PUBLICIDADE

economia

Com US$ 1 bilh√£o, ag√™ncia dos EUA financiar√° vacina de Oxford 

Uma agên­cia do gov­er­no dos Esta­dos Unidos fará um aporte de US$ 1 bil­hão para as pesquisas de uma vaci­na con­tra o novo coro­n­avírus desen­volvi­da pela Uni­ver­si­dade de Oxford, no Reino Unido, em parce­ria com uma empre­sa de biotec­nolo­gia ital­iana.

O finan¬≠cia¬≠men¬≠to ser√° repas¬≠sa¬≠do pela Autori¬≠dade de Pesquisa e Desen¬≠volvi¬≠men¬≠to Bio¬≠m√©di¬≠co Avan√ßa¬≠do (Bar¬≠da), √≥rg√£o lig¬≠a¬≠do ao Depar¬≠ta¬≠men¬≠to da Sa√ļde, √† multi¬≠na¬≠cional sue¬≠co-brit√Ęni¬≠ca AstraZeneca, que ser√° respon¬≠s√°v¬≠el pela pro¬≠du√ß√£o e dis¬≠tribui√ß√£o da vaci¬≠na em n√≠v¬≠el mundi¬≠al.

‚ÄúDeve¬≠mos der¬≠ro¬≠tar o v√≠rus jun¬≠tos. Fare¬≠mos tudo o que estiv¬≠er a nos¬≠so alcance para tornar essa vaci¬≠na dispon√≠v¬≠el em larga escala rap¬≠i¬≠da¬≠mente‚ÄĚ, disse o CEO da AstraZeneca, Pas¬≠cal Sori¬≠ot.

A Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford j√° ini¬≠ciou a primeira fase de testes em humanos da vaci¬≠na ChAdOx1, que se baseia em um ade¬≠n¬≠ov√≠rus de chim¬≠panz√©s con¬≠tendo a pro¬≠te√≠¬≠na spike, usa¬≠da pelo coro¬≠n¬≠av√≠rus Sars-CoV¬≠‚ÄĎ2, cau¬≠sador da Covid-19, para agredir as c√©lu¬≠las humanas.

As dos¬≠es para testagem foram feitas pela empre¬≠sa ital¬≠iana Advent-IRBM, de Pomezia, nos arredores de Roma. A AstraZeneca j√° fechou acor¬≠dos que garan¬≠tem a pro¬≠du√ß√£o de pelo menos 400 mil¬≠h√Ķes de dos¬≠es, com os primeiros lotes pre¬≠vis¬≠tos para setem¬≠bro, caso os testes deem resul¬≠ta¬≠do pos¬≠i¬≠ti¬≠vo.

A empre­sa admi­tiu que a vaci­na pode não fun­cionar, mas diz estar empen­ha­da em acel­er­ar os testes clíni­cos e a aumen­tar a pro­dução, ape­sar do risco. (ANSA)

PUBLICIDADE