PUBLICIDADE

s√£o paulo

Operação investiga atuação do PCC em São Paulo

O Min¬≠ist√©rio P√ļbli¬≠co de S√£o Paulo (MPSP) defla¬≠grou hoje (14), com o apoio da Pol√≠¬≠cia Mil¬≠i¬≠tar, a Oper¬≠a√ß√£o Sharks, para inibir a atu¬≠a√ß√£o do Primeiro Coman¬≠do da Cap¬≠i¬≠tal (PCC), uma das prin¬≠ci¬≠pais fac√ß√Ķes crim¬≠i¬≠nosas do pa√≠s. A a√ß√£o √© real¬≠iza¬≠da por meio do Grupo de Atu¬≠a√ß√£o Espe¬≠cial de Com¬≠bate ao Crime Orga¬≠ni¬≠za¬≠do (Gae¬≠co), e tem por base inves¬≠ti¬≠ga√ß√Ķes ini¬≠ci¬≠adas no primeiro semes¬≠tre de 2019. 

Em nota, o MPSP infor¬≠ma que a apu¬≠ra√ß√£o focal¬≠iza, sobre¬≠tu¬≠do, ativi¬≠dades dos primeiros escal√Ķes da fac√ß√£o. No total, foram iden¬≠ti¬≠fi¬≠ca¬≠dos 21 sus¬≠peitos, alguns j√° deti¬≠dos.

At√© o momen¬≠to, desco¬≠briu-se que os inte¬≠grantes do PCC movi¬≠men¬≠tam mais de R$ 100 mil¬≠h√Ķes por ano com o tr√°¬≠fi¬≠co de dro¬≠gas e quan¬≠tias arrecadadas de mem¬≠bros do grupo crim¬≠i¬≠noso. No informe, o MPSP desta¬≠ca que as transa√ß√Ķes s√£o todas orga¬≠ni¬≠zadas rig¬≠orosa¬≠mente, em planil¬≠has.

Em agos¬≠to, a Pol√≠¬≠cia Fed¬≠er¬≠al cumpriu 422 man¬≠da¬≠dos de pris√£o pre¬≠ven¬≠ti¬≠va e 201 man¬≠da¬≠dos de bus¬≠ca e apreen¬≠s√£o, todos no √Ęmbito da Oper¬≠a√ß√£o Caixa Forte 2, estru¬≠tu¬≠ra¬≠da para des¬≠man¬≠te¬≠lar n√ļcleos do PCC. Na ocasi√£o, foram mobi¬≠liza¬≠dos 1,1 mil agentes.

Edição: Fer­nan­do Fraga/AB

PUBLICIDADE