬≠ti¬≠va n√£o encon¬≠trou con¬≠sen¬≠so.

‚ÄúExiste um grande risco se a COVID-19 chegar aos pa√≠s¬≠es das Ilhas do Pac√≠¬≠fi¬≠co que atual¬≠mente n√£o s√£o afe¬≠ta¬≠dos‚ÄĚ, disse a primeira-min¬≠is¬≠tra da Nova Zel√Ęn¬≠dia, Jacin¬≠da Ardern, depois de uma reuni√£o com o cole¬≠ga aus¬≠traliano Scott Mor¬≠ri¬≠son.

Nas Ilhas Cook, no entan­to, a ideia da coop­er­ação é incen­ti­va­da.

‚ÄúAcred¬≠i¬≠ta¬≠mos que pequenos redu¬≠tos como o nos¬≠so, atual¬≠mente livres do v√≠rus, pode¬≠ri¬≠am inter¬≠a¬≠gir com out¬≠ros pa√≠s¬≠es da regi√£o na mes¬≠ma situ¬≠a√ß√£o, adotan¬≠do as pre¬≠cau√ß√Ķes m√°x¬≠i¬≠mas‚ÄĚ, argu¬≠men¬≠tou o exec¬≠u¬≠ti¬≠vo de tur¬≠is¬≠mo desse arquip√©la¬≠go, Hala¬≠toa Fua.

- Ansiedade -

Muitos habi­tantes dessas ilhas sofrem de dia­betes ou prob­le­mas cardía­cos, o que os tor­na par­tic­u­lar­mente vul­neráveis em caso de con­t­a­m­i­nação.

Na aus√™n¬≠cia de voos dire¬≠tos para a Aus¬≠tr√°lia e Nova Zel√Ęn¬≠dia, o min¬≠istro do Tur¬≠is¬≠mo de Palau, F. Umi¬≠ich Sen¬≠ge¬≠bau, con¬≠sider¬≠ou que seria mel¬≠hor cri¬≠ar um espa√ßo comum com Tai¬≠wan.

‚Äú√Č uma ideia engen¬≠hosa que deve¬≠mos con¬≠sid¬≠er¬≠ar com um pa√≠s como Tai¬≠wan, que fez um √≥ti¬≠mo tra¬≠bal¬≠ho ao admin¬≠is¬≠trar a epi¬≠demia de COVID-19‚ÄĚ, disse ele.

Mas em out­ras ilhas do Pací­fi­co a questão do tur­is­mo está longe de ser uma pri­or­i­dade.

‚ÄúPor enquan¬≠to, a pri¬≠or¬≠i¬≠dade do gov¬≠er¬≠no das Ilhas Salom√£o √© con¬≠cluir a prepara√ß√£o para a epi¬≠demia e repa¬≠tri¬≠ar cidad√£os‚ÄĚ, disse um por¬≠ta-voz do primeiro-min¬≠istro Man¬≠asseh Sogavare.

O secret√°rio de Sa√ļde das Ilhas Mar¬≠shall, Jack Nieden¬≠thal, con¬≠sider¬≠ou pre¬≠maturo dis¬≠cu¬≠tir o esta¬≠b¬≠elec¬≠i¬≠men¬≠to de uma √°rea segu¬≠ra.

‚ÄúO sim¬≠ples fato de diz¬≠er ‚Äėtalvez‚Äô pode ger¬≠ar ansiedade entre a pop¬≠u¬≠la√ß√£o, algo que ningu√©m pre¬≠cisa‚ÄĚ, disse.

str-ns/ar­b/­jac/­cac/ahg/es/jc Por: AFP

PUBLICIDADE