4.0 // manual4.2 // saúde

A poluição também pode afetar a pele

Ao longo do dia nossa pele e cabelos sofrem danos causados por agentes externos. Um desses agressores, por exemplo, é a poluição, que age acelerando o processo de envelhecimento dos tecidos. “De um modo geral, os poluentes atuam ativando mensageiros pró-inflamatórios, promovendo alterações na barreira de proteção da pele, piorando a hiperpigmentação e causando estresse oxidativo”, explica a dermatologista Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. “Além disso, a poluição libera metais pesados, que promovem a formação de radicais livres e a degradação do colágeno, e materiais particulados, como o PM 2.5, uma partícula 100 vezes menor que um fio de cabelo que ativa mensageiros inflamatórios degradadores do colágeno.” Para ajudar a entender melhor, a especialista respondeu às principais dúvidas sobre prevenção e tratamento dos danos causados pela poluição. Confira:

Os danos causados pela poluição são reversíveis?

“Dependendo dos danos é possível revertê-los com o uso de nutracêuticos, dermocosméticos e, principalmente, tratamentos estéticos, que são a opção mais efetiva para combater manchas, rugas e flacidez.”

Quais são os resultados e benefícios obtidos ao utilizar cosméticos com tecnologia antipoluição?

Os cosméticos antipoluição possuem tanto benefícios preventivos, protegendo a pele para evitar danos, quanto de tratamento, reparando os malefícios causados pela poluição.”

Quais são os principais ativos disponíveis para impedir e reverter a ação da poluição sobre a pele e cabelos?

“Para a pele existem ativos como o Exo-P, que forma um escudo no tecido que diminui a adesão da poluição e do material particulado e protege a pele dos danos causados pelos raios UVB, o Overnight Repair, um reparador noturno que estimula as células de defesa do organismo a exercerem ação antipoluente, e o Alistin, um antioxidante, antiglicante e desglicante que diminui o estresse oxidativo e o processo inflamatório, reparando a membrana celular e protegendo o DNA. Já para o cabelo o ideal é utilizar um leave-in que contenha em sua fórmula silicone e ingredientes que consigam formar uma barreira de proteção sobre os fios.”

Além dos ativos que criam uma barreira de proteção contra a poluição, existem opções que promovem a desintoxicação da pele e dos cabelos?  

“Sim, existem ingredientes que promovem efeito detox, renovando a pele. Alguns deles são o Progenitrix®, regenerador celular, o OTZ 10, antioxidante com efeito protetor, e o Ascorbosilane C, antioxidante que promove a uniformização do tom da pele. De uso tópico, esses ativos ainda podem ser combinados com cápsulas de Bio-Arct ou Glycoxil, que promovem ação antioxidante, para complementar o tratamento.”

E quais tratamentos estéticos ajudam a combater os malefícios da poluição?

Existem tratamentos estéticos que agem nas manchas, rugas, flacidez e falta de luminosidade, alterações em que a poluição tem forte influência. Por exemplo, para o tratamento de manchas podem ser utilizadas tecnologias como os lasers e a radiofrequência microagulhada, além do uso tópico de peelings de ácido glicólico e retinóico ou de despigmentantes, como o ácido tranexâmico, ácido kójico, Alfa-arbutin e B-White. Já para tratar a flacidez, o ultrassom microfocado é uma ótima opção, pois o procedimento promove pontos de coagulação na musculatura da face, regenerando e conferindo tônus ao músculo.”

 

Fonte: Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista