PUBLICIDADE

brasil

Ministério da Cidadania e IBGE vão criar maior banco de dados sobre famílias de baixa renda do país

Integra√ß√£o do Cadastro √önico √† PNAD Cont√≠nua vai aprimorar informa√ß√Ķes sobre a pobreza no Brasil e subsidiar governo federal para desenvolver pol√≠ticas p√ļblicas de grande impacto

Uma parceria firmada nesta quinta-feira (29), em Bras√≠lia, entre o Minist√©rio da Cidadania e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) vai ampliar o banco de dados com informa√ß√Ķes sobre a situa√ß√£o das fam√≠lias de baixa renda no Pa√≠s e tornar mais eficaz a identifica√ß√£o de suas demandas. O Cadastro √önico (Cad√önico), coordenado pelo Minist√©rio da Cidadania, ser√° integrado √† Pesquisa Nacional por Amostra de Domic√≠lios Cont√≠nua (PNAD Cont√≠nua), realizada pelo IBGE. Desta forma, o governo federal poder√° desenhar pol√≠ticas p√ļblicas mais espec√≠ficas e assertivas voltadas √† popula√ß√£o em situa√ß√£o de vulnerabilidade social.

O Cad√önico re√ļne informa√ß√Ķes de mais de 76 milh√Ķes de brasileiros de baixa renda, tais como caracter√≠sticas da resid√™ncia, identifica√ß√£o de cada pessoa da fam√≠lia, escolaridade e situa√ß√£o de trabalho e renda. A PNAD Cont√≠nua produz indicadores trimestrais que apontam as flutua√ß√Ķes e a evolu√ß√£o, no curto, m√©dio e longo prazos, da for√ßa de trabalho, e outras informa√ß√Ķes necess√°rias para o estudo do desenvolvimento socioecon√īmico do Pa√≠s, como educa√ß√£o, acesso √† televis√£o e √† internet, posse de telefone celular, se realiza trabalho volunt√°rio ou se h√° trabalhadores jovens e crian√ßas.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirma que a integra√ß√£o entre dois dos maiores bancos de dados do Pa√≠s permitir√° uma vis√£o ampla sobre a popula√ß√£o vulner√°vel, gerando subs√≠dios para que o governo federal elabore e implemente pol√≠ticas que atendam esse p√ļblico de maneira mais efetiva. “Vamos criar o maior banco de dados da hist√≥ria do Brasil sobre pessoas em situa√ß√£o de vulnerabilidade social. Nossos dados s√£o atualizados diariamente por dezenas de miliares de assistentes sociais em todo o Brasil, e essa parceria com o IBGE vai formar um quadro gigante, e muito pr√≥ximo da realidade, sobre a situa√ß√£o social do Brasil e como podemos agir com maior impacto”, comentou.

Panorama completo – A presidente do IBGE, Susana Guerra, destacou que o trabalho em conjunto com o Minist√©rio da Cidadania permite a cria√ß√£o de uma rede ampla de dados, capaz de desenhar um panorama completo sobre a situa√ß√£o da pobreza no Brasil. “A integra√ß√£o com os dados do Minist√©rio √© fundamental para o acesso a informa√ß√Ķes cada vez mais precisas e transparentes. A ideia √© que o IBGE seja um facilitador dessa rede de dados, facilitando o acesso a eles. Todas essas informa√ß√Ķes ser√£o uma ferramenta para enxergarmos melhor a realidade do Pa√≠s”, afirmou.

O secret√°rio de Avalia√ß√£o e Gest√£o da Informa√ß√£o do Minist√©rio da Cidadania, Vinicius Botelho, ressalta que a parceria entre os √≥rg√£os representa um salto na condu√ß√£o de pesquisas relacionadas √† popula√ß√£o de baixa renda no Brasil. “Por meio dessa parceria, fomentaremos a disponibiliza√ß√£o de dados de benefici√°rios de programas sociais nas pesquisas do IBGE. Os pesquisadores ter√£o acesso a um panorama de educa√ß√£o, rendimento, condi√ß√Ķes de domic√≠lios. Por meio desses dados, ser√° poss√≠vel fomentar a agenda de pesquisas sociais no Brasil”, contou.

Segundo Botelho, o cruzamento das informa√ß√Ķes do Cad√önico com a PNAD Cont√≠nua dar√° maior visibilidade para as fam√≠lias benefici√°rias de programas sociais. “Essa troca de informa√ß√£o permitir√° que a PNAD Cont√≠nua identifique esse grupo, e, dessa forma, tenha uma coleta de dados muito mais precisa e profunda sobre os impactos que os programas est√£o tendo nesses grupos”, conta. A inscri√ß√£o no cadastro √© condicionante para a participa√ß√£o em programas sociais, como Bolsa Fam√≠lia, da Tarifa Social de Energia El√©trica, Crian√ßa Feliz e Progredir.

Tamb√©m participaram da cerim√īnia de assinatura do documento t√©cnicos do IBGE e os diretores de Gest√£o da Informa√ß√£o, Davi Lopes; de Monitoramento, Caio Nakashima; de Avalia√ß√£o, Ronaldo Souza; e o Diretor do Cadastro √önico, Walter Emura.