PUBLICIDADE

brasil

Prefeitura pode fechar empresas que recusem a√ß√Ķes de vacina√ß√£o em SP

O prefeito de S√£o Paulo, Bruno Covas, anunciou hoje (22) que pode fechar empresas que recusem as a√ß√Ķes de vacina√ß√£o contra o sarampo. Como forma de controlar a doen√ßa, a administra√ß√£o municipal tem feito os chamados bloqueios, quando s√£o realizadas imuniza√ß√Ķes nos locais de trabalho, estudo e resid√™ncia de pessoas que foram identificadas com o v√≠rus. At√© o momento, foram registrados na capital paulista 363 casos da doen√ßa, al√©m de 800 considerados suspeitos.

‚ÄúA prefeitura pode, em √ļltima an√°lise, fechar esses espa√ßos que n√£o aceitarem receber as equipes da prefeitura para vacinar as pessoas nesses locais onde j√° foram identificados os casos de sarampo‚ÄĚ, enfatizou Covas ao anunciar as medidas que est√£o sendo tomadas para conter o avan√ßo da doen√ßa na cidade. A presen√ßa da equipe de imuniza√ß√£o n√£o gera, no entanto, a obrigatoriedade das pessoas que frequentam aquele espa√ßo de tomarem a vacina. ‚ÄúO local √© obrigado a abrir as portas, as pessoas n√£o s√£o obrigadas a aceitar a vacina√ß√£o‚ÄĚ, acrescentou o prefeito.

Segundo o secret√°rio municipal de Sa√ļde, Edson Aparecido, j√° foram feitas quase 1,2 mil a√ß√Ķes do tipo em empresas, faculdades e condom√≠nios, com a distribui√ß√£o de 48,6 mil doses da vacina. De acordo com Aparecido, os locais que recusarem a presen√ßa das equipes podem ficar interditados por 21 dias, equivalente ao ciclo do v√≠rus.

A meta da prefeitura √© vacinar toda a popula√ß√£o da cidade com idades entre 15 e 29 anos, mesmo os que j√° tomaram a vacina na vida, em um total de 3 milh√Ķes de pessoas. As doses est√£o dispon√≠veis em todas as unidades de sa√ļde, al√©m de postos tempor√°rios montados em esta√ß√Ķes de metr√ī e trens.

Fake news

Covas atribuiu a circula√ß√£o da doen√ßa √† resist√™ncia de parte da popula√ß√£o em se vacinar, muitas vezes pela dissemina√ß√£o de informa√ß√Ķes falsas. ‚ÄúO recrudescimento da doen√ßa em decorr√™ncia especialmente pelas pessoas terem decidido n√£o tomar a vacina. Isso se deve tamb√©m, em grande parte √†s¬†fake news¬†que t√™m se espalhado pela internet‚ÄĚ, afirmou.

Para interromper o fluxo das mentiras, o prefeito disse que est√° tentando conseguir ajuda das empresas que administram as redes sociais. ‚ÄúBuscamos o Facebook, para ver se, prontamente, essas empresas conseguem ajudar o Poder P√ļblico a rapidamente estancar [a dissemina√ß√£o de not√≠cias falsas]‚ÄĚ, disse.

Surtos

A coordenadora de Vigil√Ęncia em Sa√ļde do munic√≠pio, Solange Saboia, disse que at√© o momento foram registrados diversos surtos de sarampo na cidade, causados por pessoas que vieram de outros pa√≠ses onde h√° circula√ß√£o do v√≠rus. ‚ÄúTemos verificado v√°rios surtos, vindos de pessoas que trouxeram o v√≠rus, pessoas n√£o vacinadas de outros pa√≠ses em que o v√≠rus circulava. Estamos fazendo todos os nossos esfor√ßos para evitar uma epidemia no sentido que a doen√ßa se alastre pela cidade e fuja do controle‚ÄĚ, ressaltou.

Em agosto, com a volta √†s aulas, a prefeitura pretende, em parceria com a Secretaria Estadual de Educa√ß√£o, fazer a√ß√Ķes de vacina√ß√£o na rede de ensino.

Crédito: Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil