PUBLICIDADE

1.0 - RADARbrasil

Meteorito Bendegó resiste intacto às altas temperaturas do incêndio no Museu Nacional

Os tr√™s andares do Museu Nacional ‚ÄĒ fundado em 1818 por D. Jo√£o VI e desde 1946 vinculado √† Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ‚ÄĒ abrigavam um acervo de 20 milh√Ķes de itens, incluindo documentos do Imp√©rio, artefatos greco-romanos, f√≥sseis e a maior cole√ß√£o eg√≠pcia da Am√©rica Latina. A dire√ß√£o do museu ainda n√£o sabe precisar o quanto foi perdido¬†no inc√™ndio de grandes propor√ß√Ķes da noite deste domingo. No entanto, um meteorito resistiu √†s chamas e foi registrado em meio √† destrui√ß√£o.

Meteoritos são fragmentos de corpos extraterrestres, como, por exemplo, de asteróides ou cometas, que sobrevivem a entrada da atmosfera terrestre e às altas temperaturas, conseguindo atingir o solo. A instituição detém a maior coleção de meteoritos do país, com 62 peças. O mais famoso é o Bendegó, encontrado no Sertão da Bahia durante o século XVIII.

EMOCIONADA, VICE-DIRETORA SE ATIRA AO CHÃO

Muito emocionada, a vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Cerezo, atirou-se ao chão quando chegou ao local. Ela afirmou que havia muitos produtos inflamáveis no interior do prédio.

‚ÄĒ T√≠nhamos um plano para retirar essas subst√Ęncias do museu, mas infelizmente esta trag√©dia aconteceu antes ‚ÄĒ disse. ‚ÄĒ Est√°vamos trabalhando com a atualiza√ß√£o da preven√ß√£o de inc√™ndio, realizando treinamentos, √© muito triste.

Al√©m dos meteoritos, entre os itens mais conhecidos do Museu Nacional, estavam o esqueleto de dinossauro encontrado em Minas Gerais e o mais antigo f√≥ssil humano descoberto no atual territ√≥rio brasileiro, batizado ‚ÄúLuzia‚ÄĚ. Trata-se da institui√ß√£o cient√≠fica e do museu mais antigos do Brasil, tendo em maio deste ano completado 200 anos. A visita√ß√£o m√©dia mensal √© de 5 a 10 mil pessoas.

‚ÄĒ S√£o 200 anos do museu, isso aqui √© o trabalho da vida de muita gente, s√£o cole√ß√Ķes zool√≥gicas, bot√Ęnicas, tudo perdido, tudo perdido! ‚ÄĒ lamentou Lilian, bi√≥loga e pesquisadora do museu.

O fogo teve início por volta das 19h deste domingo. As partes laterais e a de trás do museu foram as que mais demoraram a ter as chamas contidas. Houve alguns desabamentos internos. A assessoria do museu disse que ainda não está claro o que deu início ao incêndio.

O Corpo de Bombeiros também não trabalha ainda com nenhuma hipótese sobre as causas. Somente após os primeiros resultados da perícia é que isso poderá ser respondido.

 

Fonte: O Globo

Foto: Marcio Alves/Agência O Globo

 

PUBLICIDADE