PUBLICIDADE

brasil

Queixas contra Prevent Senior na ANS subiram 67% no 1¬ļ ano da pandemia

A operadora de sa√ļde Prevent Senior teve alta de 67% nas reclama√ß√Ķes registradas por benefici√°rios na ANS (Ag√™ncia Nacional de Sa√ļde Suplementar) na compara√ß√£o entre 2019 e 2020, o primeiro ano da pandemia de Covid-19.

Neste ano, até o início de outubro, foram somadas 1.172 queixas, quase o total acumulado em todo o ano anterior (1.484). Houve aumento também em relação à abertura de processos administrativos com indícios de infração atribuídos à operadora. Entre 2019 e 2020, esse quesito teve acréscimo de 36%.

As reclama√ß√Ķes s√£o chamadas pelo nome t√©cnico NIP (Notifica√ß√£o de Investiga√ß√£o Preliminar), que podem ser classificadas entre assistencial, relacionada a restri√ß√Ķes de cobertura, e n√£o-assistencial, que envolve as demais situa√ß√Ķes.

Entre janeiro de 2019 e a primeira semana de outubro de 2021, o total de reclama√ß√Ķes relacionadas √† cobertura de procedimentos m√©dicos foi de 91%, segundo os dados oficiais.

Os n√ļmeros foram obtidos pelo advogado especializado em plano de sa√ļde Marcus Patullo via LAI (Lei de Acesso √† Informa√ß√£o). Ele conta que decidiu investigar a reputa√ß√£o da Prevent Senior na ANS ap√≥s o esc√Ęndalo que levou a operadora √† CPI do Senado.

“No ano passado, houve queda nos atendimentos eletivos por causa da pandemia. Ent√£o do que se trata esse aumento de reclama√ß√Ķes? Provavelmente tem rela√ß√£o com o atendimento prestado aos pacientes de Covid”, diz o advogado.

Para Patullo, a alta nas reclama√ß√Ķes n√£o deve ter passado despercebida pela ANS, que poderia ter tomado provid√™ncias na tentativa de conter a crise deflagrada na operadora de sa√ļde. “Os n√ļmeros deveriam, no m√≠nimo, ter acendido a luz amarela na ANS”, diz.

Em depoimento √† CPI do Senado no in√≠cio de outubro, o diretor-presidente da ANS, Paulo Roberto Rebello Filho, afirmou que tomou conhecimento dos problemas com a Prevent Senior somente ap√≥s o in√≠cio das investiga√ß√Ķes parlamentares.

A declaração foi criticada pelos congressistas, que apontaram grave omissão da agência reguladora em relação à conduta da operadora.

Os congressistas embasaram as acusa√ß√Ķes em um dossi√™ elaborado por m√©dicos que apontam que os hospitais da rede eram usados como laborat√≥rios para o tratamento precoce contra a Covid-19, com medicamentos sem efic√°cia comprovada para combater a doen√ßa.

Ap√≥s avaliar que as acusa√ß√Ķes feitas √† CPI continham “ind√≠cios de falhas operacionais”, Rebello Filho anunciou a indica√ß√£o de um diretor da ANS para acompanhar de dentro da operadora o tratamento dispensado aos benefici√°rios.

Procurada, a Prevent Senior afirmou que a compara√ß√£o dos dados referentes a 2019 e 2020 n√£o √© adequada porque relaciona um per√≠odo sem pandemia com “outro em que houve mudan√ßas sociais e epidemiol√≥gicas dr√°sticas decorrentes do coronav√≠rus”. “√Č natural que, em momentos de maior tens√£o e demanda crescente, as reclama√ß√Ķes aumentem”, afirmou a operadora, que disse trabalhar para resolver todas as queixas.

Em nota, a ANS afirmou que monitora o setor de sa√ļde suplementar e age para apura√ß√£o de den√ļncias registrada “O percentual de resolutividade das reclama√ß√Ķes da Prevent Senior ficou acima de 96% nos √ļltimos tr√™s anos”, informou a ag√™ncia.

A ag√™ncia reguladora informou tamb√©m que o total de reclama√ß√Ķes registrado nos canais do √≥rg√£o teve aumento de 13% entre 2019 e 2020.

Atualmente, a operadora √© alvo da CPI da C√Ęmara dos Vereadores em S√£o Paulo, al√©m de representa√ß√Ķes no Cremesp (Conselho Regional de Medicina de S√£o Paulo).

Por causa da distribui√ß√£o dos medicamentos do chamado “kit Covid”, sem comprova√ß√£o cient√≠fica de efetividade para tratar a doen√ßa, a empresa assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Minist√©rio P√ļblico em que se compromete a n√£o mais distribuir ou receitar os medicamentos.

PUBLICIDADE