PUBLICIDADE

economia

Economistas apontam medidas para garantir o pagamento da d√≠vida p√ļblica

A garan¬≠tia de paga¬≠men¬≠to da d√≠vi¬≠da p√ļbli¬≠ca foi um dos temas do sem¬≠i¬≠n√°rio real¬≠iza¬≠do na C√Ęmara dos Dep¬≠uta¬≠dos sobre o retorno da ativi¬≠dade econ√īmi¬≠ca ap√≥s a crise san¬≠it√°ria. O even¬≠to pro¬≠movi¬≠do pela comis¬≠s√£o exter¬≠na que acom¬≠pan¬≠ha as a√ß√Ķes de com¬≠bate ao coro¬≠n¬≠av√≠rus, em con¬≠jun¬≠to com a presid√™n¬≠cia da Casa, ouviu econ¬≠o¬≠mis¬≠tas sobre o assun¬≠to.

Eles enu­mer­aram algu­mas das medi­das necessárias para recu­per­ação da econo­mia, como votação das refor­mas estru­tu­rais, manutenção da car­ga trib­utária, pre­venção de crises bancárias, focal­iza­ção de pro­gra­mas soci­ais, cumpri­men­to do teto de gas­tos, rea­juste do mín­i­mo pela inflação, e pri­va­ti­za­ção da Eletro­brás.

Econ¬≠o¬≠mista-chefe do ban¬≠co San¬≠tander, Ana Paula Vescosi disse que o Tesouro Nacional pre¬≠cisa rene¬≠go¬≠ciar R$ 450 bil¬≠h√Ķes em t√≠tu¬≠los que est√£o ven¬≠cen¬≠do at√© o final do ano e que, entre janeiro e abril, o gov¬≠er¬≠no preferiu res¬≠gatar R$ 240 bil¬≠h√Ķes a pagar os juros pedi¬≠dos ou encur¬≠tar mais a d√≠vi¬≠da. Ela con¬≠sid¬≠era que o gov¬≠er¬≠no poder√° ter que usar o lucro do Ban¬≠co Cen¬≠tral com a val¬≠oriza¬≠√ß√£o das reser¬≠vas em d√≥lar para mane¬≠jar a rolagem.

Ana Paula expli¬≠cou que 90% dos t√≠tu¬≠los est√£o nas m√£os de brasileiros e que o pra¬≠zo m√©dio √© menor que 5 anos. Para garan¬≠tir o paga¬≠men¬≠to dessa d√≠vi¬≠da, o gov¬≠er¬≠no, segun¬≠do ela, ter√° que, entre out¬≠ras coisas, faz¬≠er refor¬≠mas e rev¬≠er pro¬≠gra¬≠mas soci¬≠ais. Para a econ¬≠o¬≠mista, o √ļni¬≠co pro¬≠gra¬≠ma que real¬≠mente tem foco nos mais pobres √© o Bol¬≠sa Fam√≠lia. Ela infor¬≠mou que os gas¬≠tos com as a√ß√Ķes de com¬≠bate √† pan¬≠demia no Brasil est√£o em torno de 5,8% do PIB, enquan¬≠to a m√©dia dos emer¬≠gentes seria de 3%. Pelas con¬≠tas de Ana Paula, man¬≠ten¬≠do o teto de gas¬≠tos, o Brasil s√≥ ter√° super√°vit prim√°rio a par¬≠tir de 2026.

Ex-pres¬≠i¬≠dente do BC e atu¬≠al pres¬≠i¬≠dente do con¬≠sel¬≠ho do Cred¬≠it Suisse, Ilan Gold¬≠fa¬≠jn, disse que o momen¬≠to √© de pagar o aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial e aju¬≠dar as peque¬≠nas empre¬≠sas. E com¬≠ple¬≠tou que a hora n√£o √© de pen¬≠sar em grandes obras p√ļbli¬≠cas. Ele tam¬≠b√©m disse que a trans¬≠fer¬≠√™n¬≠cia do lucro do BC para o Tesouro deve ser fei¬≠ta em caso de mui¬≠ta neces¬≠si¬≠dade. E defend¬≠eu o com¬≠bate ao v√≠rus como a for¬≠ma mais efi¬≠caz de reini¬≠ciar a ativi¬≠dade econ√īmi¬≠ca.

‚ÄúNos¬≠sa quar¬≠ente¬≠na aqui tem sido mais t√≠bia. Ela tem achata¬≠do a cur¬≠va, mas n√£o tem sido imple¬≠men¬≠ta¬≠da de uma for¬≠ma dis¬≠ci¬≠plina¬≠da o sufi¬≠ciente, com uma lid¬≠er¬≠an√ßa o sufi¬≠ciente, para que pos¬≠samos estar j√° no momen¬≠to de uma sa√≠¬≠da segu¬≠ra. Que tam¬≠b√©m pos¬≠sa nos garan¬≠tir que tam¬≠b√©m ten¬≠hamos uma sa√≠¬≠da segu¬≠ra em ter¬≠mos da econo¬≠mia. ‚ÄĚ

Arm√≠nio Fra¬≠ga, tam¬≠b√©m ex-pres¬≠i¬≠dente do BC, disse que a recei¬≠ta macro¬≠econ√īmi¬≠ca sug¬≠eri¬≠da pelos cole¬≠gas n√£o √© f√°cil, mas √© a √ļni¬≠ca sa√≠¬≠da. ‚ÄúO prob¬≠le¬≠ma √© gigante, mas as opor¬≠tu¬≠nidades e o espa√ßo para tra¬≠bal¬≠har tam¬≠b√©m s√£o enormes. E isso √© o que n√≥s vamos ter que faz¬≠er. N√£o h√° op√ß√£o. A op√ß√£o √© descar¬≠ril¬≠har out¬≠ra vez. ‚ÄĚ

Refor­ma Admin­is­tra­ti­va

Tan¬≠to Ilan quan¬≠to o pres¬≠i¬≠dente da C√Ęmara, Rodri¬≠go Maia (DEM-RJ), citaram como refor¬≠ma prin¬≠ci¬≠pal a admin¬≠is¬≠tra¬≠ti¬≠va. Maia disse que, com a pan¬≠demia, ela ter√° que ser mais dura que a divul¬≠ga¬≠da pelo gov¬≠er¬≠no ante¬≠ri¬≠or¬≠mente. O pres¬≠i¬≠dente da C√Ęmara tam¬≠b√©m disse que ser√° pre¬≠ciso con¬≠ter as press√Ķes para mudan√ßa no teto de gas¬≠tos.

‚ÄúQuan¬≠do come√ßou um debate no Sena¬≠do sobre recur¬≠sos extra teto, eu disse: vamos faz¬≠er as refor¬≠mas antes para abrir espa√ßo fis¬≠cal para aumen¬≠tar inves¬≠ti¬≠men¬≠tos. Porque sen√£o a gente vai aumen¬≠tan¬≠do e o pes¬≠soal deixa as refor¬≠mas para o futuro‚ÄĚ.

Maia voltou a diz¬≠er que a pror¬≠ro¬≠ga√ß√£o do aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial  √© quase um con¬≠sen¬≠so e que ser√° dif√≠¬≠cil n√£o man¬≠ter o val¬≠or de R$ 600.

O dire¬≠tor da Casa das Gar√ßas, Edmar Bacha, criti¬≠cou pro¬≠je¬≠tos de lei que bus¬≠cam aumen¬≠tar os encar¬≠gos trib¬≠ut√°rios dos ban¬≠cos, que pre¬≠ten¬≠dem trans¬≠for¬≠mar gas¬≠tos tem¬≠por√°rios em per¬≠ma¬≠nentes, ou que se baseiem no perd√£o de d√≠vi¬≠das. Bacha e Ilan Gold¬≠fa¬≠jn citaram a pol√≠ti¬≠ca econ√īmi¬≠ca da Argenti¬≠na, que acabou adian¬≠do d√≠vi¬≠das de maneira com¬≠pul¬≠s√≥ria, como exem¬≠p¬≠lo a ser evi¬≠ta¬≠do.

Fonte: Ag√™n¬≠cia C√Ęmara de Not√≠¬≠cias

PUBLICIDADE