PUBLICIDADE

mundo

Em toda a √Āfrica, muitas teorias da conspira√ß√£o sobre Bill Gates 

Enquan¬≠to o novo coro¬≠n¬≠av√≠rus con¬≠tin¬≠ua cau¬≠san¬≠do estra¬≠gos em todo mun¬≠do, Bill Gates se tornou o novo alvo dos adep¬≠tos das teo¬≠rias con¬≠spir¬≠at√≥rias, espe¬≠cial¬≠mente na √Āfrica, onde uma pub¬≠li¬≠ca√ß√£o nas redes soci¬≠ais de um pol√≠ti¬≠co que¬≠ni¬≠ano ali¬≠men¬≠tou o fen√ī¬≠meno da desin¬≠for¬≠ma√ß√£o.

Os pro­gra­mas de Gates para uma vaci­na provo­caram todo tipo de espec­u­lação no con­ti­nente, e a dis­sem­i­nação de notí­cias fal­sas ape­nas aumen­tou durante a pan­demia.

Em 15 de mar√ßo, o gov¬≠er¬≠nador de Nair√≥bi, Mike Sonko, pos¬≠tou um v√≠deo anti¬≠go de Bill Gates, no qual ele adver¬≠tia para as con¬≠se¬≠qu√™n¬≠cias de uma futu¬≠ra pan¬≠demia, inti¬≠t¬≠u¬≠la¬≠do: ‚ÄúBill Gates j√° falou sobre o coro¬≠n¬≠av√≠rus em 2015‚ÄĚ.

Na gravação, fei­ta durante uma con­fer­ên­cia TED há cin­co anos, o filantropo expli­cou que o mun­do não esta­va prepara­do para um sur­to epidêmi­co glob­al. Ele não men­cio­nou o coro­n­avírus em momen­to algum.

O post de Sonko provo¬≠cou tan¬≠tas inter¬≠a√ß√Ķes entre seus mais de dois mil¬≠h√Ķes de seguidores no Face¬≠book, que se tornou a pub¬≠li¬≠ca√ß√£o glob¬≠al mais pro¬≠l√≠¬≠fi¬≠ca sobre Gates des¬≠de o in√≠¬≠cio da pan¬≠demia de COVID-19, de acor¬≠do com a platafor¬≠ma de ras¬≠trea¬≠men¬≠to das redes soci¬≠ais Crowd¬≠Tan¬≠gle.

A postagem foi com¬≠par¬≠til¬≠ha¬≠da mais de um mil¬≠h√£o de vezes e acu¬≠mu¬≠lou 38 mil¬≠h√Ķes de visu¬≠al¬≠iza¬≠√ß√Ķes nas m√≠dias soci¬≠ais.

O caso mostra o impor¬≠tante papel das fig¬≠uras p√ļbli¬≠cas locais na dis¬≠sem¬≠i¬≠na√ß√£o de infor¬≠ma√ß√Ķes fal¬≠sas, ou enganosas, em difer¬≠entes partes do mun¬≠do, de acor¬≠do com o Dig¬≠i¬≠tal Foren¬≠sic Research Lab (DFR¬≠Lab) do Atlantic Coun¬≠cil, que estu¬≠da o fen√ī¬≠meno da desin¬≠for¬≠ma√ß√£o em n√≠v¬≠el glob¬≠al.

‚ÄúEm ger¬≠al, (esse tipo de infor¬≠ma√ß√£o) via¬≠ja atrav√©s de (‚Ķ) comu¬≠nidades-nicho quan¬≠do um influ¬≠en¬≠ci¬≠ador, como uma cele¬≠bri¬≠dade de destaque, ou mes¬≠mo uma fonte de uma grande m√≠dia, as ampli¬≠fi¬≠ca‚ÄĚ, disse Zarine Kharaz¬≠ian, do DFR¬≠Lab.

‚ÄúQuan¬≠do atingem esse n√≠v¬≠el de dis¬≠sem¬≠i¬≠na√ß√£o, espal¬≠ham-se em v√°rios idiomas‚ÄĚ, acres¬≠cen¬≠tou.

- ‚ÄúElites todo-poderosas‚ÄĚ -

Os boatos sobre os laços entre Gates e a atu­al pan­demia têm sido ali­men­ta­dos pelos difer­entes gru­pos de teo­ria da con­spir­ação em todo mun­do des­de que o vírus surgiu na cidade chi­ne­sa de Wuhan, em dezem­bro de 2019.

Des¬≠de janeiro, mais de 683.000 posta¬≠gens no Face¬≠book ‚ÄĒ tan¬≠to em p√°gi¬≠nas p√ļbli¬≠cas quan¬≠to em gru¬≠pos ‚ÄĒ men¬≠cionavam Gates, levan¬≠do a cer¬≠ca de 53 mil¬≠h√Ķes de cur¬≠tidas, com¬≠par¬≠til¬≠hamen¬≠tos e repro¬≠du√ß√Ķes.

‚ÄúUma car¬≠ac¬≠ter√≠s¬≠ti¬≠ca comum das teo¬≠rias con¬≠spir¬≠at√≥rias que atrav¬≠es¬≠sa fron¬≠teiras, idiomas e cul¬≠turas √© a descon¬≠fi¬≠an√ßa das ‚Äėelites todo-poderosas‚Äô e das insti¬≠tu¬≠i√ß√Ķes‚ÄĚ, expli¬≠cou Kharaz¬≠ian.

‚ÄúO per¬≠fil proem¬≠i¬≠nente de Gates, sua fran¬≠queza e seu com¬≠pro¬≠mis¬≠so ati¬≠vo em tra¬≠bal¬≠hos de sa√ļde p√ļbli¬≠ca em n√≠v¬≠el inter¬≠na¬≠cional fiz¬≠er¬≠am dele um alvo de primeira ordem para esse tipo de com¬≠pl√ī‚ÄĚ, acres¬≠cen¬≠tou.

Entre as reivin¬≠di¬≠ca√ß√Ķes mais difun¬≠di¬≠das na √Āfrica est√° o fato de Bill Gates quer¬≠er con¬≠tro¬≠lar a humanidade com microchips implan¬≠ta¬≠dos, ou tat¬≠u¬≠a¬≠gens dig¬≠i¬≠tais.

Os con­spir­adores tam­bém garan­tem que Gates se ben­e­fi­cia­rá enorme­mente de uma pos­sív­el vaci­na e que sua fun­dação paten­teou um trata­men­to anos atrás, antes de lib­er­ar o novo coro­n­avírus.

Out¬≠ros acred¬≠i¬≠tam que ele criou o v√≠rus para con¬≠tro¬≠lar a pop¬≠u¬≠la√ß√£o, uma quest√£o muito sen¬≠s√≠v¬≠el na √Āfrica, onde muitos comen¬≠t√°rios neg¬≠a¬≠tivos pub¬≠li¬≠ca¬≠dos on-line sug¬≠erem que a vaci¬≠na con¬≠tra a COVID-19 pode¬≠ria ser tes¬≠ta¬≠da na pop¬≠u¬≠la√ß√£o daque¬≠le con¬≠ti¬≠nente.

Parte dessa rea√ß√£o pode ser expli¬≠ca¬≠da pelos abu¬≠sos m√©di¬≠cos por parte de pa√≠s¬≠es oci¬≠den¬≠tais da √Āfrica, disse Sara Coop¬≠er, cien¬≠tista do Con¬≠sel¬≠ho de Pesquisa M√©di¬≠ca do Cochrane Cen¬≠ter, na √Āfrica do Sul.

‚ÄúNas √ļlti¬≠mas d√©cadas acon¬≠te¬≠ce¬≠r¬≠am v√°rios inci¬≠dentes de pesquisas m√©di¬≠cas real¬≠izadas na √Āfrica, nos quais foram cometi¬≠das graves vio¬≠la√ß√Ķes dos dire¬≠itos humanos‚ÄĚ, disse Coop¬≠er √† AFP.

Uma s√©rie de pr√°ti¬≠cas que v√£o des¬≠de exper¬≠i¬≠men¬≠tos de ester¬≠il¬≠iza¬≠√ß√£o for√ßa¬≠da na Nam√≠bia, no final do s√©cu¬≠lo XIX, quan¬≠do o pa√≠s era uma col√ī¬≠nia alem√£, at√© testes de dro¬≠gas orga¬≠ni¬≠za¬≠dos por gigantes far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠cos em v√°rios pa√≠s¬≠es africanos nos anos 1990.

A descon¬≠fi¬≠an√ßa das vaci¬≠nas oci¬≠den¬≠tais ficou evi¬≠dente em uma pub¬≠li¬≠ca√ß√£o que viral¬≠i¬≠zou recen¬≠te¬≠mente, ale¬≠gan¬≠do que o m√©di¬≠co e cien¬≠tista franc√™s Didi¬≠er Raoult havia aler¬≠ta¬≠do os africanos para n√£o usarem ‚Äúa vaci¬≠na Bill Gates‚ÄĚ, porque tin¬≠ha ‚Äúveneno‚ÄĚ.

O servi√ßo de ‚Äúfact-check¬≠ing‚ÄĚ da AFP des¬≠men¬≠tiu essa afir¬≠ma√ß√£o: Raoult nun¬≠ca fez ess¬≠es comen¬≠t√°rios, e a vaci¬≠na nem existe.

Por: AFP

PUBLICIDADE